O retrato e a representação grotesca, em Retrato de Rapaz, de Mário Cláudio

Joana Palha

Resumo


Retrato de Rapaz (2013) é uma obra fascinante, escrita por Mário Cláudio, onde se observa a relação tantas vezes conturbada como harmoniosa entre mestre e discípulo. A novela conta a história de Gian Giacomo, um aprendiz do célebre e renomado Leonardo da Vinci, que o artista acolhe no seu estúdio, rebatizando-o com o nome de Salai, nome deveras grotesco, que significa “pequeno diabo”, e o seu percurso com o génio da pintura ao longo dos seus anos de crescimento e amadurecimento. O tema do retrato literário, associado à representação grotesca, é a base do presente trabalho, onde vão ser apresentadas reflexões sobre o modo como a atmosfera macabra está presente nos diversos espaços e personagens da trama, influenciando a própria representação que o artista, Leonardo, quer fazer do seu jovem aprendiz, Giacomo.  


Palavras-chave


retrato; grotesco; representação; Mário Cláudio; Retrato de Rapaz

Texto completo:

PDF

Referências


CLÁUDIO, Mário. Retrato de Rapaz. Alfragide: Publicações D. Quixote, 2013.

COURTINE, Jean Jacques & HAROCHE, Claudine. História do Rosto. Trad. Ana Moura. Lisboa: Editorial Teorema, Lda, 1998

ECO, Umberto. História do Feio. Trad. António Maia da Rocha. Algés: DIFEL, 2007.

ECO, Umberto. História da Beleza. Trad. António Maia da Rocha. Algés: DIFEL, 2004.

MATEUS, Isabel Cristina Pinto. «Kodakização» e Despolarização do Real para uma Poética do Grotesco na obra de Fialho de Almeida. Lisboa: Editorial Caminho, 2008.

POMMIER, Édouard. Théories du portrait, de la Renaissance aux Lumières. Gallimard, 1998.

TUCHERMAN, Ieda. Breve história do corpo e de seus monstros. Lisboa: Nova Vega, Lda, 2012.




Direitos autorais 2021 REVELL - REVISTA DE ESTUDOS LITERÁRIOS DA UEMS

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.


Editor-chefe: Professor Doutor Andre Rezende Benatti

ISSN: 2179-4456