O selvagem no corpo desfigurado de Hermógenes em Grande Sertão: Veredas, de Guimarães Rosa

Fabrício Lemos da Costa, Sílvio Augusto de Oliveira Holanda

Resumo


O presente estudo pretende refletir criticamente sobre o corpo de Hermógenes, personagem do romance Grande sertão: veredas (1956), de Guimarães Rosa (1908-1967). Em nossa abordagem, desenvolveremos a perspectiva do informe como questão que corrobora uma desfiguração corporal, prefigurada como da ordem do selvagem. Neste sentido, enfatizaremos o caráter moderno deste personagem, que se apresenta sem forma fixa, sendo, portanto, desmedido, sem contorno e misturado. Para isto, recorremos às reflexões de Moraes (2017), Giorgi (2016), Bolle (1998), Machado (2003), Santiago (2017) e Rosenfeld (2009). Ao lado desses últimos, consideramos, também, o pensamento de Bataille (2018), Derrida (2002) e Agamben (2017) sobre o informe, o animal e o aberto, respectivamente.


Palavras-chave


Grande sertão: veredas, Guimarães Rosa, Hermógenes, Corpo, Selvagem, Desfiguração.

Texto completo:

PDF

Referências


AGAMBEN, Giorgio. O aberto: o homem e o animal. Trad. Pedro Barbosa Mendes. 2. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2017. 162 p.

BATAILLE, Georges. Documents. Trad. João Camilo Penna e Marcelo Jacques de Moraes. Florianópolis: Cultura e Barbárie, 2018. 272 p.

BOLLE, Willi. O sertão como forma de pensamento. Scripta, Belo Horizonte, v. 2, n. 3, p. 259-271, 2. sem., 1998.

DERRIDA, Jacques. O animal que logo sou. Trad. Fábio Landa. São Paulo: Ed. UNESP, 2002. 92 p.

GIORGI, Gabriel. Formas comuns: animalidade, literatura, biopolítica. Trad. Carlos Nougué. Rio de Janeiro: Rocco, 2016. 238 p.

MACHADO, Ana Maria. Recado do Nome: leitura de Guimarães Rosa à luz do nome de seus personagens. 3. ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2003. 203 p.

MORAES, Eliane Robert. O corpo impossível: da decomposição da figura humana: de Lautréamont a Bataille. 2. ed. São Paulo: Iluminuras, 2017. 238 p.

SANTIAGO, Silviano. Genealogia da Ferocidade: ensaio sobre o Grande sertão: veredas, de Guimarães Rosa. Recife: Cepe, 2017. 117 p.

ROSA, João Guimarães. Grande sertão: veredas. Rio de Janeiro: José Olympio, 1956. 594 p.

ROSENFELD, Anatol. Reflexão sobre o romance moderno. In: Texto e Contexto I. 5. ed. São Paulo: Perspectiva, 2009. p. 75-97.

RILKE, Rainer Maria. Elegias de Duíno. Trad. Dora Ferreira da Silva. 6. ed. São Paulo: Biblioteca Azul, 2013. 125 p.




Direitos autorais 2021 REVELL - REVISTA DE ESTUDOS LITERÁRIOS DA UEMS

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.


Editor-chefe: Professor Doutor Andre Rezende Benatti

ISSN: 2179-4456