Corpo da mulher, corpo do poema: metamorfoses de Luiza Neto Jorge

Carolina Alves Ferreira Abreu

Resumo


Neste artigo proponho-me a discorrer acerca do corpo da mulher em relação ao corpo do poema “Metamorfose”, de Luiza Neto Jorge (2001), de modo que traço alguns aspectos teóricos essenciais para compreensão de como a humanidade tem visto e estabelecido estereótipos condicionantes femininos, tais como o silêncio dos corpos por Michele Perrot (2003), a problemática do pensamento dicotômico dos sexos discutido por Elizabeth Gros (2000) e a retomada do saberes do corpo sob a realidade feminina trazidos por Donna Wilshire (1997). Proponho, ainda, a análise de “Metamorfose” dentro dos parâmetros propostos de ruptura com tal pensamento hegemônico, sobretudo no que se refere à perspectiva literária: a hora e a vez de uma mulher escrever sua história.


Palavras-chave


Luiza Neto Jorge; Metamorfose; Corpo da mulher; Corpo do poema; Poesia portuguesa.

Texto completo:

PDF

Referências


CHEVALIER, Jean; GHEERBRANT, Alain. Dicionário de símbolos. 26ª ed. Tradução de Vera da Costa e Silva. Rio de Janeiro: José Olympio, 2012.

CIRLOT, Juan Eduardo. Dicionário de símbolos. Tradução de Rubens Eduardo Ferreira Frias. São Paulo: Editora Centauro, 2012.

COSTA, Horácio. Luiza Neto Jorge: o poema. ALVES, Ida. Um corpo inenarrável e outras vozes – estudos de poesia portuguesa moderna e contemporânea. Niterói: Editora Eduff, 2010.

GROSZ, Elizabeth. Corpos reconfigurados. Cadernos Pagu. Tradução de Cecilia Holtermann, n.14. Campinas, 2000.

DIAS, Maria Odila Leite da Silva. Novas subjetividades na pesquisa histórica feminista: uma hermenêutica da diferença. Revista Estudos Feministas, v.2, n.2, 1994.

JESUS, Alilderson Cardoso de. Um corpo explosivo é a casa do mundo: o sexo Luiza Neto Jorge. ALVES, Ida. Um corpo inenarrável e outras vozes – estudos de poesia portuguesa moderna e contemporânea. Niterói: Editora Eduff, 2010.

JORGE. Luiza Neto. Poesia 1960 -1989. Organização e prefácio de Fernando Cabral Martins, 2ª edição. Lisboa: Assírio & Alvim, 2001.

MARTELO. Rosa Maria. Um jogo de relâmpagos. MARTINS, Floriano (Org.). Corpo insurrecto e outros poemas. São Paulo: Editora Escrituras, 2008.

PERROT, Michele. Os silêncios do corpo da mulher. MATOS, Maria Izilda S. de; SOIHET, Rachel. (Org.). O corpo feminino em debate. São Paulo: Editora UNESP, 2003.

PINTO, Diogo Vaz. Resposta ao Inquérito Poesia e Resistência (Portugal), 200-?. Disponível em: http://ilcml.com/blog/inquerito-poesia-e-resistencia-portugal/. Acesso em: 25 jul. 2016.

ROSA, António Ramos. Incisões oblíquas. Lisboa: Editora Caminho, 1987.

SERRA, Pedro. Materiais em transe e estilo tardio em Luiza Neto Jorge. ALVES, Ida. Um corpo inenarrável e outras vozes – estudos de poesia portuguesa moderna e contemporânea. Niterói: Editora Eduff, 2010.

SILVEIRA, Jorge Fernandes. 20 anos sem Luiza, os meus, por ela mesma. ALVES, Ida. Um corpo inenarrável e outras vozes – estudos de poesia portuguesa moderna e contemporânea. Niterói: Editora Eduff, 2010.

WILSHIRE, Donna. Os usos do mito, da imagem e do corpo da mulher na re-imaginação do conhecimento. JAGGAR, Alisson M.; BORDO, Susan R. Gênero, Corpo, Conhecimento. Tradução de Britta Lemos de Freitas. Rio de Janeiro: Editora Rosa dos Ventos, 1997.




Direitos autorais 2021 REVELL - REVISTA DE ESTUDOS LITERÁRIOS DA UEMS

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.


Editor-chefe: Professor Doutor Andre Rezende Benatti

ISSN: 2179-4456