Kadish literário: a literatura contemporânea como meio de arquivamento e ressignificação de acontecimentos históricos

Autores

Palavras-chave:

Literatura, Arquivamento, Ressignificação, K., relato de uma busca, Kadish.

Resumo

A literatura possui múltiplas razões de existência e é o território onde muitos autores e leitores se refugiam e encontram lugar de aconchego, acalento, ou até mesmo de desabafos e lamentações. Além do mais, existiram anos conflituosos na trajetória histórica da sociedade brasileira, como os da ditadura militar, em que muitos cidadãos tiveram suas vidas findadas e suas memórias aniquiladas. No entanto, muitos familiares dessas vítimas encontraram força e resistência na literatura para registrarem suas vivências ou de seus entes e conhecidos. Bernardo Kucinski, jornalista e escritor, é um desses inúmeros casos que, por meio de obras literárias contemporâneas como K.: relato de uma busca, manifestou suas experiências traumáticas. Diante disso, nosso objetivo é analisar, à luz do autor e da obra mencionados, como escritores conseguiram ressignificar os acontecimentos históricos por meio da literatura contemporânea a partir das memórias e dos arquivos existentes. Ricoeur (2007), Gagnebin (1999, 2006), Seligmann-Silva (2000) e Figueiredo (2017) nos fornecem respaldo teórico para realizarmos nossos estudos, que nos permitem concluir que a literatura representa, ressignifica e salvaguarda muitas informações, acontecimentos e documentos, inclusive memórias e vidas.

Biografia do Autor

Airton Pott, Universidade de Passo Fundo

Mestre em Letras pela Universidade de Passo Fundo – Brasil. Doutorando em Letras na Universidade de Passo Fundo – Brasil. Bolsista CAPES – Brasil. ORCID iD: https://orcid.org/0000-0002-9809-1320. E-mail: airton_pott@yahoo.com.br

Ivânia Campigotto Aquino, Universidade de Passo Fundo

Doutora em Letras pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul – Brasil. Realizou estágio pós-doutoral em Letras na Universidade Federal do Rio Grande do Sul – Brasil. Professora Titular III da Universidade de Passo Fundo – Brasil. ORCID iD: https://orcid.org/0000-0001-9221-3473. E-mail: ivania@upf.br.

Referências

FIGUEIREDO, Eurídice. A literatura como arquivo da ditadura. Rio de Janeiro: 7 letras, 2017.

GAGNEBIN, Jeanne Marie. História e narração em Walter Benjamin. 2. ed. São Paulo: perspectiva, 1999.

GAGNEBIN, Jeanne Marie. Lembrar escrever esquecer. São Paulo: Editora 34, 2006.

KUCINSKI, Bernardo. K.: relato de uma busca. São Paulo: Companhia das letras, 2016.

RICOEUR, Paul. A memória, a história, o esquecimento. Tradução de Alain François [et al.]. Campinas, SP: Editora da Unicamp, 2007.

SANTOS, Clarissa Grahl dos. Das armas às letras: os militares e a constituição de um campo memorialístico de defesa à ditadura empresarial-militar. 2016. 184 f. Dissertação (Mestrado em História Cultural). Universidade Federal de Santa Catarina: Florianópolis - SC, 2016.

SELIGMANN-SILVA, Márcio. A história como trauma. In: NESTROVSK, Arthur. SELIGMANN-SILVA, Márcio. (Orgs.). Catástrofe e representação: ensaios. São Paulo: Escuta, 2000. p.73–98.

Downloads

Publicado

30/11/2021

Como Citar

Pott, A., & Aquino, I. C. (2021). Kadish literário: a literatura contemporânea como meio de arquivamento e ressignificação de acontecimentos históricos. REVELL - REVISTA DE ESTUDOS LITERÁRIOS DA UEMS, 2(29), 138–164. Recuperado de https://periodicosonline.uems.br/index.php/REV/article/view/6479