Resisto, à vossa excelência

Autores

Palavras-chave:

Gêneros literários, testemunho, misoginia, mulher, estupro.

Resumo

Trata-se de uma abordagem teórica dos gêneros literários e dos experimentos literários a partir do início do século XX, com atenção especial para as teorias do testemunho e da resistência. A partir dessa premissa, selecionou-se o romance Without a name [1994] da zimbabuense Yvonne Vera (2002), e um Acórdão (2013), coletado eletronicamente no sítio do Tribunal de Justiça do Estado Goiás, com pretensão de identificar nessas obras as marcas misóginas e de resistência no tratamento do testemunho da mulher vítima de estupro. Nessa perspectiva o artigo é orientado pelos estudos de Adorno (2003), Bosi (2010), Sartre (1988) e Seligmann-Silva (2003; 2014), pelas raízes misóginas presentes nas obras patrísticas e no Decretum de Gratiani (1959), bem como pelo conceito de polifonia de Bakhtin (1981).

Biografia do Autor

Adriana Sul Santana, UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS

Mestra em Letras e Linguística pela Universidade Federal de Goiás – Brasil. Doutoranda em Letras e Linguística na Universidade Federal de Goiás – Brasil. ORCID iD: https://orcid.org/0000-0001-5214-3933. E-mail: adrianasulsantana@yahoo.com.br.

Marcelo Ferraz de Paula, Universidade Federal de Goiás

Doutor em Estudos Comparados de Literaturas de Língua Portuguesa pela Universidade de São Paulo – Brasil. Realizou estágio pós-doutoral em Literatura Comparada na Universidade do Porto – Portugal. Bolsista Produtividade em Pesquisa 2 – CNPq – Brasil. Professor da Universidade Federal de Goiás – Brasil. ORCID iD: https://orcid.org/0000-0002-2641-1794. E-mail: marcelo2867@gmail.com.

Referências

ADORNO, Theodor. Notas de Literatura I. Trad. Jorge Almeida. São Paulo: Editora 34/ Duas Cidades, 2003.

ADORNO, Theodor. HORKHEIMER, Max. Dialética do esclarecimento. Fragmentos Filosóficos. 1947. Disponível em: https://files.cercomp.ufg.br/weby/up/208/o/fil_dialetica_esclarec.pdf . Acesso em: 03 mar. 2021.

ARAÚJO, Cibele de Guadalupe Sousa. Why don't you carve other animals [manuscrito]: Estudo Crítico e Tradução / Cibele de Guadalupe Sousa Araújo. - 2015. Orientador: Prof. Dr. Heleno Godói de Sousa. Tese (Doutorado) - Universidade Federal de Goiás, Faculdade de Letras (FL), Programa de Pós-Graduação em Letras e Linguística, Goiânia, 2015.

ARISTÓTELES. Poética. Trad. Eudoro de Souza. 3. Ed. São Paulo: Ars Poética, 1993.

BANDEIRA, Lourdes. Três décadas de resistência feminista contra o sexismo e a violência feminina no Brasil: 1976 a 2006. Sociedade e Estado, Brasília, v. 24, n. 2, p. 401-438, mai/ago. 2009.

BAKHTIN, Mikhail Mikhailovich. The dialogic imagination: four essays. Edited by Michael Holquist. Translated by C. Emerson; M. Holquist. Ed.: University of Texas Press Austin, 1981. Disponível em: https://www.academia.edu/38565705/Bakhtin_The_Dialogic_Imagination_Four_Essay Acesso em: 02 jun. 2021.

BENJAMIN, Walter. Magia e técnica, arte e política. Trad. Sergio Paulo Rouanet. São Paulo: Brasiliense, 1996.

BENJAMIN, Walter. Teses sobre o conceito da história, 1940. In: Walter Benjamin - Obras escolhidas. Tradução de Sérgio Paulo Rouanet. Vol. 1. Magia e técnica, arte e política. Ensaios sobre literatura e história da cultura. Prefácio de Jeanne Marie Gagnebin. São Paulo: Brasiliense, 1987, p. 222-232.

BÍBLIA SAGRADA. A Bíblia de promessas. Tradução João Ferreira de Almeida. São Paulo: King’s Cross Publicações, 2012.

BLOCH, R. Howard. Misoginia medieval e a invenção do amor romântico ocidental. Trad.Cláudia Moraes. Rio de Janeiro: 1995.

BORGES, Luciana. O erotismo como ruptura na ficção brasileira de autoria feminina: um estudo de Clarice Lispector, Hilda Hirst e Fernanda Young. Florianópolis: Ed. Mulheres, 2013.

BOSI, A. O Ser e o Tempo da poesia. São Paulo: Cia. Das Letras, 2010.

BRASIL. Decreto-Lei no 2.848, de 7 de dezembro de 1940. Publicado no DOU de 31.12.1940. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto-lei/del2848compilado.htm. Acesso em: 30 jul. 2019.

BRASIL. CNJ Serviço: Saiba quando a decisão final é dada por sentença ou em acórdão. Disponível em: https://www.cnj.jus.br/cnj-servico-saiba-quando-a-decisao-final-e-dada-por-sentenca-ou-em-acordao/. Acesso em: 02 jun. 2021.

BRASIL Lei 11.340/2006, de 07 de agosto de 2006. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2004-2006/2006/lei/l11340.%20htm. Acesso em: 30 out. 2015.

BRASIL. Tribunal de Justiça do Estado de Goiás. Vara Criminal da Comarca de Cocalzinho de Goiás. Autos nº 201201112995. Termo de Audiência. 28/08/2012. Disponível em: https://www.tjgo.jus.br/decisao/imprimir.php?inoid=3828539 Acesso em: 30 out. 2020.

BRASIL. Tribunal de Justiça do Estado de Goiás. Apelação criminal 111299-90.2012.8.09.0177, Rel. Des. Leandro Crispim, 2a Câmara Criminal, julgado em 23/04/2013, DJe 1307 de 21/05/2013. Consulta pública: escrever número do processo no campo “Texto para Pesquisa” e selecionar em “Campo de pesquisa” a opção “Recurso/Proc.CNJ”, na próxima tela selecionar “inteiro teor do acórdão”. Disponível em: https://www.tjgo.jus.br/jurisprudencia/juris.php?clear=S. Acesso em: 30 out. 2020.

BRASIL. Tribunal de Justiça do Estado de Goiás. Vara de Família da Comarca de Cocalzinho de Goiás. Sentença. Autos nº 0253616-14.2012.8.09.0177. DJE n. 1716, Publicado em: 28/01/2015. Disponível em: https://projudi.tjgo.jus.br/BuscaProcessoPublica. Acesso em: 29 out. 2020.

BRASIL. Superior Tribunal de Justiça. Sexta Turma. AgRg no REsp 1.416.535 / GO Julgado: 17/12/2015. Disponível em:

https://processo.stj.jus.br/processo/revista/documento/mediado/?componente=ATC&sequencial=45812816&num_registro=201303686765&data=20150624&tipo=91&formato=PDF. Acesso em: 29 out. 2020.

BRASIL. Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos. Painel de Dados da Ouvidoria Nacional de Direitos Humanos. 2º semestre de 2020. Disponível em: https://www.gov.br/mdh/pt-br/ondh/paineldedadosdaondh/2020sm02. Acesso em: 28 mar. 2021.

BUENO, Samira; REINACH, Sofia. A cada minuto, 25 brasileiras sofrem violência doméstica. Folha de São Paulo. 12/03/2021. Disponível em: https://piaui.folha.uol.com.br/cada-minuto-25-brasileiras-sofrem-violencia-domestica/. Acesso em: 01 jun. 2021.

FONSECA, P. C. L. Mulher e misoginia na visão dos padres da Iigreja e do seu legado medieval: estudo e leitura de textos fundamentais. Goiânia: Ed. da PUC Goiás, 2017.

GRAMSCI, Antonio. Cadernos do cárcere. Introdução de Carlos Nelson Coutinho. Civilização Brasileira, Rio de Janeiro, 1999.

GRATIANI. Decretum Magistri Gratiani. Graz: Ed. Aemilius Friedberg, 1959. Disponível em: http://documentacatholicaomnia.eu/03d/1139-1150,_Gratianus_de_Clusio,_Concordantiam_Discordantium_Canonum_seu_Decretum_Gratiani_(Friedberg_1879),_LT.pdf Acesso em: 16 jul. 2017.

HUGO, Vitor. Do grotesco e do sublime. Prefácio de Cromwell. São Paulo: Perspectiva, 2007.

LIMA, L. L. G. Cultura do Estupro, Representações de Gênero e Direito. Language and Law/Linguagem e Direito, Vol. 4(2), 2017, p. 7-18.

MARX, Karl, 1818-1883. A sagrada família, ou, A crítica da Crítica crítica contra Bruno Bauer e consortes / Karl Marx e Friedrich Engels ; tradução, organização e notas de Marcelo Backes. – 1ª Ed. Revista. - São Paulo: Boitempo, 2011.

MORELLI, Liana Machado. Entre o corpo e a honra: Crimes sexuais na cidade de São Paulo (1890-1920). Orientadora: Joana Maria Pedro – Florianópolis, SC, 2015.

OLIVEIRA, Mariana Camilo de. “A dor dorme com as palavras”: a poesia de Paul Celan nos territórios do indizível e da catástrofe. Orientador Prof. Dr. Georg Otte. Belo Horizonte, Faculdade de Letras da UFMG, 2008, 207 p. Disponível em: https://repositorio.ufmg.br/bitstream/1843/ECAP-7F9EFR/1/dissertacao_mariana_camilo_de_oliveira_biblioteca2.pdf. Acesso em: 28 abr. 2021

ROSENFELD, Anatol. O teatro épico. Ed. Perspectiva, 6ª edição, 2010.

SARTRE, Jean Paul. Que é a literatura?. São Paulo: Ática, 1988.

SELIGMANN-SILVA. Reflexões sobre a memória, a história e o esquecimento. In: História, Memória, Literatura: o testemunho na era das catástrofes. Campinas: Editora da Unicamp, 2003.

SELIGMANN-SILVA. O local do testemunho. 2010. Disponível em: https://www.revistas.udesc.br/index.php/tempo/article/download/1894/1585?inline=1. Acesso em: 01 mai. 2021.

SELIGMANN-SILVA. Da Justiça patriarcal ao testemunho como verdade possível. Unicamp, 22.dez.2014. Disponível em: http://genjuridico.com.br/2014/12/22/da-justica-patriarcal-ao-testemunho-como-verdade-possivel-marcio-seligmann-silva/. Acesso em: 28 mar. 2021.

SILVA, Sheila Dias da. Resistência feminina e feminismo africano em Without A Name de Yvonne Vera. Universidade Federal de Mato Grosso Instituto de Linguagens Programa de Pós-Graduação em Estudos de Linguagem, Cuiabá - MT 2014.

SOARES, Patrícia de Carvalho Diniz; ALEXANDRE, Klyne Thatcher; FERMOSELI, André Fernando de Oliveira. Violência sexual infantil: uma reflexão sobre os impactos neuropsicofisiológicos do trauma. 2020. Disponível em: https://openrit.grupotiradentes.com/xmlui/bitstream/handle/set/3197/TCC%20-%20Viol%C3%AAncia%20Sexual%20Infantil%20uma%20Reflex%C3%A3o%20sobre%20os%20Impactos%20neuropsicofisiol%C3%B3gicos%20do%20Trauma.pdf?sequence=1. Acesso em: 01 jun. 2021.

SUDATTI, Ariani Bueno. Testemunho e justiça na era das catástrofes ambientais. XII Congresso Internacional da ABRALIC Centro, Centros – Ética, Estética. 18 a 22 de julho de 2011. UFPR – Curitiba, Brasil, pp. 10. Disponível em: https://abralic.org.br/eventos/cong2011/AnaisOnline/resumos/TC0657-1.pdf. Acesso em: 01 jun. 2021.

TRINDADE, André Karam; KARAM, Henriete. Polifonia e Verdade nas Narrativas Processuais. Sequência (Florianópolis), n. 80, p. 51-74, dez. 2018.

VERA, Yvonne. Without a name (2004), in: VERA, Yvonne Without a name and Under the tongue. New York: Farrar, Straus and Giroux, 2002.

Downloads

Publicado

30/11/2021

Como Citar

Santana, A. S., & Paula, M. F. de. (2021). Resisto, à vossa excelência. REVELL - REVISTA DE ESTUDOS LITERÁRIOS DA UEMS, 2(29), 307–338. Recuperado de https://periodicosonline.uems.br/index.php/REV/article/view/6492