(Re)Contando memórias com Antígona González: arquivo, testemunho e arte

Autores

Palavras-chave:

Antígona González, Testemunho, Desapropriação, Corpos

Resumo

Antígona González, de Sara Uribe, é uma obra poético-dramática que se propõe, ao desapropriar (RIVERA GARZA, 2013) outros textos arquivos, sejam esses filosóficos, históricos, informativos ou artísticos, (re)contar testemunhos de uma narrativa de luta e de luto. Ao revisitar o tempo passado (SARLO, 2005) das memórias latino-americanas, Uribe produz uma obra que, desestruturando a normatividade do gênero textual, propõe, por meio da arte, recriar e manter pulsante a memória de corpos latinos.

Biografia do Autor

Bruna Franco Neto, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

Mestra em Letras pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul – Brasil. Doutoranda em Estudos de Linguagens na Universidade Federal de Mato Grosso do Sul – Brasil.  Professora do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba – Brasil. ORCID iD: https://orcid.org/0000-0001-5847-5437. E-mail: netobrunafranco@gmail.com.

Ângela Maria Guida, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

Doutora em Letras (Ciências da Literatura) pela Universidade Federal do Rio de Janeiro – Brasil. Realizou estágio pós-doutoral em Estudos Literários na Universidade Federal de Minas Gerais – Brasil. Professora Adjunta da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul – Brasil. ORCID iD: https://orcid.org/0000-0002-8948-646X. E-mail: angelaguida.ufms@gmail.com.

Referências

AGAMBEN, Giorgio. O que resta de Auschiwitz: o arquivo e a testemunha. Tradução Selvino J. Assmann. São Paulo: Boitempo, 2008.

AGAMBEN, Giorgio. O que é o contemporâneo? E outros ensaios. Tradução Vinícius Nicastro Honesko. Chapecó: Argos Editora da Unochapecó, 2009.

CALCANHOTO, Adriana. Minha música. Álbum A fábrica do poema. Rito de Janeiro: Sony Music/Epic, 1994. 37 min.

CRUZ ARZABAL, Roberto. Escritura después de los crímenes: dispositivo, desapropriación y archivo en Antígona González de Sara Uribe. In: QUIJANO, Mônica. VIZCARRA, Héctor Fernando. Crimén y ficción. Narrativa literaria y audiovisual sobre la violencia en América Latina. México: Bonilla Artigas Editoras: UNAM, Facultad de Filosofia y Letras, 2015.

CALCANHOTO, Adriana. Minha Música (Minha Música) - T2 #10. Youtube, 06 de agosto de 2020. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=OVxRFn2XPnQ Acessado em 20/05/2021.

DERRIDA, Jacques. Mal de arquivo: uma impressão freudiana. Tradução de Claudia de Moraes Rego. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 2001.

RANCIERE, Jacques. A partilha do sensível: estética e política. Tradução Mônica Costa Netto. São Paulo: EIXO experimental org Ed. 34, 2005.

RIVERA GARZA, Cristina. Los muertos indóciles: Necroescrituras y desapropriación. México: Tusquets Editores, 2013.

SARLO, Beatriz. Tiempo pasado: Cultura de memoria y la giro subjetivo: Una discusión. Buenos Aires: Siglo Veintiuno, 2005.

URIBE, Sara. Antígona González. México: Sur+ ediciones, 2012.

URIBE, Sara. Cuerpos ausentes. Una conversación con Sara Uribe. Entrevista concedida a Ana Karen Jiménez Buerón. Periódico de Poesía, Ciudad de México, julho de 2019. Disponível em: https://periodicodepoesia.unam.mx/texto/cuerpos-ausentes-una-conversacion-con-sara-uribe/. Acessado em 24/05/2021.

Downloads

Publicado

30/11/2021

Como Citar

Neto, B. F., & Guida, Ângela M. (2021). (Re)Contando memórias com Antígona González: arquivo, testemunho e arte. REVELL - REVISTA DE ESTUDOS LITERÁRIOS DA UEMS, 2(29), 287–306. Recuperado de https://periodicosonline.uems.br/index.php/REV/article/view/6511