“White bear”, de Black Mirror: memória, esquecimento e direito

Autores

Palavras-chave:

memória, esquecimento, direito, Nietzsche

Resumo

 O objetivo deste artigo é discutir os conceitos de memória, esquecimento e direito a partir do episódio “White bear”, de Black Mirror. Essa série reforça as possibilidades de um futuro distópico por meio de novas tecnologias e a reflexão parte da ideia de que o uso dessas tecnologias tem uma intenção benéfica, mas podem sobrepujar à dignidade da vida humana. Com base na filosofia de Nietzsche, a questão posta é que memória e esquecimento afetam a vida em sociedade e o desejo de verdade, justiça e poder – retratado no episódio da série – aponta para problemas que não são apenas fictícios.

Biografia do Autor

Mariane Tavares, Universidade Estadual de Campinas

Mestra em Teoria e História Literária pela Universidade Estadual de Campinas – Brasil, com período sanduíche na Universidad de Buenos Aires – Argentina. Doutoranda em Teoria e História Literária na Universidade Estadual de Campinas – Brasil. Bolsista CNPq – Brasil. ORCID iD: https://orcid.org/0000-0002-7399-7740. E-mail: maryannets@gmail.com.

Referências

ARAÚJO, Glauco. Adolescente que teve testa tatuada é encontrado por amigos caminhando perto de casa na região do ABC. G1, São Paulo, 10/06/2017. Acessado em 30/06/2021. Disponível em: http://g1.globo.com/sao-paulo/noticia/adolescente-que-teve-testa-tatuada-e-encontrado-por-amigos-caminhando-perto-de-casa-no-abc.ghtml.

BARRENECHEA, Miguel Angel de. Nietzsche e o corpo. Rio de Janeiro: 7 Letras, 2009.

BLONDEL, Éric. Nietzsche, le corps et la culture. Paris: PUF, 1985.

DEBORD, Guy. A sociedade do espetáculo. Rio de Janeiro: Contraponto, 1997.

FOUCAULT, Michel. Nietzsche, a genealogia e a história. In: Arqueologia das Ciências e História dos Sistemas de Pensamento. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2000.

GIACOIA JÚNIOR, Oswaldo. Moralidade e memória: dramas do destino da alma. In: PASCHOAL, Antonio Edmilson; FREZZATTI, Wilson Antonio. (orgs.) 120 anos de Para a Genealogia da moral. Ijuí: Unijuí, 2008, p.187-241.

HALBWACHS, Maurice. A memória coletiva. Tradução: Laís Teles Benoir. São. Paulo: Centauro, 2004.

LADEIRA, Pedro. Em debate, especialistas divergem sobre o direito ao esquecimento. Folha de São Paulo, São Paulo: 18/06/2017. Acessado em 30/06/2021. Disponível em: http://www1.folha.uol.com.br/poder/2017/06/1892422-em-debate-no-stf-especialistas-divergem-sobre-direito-a-esquecimento.shtml.

MÜLLER-LAUTER, Wolfgang. A doutrina da vontade de poder em Nietzsche. Apresentação de Scarlett Marton. Tradução: Oswaldo Giacoia Junior. São Paulo: Annablume, 1997.

NIETZSCHE, Friedrich. Genealogia da Moral: uma polêmica. Tradução: Paulo César de Souza. São Paulo: Companhia das Letras, 2009.

NIETZSCHE, Friedrich. A Gaia Ciência. São Paulo: Companhia das letras, 2001.

NIETZSCHE, Friedrich. Segunda consideração intempestiva: Da utilidade e desvantagem da história para a vida. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 2003.

NIETZSCHE, Friedrich. Sobre verdade e mentira no sentido extra-moral. São Paulo: Hedra, 2008.

Sem autor. STF conclui que direito ao esquecimento é incompatível com a Constituição Federal. Supremo Tribunal Federal. Brasília 10/02/1021. Acessado 30/06/2021. Disponível em: https://portal.stf.jus.br/noticias/verNoticiaDetalhe.asp?idConteudo=460414&ori=1.

WHITE bear (Temporada 2, ep.2). Black mirror [seriado]. Direção: Carl Tibbetts; Charlie Brooker. Produção: Zeppotron, Endemol. Londres: Netflix, 2013. 44min.

Downloads

Publicado

30/11/2021

Como Citar

Tavares, M. (2021). “White bear”, de Black Mirror: memória, esquecimento e direito. REVELL - REVISTA DE ESTUDOS LITERÁRIOS DA UEMS, 2(29), 483–503. Recuperado de https://periodicosonline.uems.br/index.php/REV/article/view/6515