Memória e História em Mestre Tamoda, de Uanhenga Xitu

Autores

Palavras-chave:

História, Memória, Resistência, Uanhenga Xitu, Mestre Tamoda.

Resumo

Este estudo propõe analisar a representação do passado, enfatizando como o elemento memória constitui-se no âmbito da ficção na obra angolana Mestre Tamoda, de Uanhenga Xitu, publicada pela primeira vez em 1974. Isso porque nessa narrativa, percebe-se um acontecimento histórico constitutivo do fazer literário. Ademais, demonstrar-se-á como essa construção literária demonstra um posicionamento ideológico sobre a reescritura dos fatos ocorridos durante a colonização angolana. Nesse sentido, o objetivo deste estudo será o de apresentar alguns artifícios da referida obra à luz da teoria da memória sobre o contexto colonizado a partir da ótica de Uanhenga Xitu, que por sua vez, apropria-se de elementos memorialísticos para compor sua narrativa, bem como fatos da história para a ficcionalização de suas lembranças. Portanto, a análise a ser realizada, propicia a compreensão de como as memórias coletivas, individuais e históricas delineiam o cenário proposto no conto Mestre Tamoda, de Uanhenga Xitu, a ponto de indicar a resistência de sua “sanzala” diante da imposição da cultura portuguesa. Por este caminho, analisaremos o romance de Uanhenga Xitu, que reflete sobre o próprio processo de elaboração artística e, ao mesmo tempo, utiliza a história e a memória como fios condutores da organização da obra. A discussão proposta fundamentar-se-á em Peter Burke (1992); Hayden White (1994); Seligmann-Silva (2003); Paolo Rossi (2010); Aleida Assmann (2011) e Halbwachs (2013).

Biografia do Autor

Maria Aparecida Mineiro, Universidade Federal do Pará

[1]Mestre em Educação, Linguagem e Tecnologias pela Universidade Estadual de Goiás – Brasil. Doutorando em Letras: Linguística e Teoria Literária na Universidade Federal do Pará – Brasil. Professor no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Estado do Pará – Brasil. ORCID iD: https://orcid.org/0000-0002-2250-5582.  E-mail: mineiro.maria@gmail.com

Carlos Henrique Lopes de Almeida, Universidade Federal do Pará

Doutor em Letras e Linguística pela Universidade Federal de Goiás(2013). Atua no Programa de Pós-Graduação em Literatura Comparada (PPGLC) da UNILA e no Programa de Pós-Graduaçao em Letras (PPGL) da UFPA na docência, orientação e pesquisa. Lider do grupo de pesquisa Literatura, Educação, Sociedade e Cultura (UNILA) e membro do grupo de pesquisa NARRARES (UFPA) e do grupo Literatura, Arte e Mídia (UNITINS)

Referências

AGOSTINHO, Yuri Manuel Francisco; Marcas da acção colonial em Angola: a luz das memórias e narrativas de escritores angolanos. In REVISTA TRANSVERSOS. "Dossiê: REFLEXÕES SOBRE E DE ANGOLA - INSCREVENDO SABERES E PENSAMENTOS". N° 15, Abril, 2019, pp. 400 - 416 Disponível em https://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/transversos/article/view/42074. ISSN 2179- 7528. DOI:10.12957/transversos.2019.41863

ASSMANN, Aleida. Espaços da Recordação: formas e transformações da memória cultural. Tradução de Paulo Soethe. Campinas: UNICAMP, 2011.

BURKE, Peter. A nova história, seu passado e seu futuro. In: BURKE, Peter. A Escrita da história: novas perspectivas. Tradução de Magda Lopes. São Paulo: Editora da Universidade Estadual Paulista, 1992.

CYTRYNOWICZ, Roney. O silêncio do sobrevivente: diálogo e rupturas entre memória e história do Holocausto. In: Seligmann-Silva, Márcio (Org.). História, memória, literatura: o testemunho na era das catástrofes. Campinas: Unicamp. 125-140. 2003.

DUSILEK, Adriana. PEREIRA, Márcio Roberto. Reminiscências do Herói Romanesco: o despertar dos sentidos na lembrança e a memória involuntária. Letrônica, Porto Alegre, v. 6, n. 2, p. 831-846, jul./dez., 2013

FREITAS, Maria Tereza de. Literatura e história: o romance revolucionário de André Malraux. São Paulo: Atual, 1986.

HALBWACHS, Maurice. Memória coletiva. Tradução de Beatriz Sidou. São Paulo: Centauro, 2013.

REMÉDIOS, M. L. R. (2013). Uanhenga Xitu: O poder da linguagem. Letras De Hoje, 25(2). Disponível em https://revistaseletronicas.pucrs.br/index.php/fale/article/view/16155 Acesso em 20 jan. 2021.

RICOEUR, Paul. A memória, a história, o esquecimento. Tradução de Alan François et al. Campinas: UNICAMP, 2007.

ROSSI, Paolo. O passado, a memória, o esquecimento. Tradução Nilson Moulim. São Paulo: UNESP, 2010.

SELIGMANN-SILVA, Márcio. História, Memória, Literatura: o testemunho na Era das Catástrofes. Campinas: UNICAMP, 2003.

UANHENGA XITU. Disponível em: https://www.ueangola.com/bio-quem/item/61-uanhenga-xitu. Acesso em 01 fev. 2021.

WESSELING, Henk. História de Além mar. In: BURKE, Peter. A escrita da História: novas perspectivas. Tradução de Magda Lopes. São Paulo. UNESP. 1992

WHITE, Hayden. Trópicos do discurso: ensaios sobre crítica da cultura. Tradução de Alípio Correio de Franca Neto. 2. ed. São Paulo: Editora da USP, 1994.

WHITE, Hayden. Meta-história: a imaginação histórica do século XIX. Tradução de José L. de Melo. 2. ed. São Paulo: Editora da USP, 1995.

XITU, Uanhenga. Mestre Tamoda. São Paulo: Ática, 1984.

Downloads

Publicado

06/06/2022

Como Citar

Mineiro, M. A., & Lopes de Almeida, C. H. (2022). Memória e História em Mestre Tamoda, de Uanhenga Xitu. REVELL - REVISTA DE ESTUDOS LITERÁRIOS DA UEMS, 3(30), 149–168. Recuperado de https://periodicosonline.uems.br/index.php/REV/article/view/6770