A fragmentação existencial da mulher mexicana no conto “Tina Reyez”, de Amparo Dávila

Autores

Palavras-chave:

conto, narrativa de mulher, literatura mexicana do século XX, estudos de gênero

Resumo

No Brasil, a obra da contista Amparo Dávila (1928-2020) pertence a uma lacuna no estudo sobre a literatura feita por mulheres do século XX, visto que a autora mexicana não possui tradução para a língua portuguesa. Para ampliar o corpus literário dos estudos que abarcam as narrativas de autoras do século passado, esse artigo analisará o conto “Tina Reyez”, publicado em Música Concreta (1964). Ao lidar com os tabus que cercam o despertar erótico e as percepções sensuais da “mulher comum” Tina Reyez, Amparo delineia e questiona as moralidades patriarcais interiorizadas pela protagonista do conto. A partir de uma metodologia qualitativa e exploratória, esse estudo buscará refletir sobre os valores sociais prescritos às mulheres que viveram durante a segunda metade do século XX, de acordo com a teoria de Luce Irigaray (2017) e Simone de Beauvoir (2009), bem como sobre o peso existencial para a personagem no contexto do patriarcado mexicano, de acordo com o artigo “¿Cómo ser sin límites? Análisis semiótico del cuento ‘Tina Reyez’, de Amparo Dávila” (2019), de Socorro García Bojórquez e María Edith Araoz Robles.

Biografia do Autor

Mariana Borda, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Mestranda em Letras na Universidade Federal do Rio Grande do Sul – Brasil. ORCID iD: https://orcid.org/0000-0001-6467-8986. E-mail: marianaborda96@gmail.com.

Cinara Antunes Ferreira, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Doutora em Letras pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul – Brasil. Realizou estágio pós-doutoral em Teoria Literária na Universidade Federal do Rio de Janeiro – Brasil. Professora Adjunta da Universidade Federal do Rio Grande do Sul – Brasil. ORCID iD: https://orcid.org/0000-0002-2520-5622. E-mail: cinara.pavani@ufrgs.br.

Referências

BEAUVOIR, Simone de. O segundo sexo. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2009.

BOJÓRQUEZ, Socorro G; ROBLES, Maria Edith A. ¿Cómo ser sin límites? Análisis semiótico del cuento Tina Reyes de Amparo Dávila. La Ventana, Guadalajara, vol. 51, p.85-110, jan.-jun. 2019. Disponível em: http://old.scielo.br/pdf/fractal/v30n2/1984-0292-fractal-30-02-166.pdf>. Acesso em: 20 jun. 2022.

DÁVILA, Amparo. Cuentos reunidos. Cidade do México: Fondo de Cultura Económica, 2021.

DÁVILA, Amparo. Música concreta. Cidade do México: Fondo de Cultura Económica, 2002.

FOUCAULT, Michel. A história da sexualidade 1 - A vontade de saber. Rio de Janeiro/São Paulo: Paz&Terra, 2021.

IRIGARAY, Luce. Este sexo que não é só um sexo. São Paulo: Editora Senac, 2017.

SOUZA, Danuza E de; KOSOVSKI, Giselle F. Mulheres e Espelhos: a Devastação e o irrepresentável no corpo feminino. Fractal: Revista de Psicologia, v. 30, n. 2, p. 166-172, mai-ago. 2018. Disponível em: < http://old.scielo.br/pdf/fractal/v30n2/1984-0292-fractal-30-02-166.pdf>. Acesso em: 20 jun. 2022.

WOOLF, Virginia. Profissões para mulheres e outros artigos feministas. Porto Alegre: L&PM, 2012.

Downloads

Publicado

2022-12-14

Como Citar

Borda, M., & Ferreira, C. A. (2022). A fragmentação existencial da mulher mexicana no conto “Tina Reyez”, de Amparo Dávila. REVELL - REVISTA DE ESTUDOS LITERÁRIOS DA UEMS, 2(32), 164–180. Recuperado de https://periodicosonline.uems.br/index.php/REV/article/view/7182