Preta Ferreira

a prisão como quarto de despejo

Visualizações: 63

Autores

DOI:

https://doi.org/10.61389/revell.v3i36.7661

Palavras-chave:

Diário, Racismo, Mulheres

Resumo

A literatura negra produzida no Brasil é ainda pouco difundida na academia, principalmente, a escrita por mulheres. Este artigo discute a escrita de diário como possibilidade de denúncia social e condição de dar visibilidade às vozes das mulheres negras, sendo elas mesmas as portadoras de suas falas e as protagonistas de suas narrativas. Assim, a obra de preta Ferreira, Minha Carne (2021), dialoga com importantes nomes de teóricos da atualidade que debatem racismo estrutural, violência e demais críticas nas áreas social, política e de gênero. O que se percebe é que as condições de vida de Preta, autora da obra, contribuem para que ela se diferencie de muitas outras pretas como ela e que, infelizmente, não tiveram as mesmas oportunidades de estudar. Dessa maneira, a autora toma para si a responsabilidade de combater as distintas formas de opressão que atingem as mulheres negras do país e se coloca como porta-voz de suas lutas.

Biografia do Autor

Izandra Alves, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul

Doutora em Letras pela Universidade de Passo Fundo – Brasil, com período sanduíche em Universitat de Barcelona – Espanha. Professora do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul – Brasil. (ORCID iD: https://orcid.org/0000-0002-6063-3753. E-mail: izandraalves@hotmail.com.

Aryeli de Oliveira da Costa Ortiz, Instituto Federal de Educação

Mestranda em Letras na Universidade Federal do Rio Grande do Sul – Brasil.ORCID iD: https://orcid.org/0000-0002-0069-946X. E-mail: aryeliocortiz@gmail.com

Referências

DAVIS, Angela. Estarão as prisões obsoletas? Tradução de Marina Vargas. – 1ª ed. – Rio de Janeiro: Difel, 2018.

FERREIRA, Preta. Minha Carne: diário de uma prisão. São Paulo: Boitempo, 2021.

GONZALEZ, Lélia; HASENBALG, Carlos. Lugar de negro. 3. ed. Rio de Janeiro:

Marco Zero, 1982.

JESUS, Carolina Maria de. Quarto de despejo: diário de uma favelada. 8. ed. São Paulo: Ática, 2001.

LEJEUNE, Philippe. O Pacto Autobiográfico: de Rousseau à internet. 2. ed. Belo Horizonte: Ufmg, 2014. 404 p. Jovita Maria Gerheim Noronha (Org.).

MATTOS, Mayara Ferreira. A cor do medo em um território inimigo: a “fundada suspeita” enquanto dispositivo regulador da violência policial e consequente extermínio de pessoas negras no aglomerado da serra/belo horizonte/mg. In: Encontro nacional de antropologia do direito, 7., 2021, São Paulo. Anais [...] . São Paulo: Uff, 2021. p. 1-15.

MORETTO, Leonardo de Souza. Prisões políticas: uma análise do uso do processo penal para a criminalização dos movimentos por moradia popular no processo-crime nº 0066250-35.2018.8.26.0050/sp. 2021. 68 f. TCC (Graduação) - Curso de Bacharel em Direito, Centro de Ciências Jurídicas, Ufsc, Florianópolis, 2021.

NEUHOLD, Roberta dos Reis. Os movimentos de moradia e sem-teto e as ocupações de imóveis ociosos: a luta por políticas públicas habitacionais na área central da cidade de São Paulo. 2009. 165 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Sociologia, Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, USP, São Paulo, 2009.

PRETA Ferreira. Disponível em: https://www.movimentosemtetodocentro.com.br/preta. Acesso em: 15 maio 2022.

ROCHA, Andrea Pires. Segurança e racismo como pilares sustentadores do Estado burguês. Argumentum, [S.L.], v. 12, n. 3, p. 10-25, 24 dez. 2020. Universidade Federal do Espirito Santo. http://dx.doi.org/10.47456/argumentum.v12i3.32628.

SILVA, Ana Cláudia de Oliveira da. As escritas de si e a emergência da autoficção: um campo de indefinições. Literatura e Autoritarismo, Santa Maria, v. -, n. 20, p.

-174, 13 jul. 2017. Universidade Federal de Santa Maria. http://dx.doi.org/10.5902/1679849x27984.

SOUZA, Angela Maria de; ALVES, Júlia Batista; RAMOS, Flavia Regina Dorneles (org.). Vozes mulheres da Améfrica Ladina. São Paulo: Dandara, 2022.

SUDRÉ, Lu. "Onde está a Justiça?", diz Preta Ferreira, presa há mais de 70 dias sem provas. 2019. Disponível em: https://www.brasildefato.com.br/2019/09/09/onde-esta-a-justica-deste-pais-diz-preta-f erreira-presa-ha-72-dias-sem-provas#:~:text=Detida%20na%20Penitenci%C3%A1ria %20Feminina%20den%C3%A3o%20voltou%20mais%20para%20casa. Acesso em: 20 maio 2021.

TATAGIBA, Luciana; PATERNIANI, Stella Zagatto and TRINDADE, Thiago Aparecido. Ocupar, reivindicar, participar: sobre o repertório de ação do movimento de moradia de São Paulo. Opin. Publica [online]. 2012, vol.18, n.2, pp.399-426. ISSN 0104-6276. https://doi.org/10.1590/S0104-6276201.

Downloads

Publicado

2024-07-10

Como Citar

ALVES, Izandra; ORTIZ, Aryeli de Oliveira da Costa. Preta Ferreira: a prisão como quarto de despejo. REVELL - REVISTA DE ESTUDOS LITERÁRIOS DA UEMS, [S. l.], v. 3, n. 36, p. 445–463, 2024. DOI: 10.61389/revell.v3i36.7661. Disponível em: https://periodicosonline.uems.br/index.php/REV/article/view/7661. Acesso em: 22 jul. 2024.