O relato epistolar de transformação e liberdade da mulher negra em A Cor Púrpura de Alice Walker

Visualizações: 22

Autores

DOI:

https://doi.org/10.61389/revell.v3i36.8252

Palavras-chave:

escrita epistolar, Violência de gênero, A cor púrpura

Resumo

Este artigo demonstra o poder transformador da literatura e do processo de escrita por meio do romance A Cor Púrpura, de Alice Walker. Ele sintetiza as violências de gênero e racial vividas pela mulher preta que, por muito tempo, foi silenciada e invisibilizada. Através da intimidade da narrativa epistolar do livro, é possível perceber as violências que se propagam silenciosamente, herdadas de uma sociedade racista e sexista. Apontamos na história a realidade das personagens e mostramos o poder de transformação através do reconhecimento. Percebemos a importância da voz dada pelas autoras dessa onda de produção literária à liberdade da mulher preta e à luta por seus direitos de existir em uma realidade melhor que a englobe.

Biografia do Autor

Anna Clara do Nascimento Meneses, Universidade de Brasília

Graduada em Letras – Inglês pela Universidade de Brasília – Brasil. ORCID iD: https://orcid.org/0009-0004-6952-0714  E-mail: annaclara_127@hotmail.com

Michelle Andressa Alvarenga de Souza, Universidade de São Paulo

Mestra em Lingue Letterature Moderne pela Università degli studi di Torino – Itália. Doutoranda m Estudos Linguísticos e Literários em Inglês na Universidade de São Paulo – Brasil, com período sanduíche em University College Dublin - Irlanda.  Bolsista CAPES – Brasil. ORCID iD: https://orcid.org/0000-0001-8804-2923.  E-mail: michelle.alvarenga@gmail.com

Referências

BOURDIEU, P.; EAGLETON, T. A doxa e a vida cotidiana: uma entrevista. In: ŽIŽEK, S. (org.). Um mapa da ideologia. Rio de Janeiro: Contraponto, 2007. p. 265-278.

CUNHA, Maria Teresa Santos. Por hoje é só. Cartas entre amigas. In: BASTOS, M. H. C./CUNHA, M. T. S./MIGNOT, M.C.V. (Org.). Destinos das letras – história, educação e escrita epistolar. Passo Fundo: UPF, 2002.

LORDE, Audre. The Transformation of Silence into Language and Action. In: Sister outsider: essays and speeches. Trumansburg, NY: Crossing Press, 1984. p. 40-44.

MARTINS, Vanessa. Reflexão sobre a escrita epistolar como fonte histórica a partir da contribuição da teoria da literatura. Revista Língua & Literatura. Rio Grande do Sul, v. 13, n. 20, p. 61-72, 2011.

MORITZ, Ana Paula. Literatura e interseccionalidade: "A Resposta", de Kathryn Stockett, e os lugares de fala subalternos. Revista Desigualdade & Diversidade. Rio de Janeiro, n. 18, p. 55-69, 2020.

SAFFIOTI, H.I.B. O Poder do Macho. São Paulo: Moderna, 2002.

WALKER, Alice. A Cor Púrpura. Rio de Janeiro: José Olympio, 2021.

Downloads

Publicado

2024-07-10

Como Citar

MENESES, Anna Clara do Nascimento; SOUZA, Michelle Andressa Alvarenga de. O relato epistolar de transformação e liberdade da mulher negra em A Cor Púrpura de Alice Walker. REVELL - REVISTA DE ESTUDOS LITERÁRIOS DA UEMS, [S. l.], v. 3, n. 36, p. 344–367, 2024. DOI: 10.61389/revell.v3i36.8252. Disponível em: https://periodicosonline.uems.br/index.php/REV/article/view/8252. Acesso em: 22 jul. 2024.