Conexões entre autor e narrador-protagonista

autoficção em Essa gente, de Chico Buarque de Holanda

Visualizações: 25

Autores

DOI:

https://doi.org/10.61389/revell.v3i36.8254

Palavras-chave:

Essa gente, Chico Buarque, Autoficção

Resumo

O presente artigo propõe uma análise do romance Essa gente (2019), de Chico Buarque de Holanda, visando examinar aspectos da obra que evidenciam intersecções entre a vida do escritor e a história narrada. Parte-se do pressuposto de que o romance, escrito em primeira pessoa pelo protagonista, se situa no limiar entre autobiografia e ficção, no tipo de narrativa conhecido como autoficção, muito difundido atualmente. O hibridismo desse tipo de escrita de si convida o leitor a um constante questionamento sobre o que pertence à vida do autor e o que é construção ficcional. O aporte teórico para a discussão sobre a natureza da narrativa autoficcional será retirado dos estudos de Leyla Perrone-Moisés (2016), Karl Erik Schollhammer (2009), Serge Doubrovsky (2014), Luciene Azevedo (2008), Diana Klinger (2006) e Anna Faedrich (2015). O autor constrói um texto ambíguo e irônico no qual elementos autobiográficos e fictícios se entrelaçam possibilitando uma reflexão profunda sobre conflitos afetivos, declínios sociais, cicatrizes históricas e sobre a turbulenta conjuntura política brasileira de 2016 a 2019.

PALAVRAS-CHAVE: Essa gente; Chico Buarque; autoficção.

Biografia do Autor

Maria Jodailma Leite, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo

Mestra em Literatura e Crítica Literária pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo – Brasil. ORCID iD: https://orcid.org/0000-0002-9294-2649. E-mail:mjodailma@gmail.com 

Leila Cristina de Melo Darin, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo

Doutora em Comunicação e Semiótica pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo – Brasil. Professora Titular da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo – Brasil. ORCID iD: https://orcid.org/0000-0002-3831-4342. E-mail: lcdarin@pucsp.br

Referências

ALTMAN, Fábio. Novo livro de Chico Buarque impõe reflexão em torno de um Brasil rachado. Veja, 13 de novembro de 2019. Disponível: https://veja.abril.com.br/cultura/novo-livro-de-chico-buarque-impoe-reflexao-em-torno-de-um-brasil-rachado

ALVES, Jader Santos. A atuação policial na perspectiva de jovens negros: vozes dos invisíveis. 144 f. Dissertação (Mestrado Profissional em Segurança Pública, Justiça e Cidadania) - Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2017.

AZEVEDO, Luciene Almeida de. Autoficção e literatura contemporânea. Revista Brasileira de Literatura Comparada, v.12, 2008. Disponível: https://revista.abralic.org.br/index.php/revista/article/view/179/182

BARTHES, Roland. O rumor da língua; tradução Mario Laranjeira; revisão e tradução Andréa Stahel M. da Silva. 2. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2004.

BUARQUE, Chico. Essa gente. São Paulo: Companhia das letras, 2019.

CARVALHO, Cleide. Campeão de queimadas, Mato Grosso pode afrouxar regras ambientais. jornal O Globo. 13/08/2022. Disponível: https://umsoplaneta.globo.com/sociedade/noticia/2022/07/09/campeao-de-queimadas-mato-grosso-pode-afrouxar-regras-ambientais.ghtml

CYNTRÃO, Sylvia (org.). Chico Buarque, sinal aberto! Rio de Janeiro: 7 Letras, 2015.

DOUBROVSKY, Serge. O último eu. In: Ensaios sobre a autoficção. Trad. J. M. G. Noronha e M.I.C. Guedes. Belo Horizonte: UFMG, 2014.

FAEDRICH, Anna. O conceito de autoficção: demarcações a partir da literatura brasileira contemporânea. Itinerários: Revista de Literatura, v. 40, p. 45. Araraquara: Unesp 2015. Disponível: https://periodicos.fclar.unesp.br/itinerarios/article/view/8165/5547

HONOR, Rosangela; MONTEAGUDO Clarissa. Ricardo amava Celina, que amava Chico... Istoégente, 2015. Disponível: https://www.terra.com.br/istoegente/291/reportagens/capa_chico_01

HUTCHEON, Linda. Poética do pós-modernismo: história, teoria, ficção. Tradução Ricardo Cruz. Rio de Janeiro: Imago, 1991.

KLINGER, Diana Irene. Escritas de si, escritas do outro o retorno do autor e a virada etnográfica. Rio de Janeiro: 7 Letras, 2006.

LEITE, Maria Jodailma. Borrando as fronteiras entre realidade e ficção: autoficção em Essa gente, de Chico Buarque de Holanda. 100f. Dissertação (Mestrado em Literatura e Crítica Literária). Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2021.

LEITE, Maria Jodailma; Darin, Leila C. Melo. A contemporaneidade de Essa Gente, de Chico Buarque de Holanda. In: M.P. da Silva, D. Navas e M.M. Pereira. Produção literária contemporânea em Portugal e no Brasil: (re) pensando a pós-modernidade na prosa de ficção atual. Curitiba: Bagai, 2021.

LEJEUNE, Philippe. O pacto autobiográfico: de Rousseau à internet. Belo Horizonte: Ed. da UFMG, 2008.

MAZUI, Guilherme; RODRIGUES, Mateus. Entrega do prêmio Camões a Chico Buarque corrige 'um dos maiores absurdos' contra a cultura brasileira, diz Lula. g1, 24/04/2023. Disponível: https://g1.globo.com/politica/noticia/2023/04/24/entrega-do-premio-camoes-a-chico-buarque-corrige-um-dos-maiores-absurdos-contra-a-cultura-brasileira-diz-lula.ghtml

MICHEL, Fabio M. Inpe: Amazônia perdeu ‘uma Bélgica’ de floresta sob Bolsonaro. RBA- Rede Brasil Atual, 13/08/2022. Disponível: https://www.redebrasilatual.com.br/ambiente/inpe-amazonia-perdeu-uma-belgica-de-floresta-sob-bolsonaro/

MOREIRA, Carlos André. Em "Essa Gente", Chico Buarque reconstrói o Brasil como uma farsa afetada. GZH livros, 25 de nov de 2019. Disponível: https://gauchazh.clicrbs.com.br/cultura-e-lazer/livros/noticia/2019/11/em-essa-gente-chico-buarque-reconstroi-o-brasil-como-uma-farsa-afetada-ck3ew4xw400mz01o5jl8le489.html

NESTROVSKI, Arthur. Pequeno grande romance escrito por Chico Buarque resume o estado do país. Folha de São Paulo, 8 de nov de 2019. Disponível: https://www1.folha.uol.com.br/ilustrada/2019/11/pequeno-grande-romance-escrito-por-chico-buarque-resume-o-estado-do-pais.shtml

PERRONE-MOISÉS, Leyla. Mutações da literatura no século XXI. 1a ed. São Paulo: Companhia das Letras, 2016.

SANTIAGO, Silviano. O narrador pós-moderno. In: Nas malhas da letra. Rio de Janeiro: Rocco, 2002.

SCHOLLHANMMER, Karl Erick. Ficção brasileira contemporânea. Rio de janeiro: Editora civilização brasileira, 2009.

TAVARES, Rogério Faria. VIVER EM VOZ ALTA | “Essa gente”, de Chico Buarque. Diário do Comércio. 2020. Disponível:

https://diariodocomercio.com.br/exclusivo/viver-em-voz-alta-essa-gente-de-chico-buarque/

ZAPPA, Regina. Chico Buarque para todos. Rio de Janeiro: Relume Dumará: Prefeitura, 1999.

Downloads

Publicado

2024-07-10

Como Citar

LEITE, Maria Jodailma; DARIN, Leila Cristina de Melo. Conexões entre autor e narrador-protagonista: autoficção em Essa gente, de Chico Buarque de Holanda. REVELL - REVISTA DE ESTUDOS LITERÁRIOS DA UEMS, [S. l.], v. 3, n. 36, p. 165–189, 2024. DOI: 10.61389/revell.v3i36.8254. Disponível em: https://periodicosonline.uems.br/index.php/REV/article/view/8254. Acesso em: 22 jul. 2024.