O riso da prosa: o narrador dramatizado de Thomé Pinheiro da Veiga e seus fastos geniais

Autores

  • Paulo Ricardo Kralik Angelini Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul - PUC/RS

Palavras-chave:

narrador dramatizado, Thomé Pinheiro da Veiga, Fastigínia, literatura portuguesa.

Resumo

A inventividade na construção dos narradores é uma das grandes características da literatura portuguesa contemporânea. Entretanto, basta um olhar cuidadoso para se perceber uma série de referências, anteriores à contemporaneidade, que marcam forte presença na edificação deste narrador diferenciado. A tradição dos narradores dramatizados e conscientes de seu ofício, como prefigura Wayne Booth em A retórica da ficção, apresenta uma linha frutífera de escritores, potencializada no século XX. Contudo, é para o início do século XVII que este trabalho se volta, ao recuperar, dentro dessa tradição de narradores, um autor pouco estudado pela academia: Thomé Pinheiro da Veiga e seu Fastigínia.

Biografia do Autor

Paulo Ricardo Kralik Angelini, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul - PUC/RS

Doutor em Letras, pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS;

Professor Adjunto na Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul - PUC/RS.

Downloads

Publicado

29/04/2016

Como Citar

Angelini, P. R. K. (2016). O riso da prosa: o narrador dramatizado de Thomé Pinheiro da Veiga e seus fastos geniais. REVELL - REVISTA DE ESTUDOS LITERÁRIOS DA UEMS, 2(11), 168–181. Recuperado de https://periodicosonline.uems.br/index.php/REV/article/view/884