Preceitos aristotélicos na narrativa do cinema – em análise o filme Match Point, de Woody Allen

Autores

  • Cintia Sacramento Aquino Universidade Federal da Bahia - UFBA

Palavras-chave:

narratividade, intertextualidade, dialogismo.

Resumo

Uma mesma estória pode ser narrada de diferentes formas, como poesia ou prosa, e apresentada em diversos meios, como cinema, teatro, história em quadrinhos, ainda assim conservam elementos em comum que nos permitem criar teorias sobre como escrever uma tragédia, por exemplo, assim como fez Aristóteles ao escrever a Poética há mais de trezentos anos antes de Cristo. Através do conceito de intertextualidade proposto por Kristeva e ampliado por Genette através das categorias de transtextualidade, enxergamos pontos de intersecção entre a teoria literária escrita na Antiguidade e uma das formas contemporâneas de contar estórias: o cinema. Para esse artigo, adotou-se a perspectiva pragmática e interdisciplinar proposta por Pedro Cano, que identifica preceitos aristotélicos na prática de obras audiovisuais contemporâneas para se analisar o roteiro do filme Match Point, de Woody Allen.

Biografia do Autor

Cintia Sacramento Aquino, Universidade Federal da Bahia - UFBA

Mestranda em Literatura e Cultura, pela Universidade Federal da Bahia - UFBA

Downloads

Publicado

29/04/2016

Como Citar

Aquino, C. S. (2016). Preceitos aristotélicos na narrativa do cinema – em análise o filme Match Point, de Woody Allen. REVELL - REVISTA DE ESTUDOS LITERÁRIOS DA UEMS, 2(11), 239–253. Recuperado de https://periodicosonline.uems.br/index.php/REV/article/view/892