“Somos a nossa herança, uma herança gravada nas palavras de nossos ancestrais”

romance de filiação e memória geracional em Com armas sonolentas (2018) e Voyage in the dark (1934)

Visualizações: 12

Autores

Palavras-chave:

Literatura contemporânea, Romance de Filiação, Memória, Carola Saavedra, Jean Rhys

Resumo

Este artigo analisa, a partir de uma perspectiva comparada, a presença do gênero literário “romance de filiação” nas obras Com armas sonolentas (2018) de Carola Saavedra, e Voyage in the dark (1934), de Jean Rhys. Apesar das distâncias temporais e geográficas entre as autoras, ambas narrativas, cada qual a seu modo, exploram a trajetória de protagonistas femininas, que enfrentam desafios familiares, financeiros e culturais, enquanto constroem suas próprias identidades. Segundo Dominique Viart (2008) a “narrativa de filiação” tem como principal característica a exploração da ancestralidade das protagonistas como parte do processo de autodescoberta; sendo assim, investigamos como as narradoras dos romances em análise reconstituem  suas genealogias, enquanto buscam conhecer a si mesmas.

Biografia do Autor

Giovanna de Oliveira Duarte, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”/Assis

Mestranda em Letras na Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”/Assis –Brasil. ORCID iD: https://orcid.org/0000-0002-8179-4724. E-mail: giovannaduarte281999@gmail.com.

Maria de Fatima Alves de Oliveira Marcari, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”/Assis

Doutora em Letras pela Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”/Assis –Brasil. Professora Assistente Doutora  na  Universidade Estadual  Paulista “Júlio  de Mesquita Filho”/Assis–Brasil. ORCID iD: https://orcid.org/0000-0002-9774-0085. E-mail: fatima.marcari@unesp.br

Referências

ANZALDÙA, Gloria. Borderlands/La frontera (The new mestiza). San Francisco: Aunt Lute Books, 1987.

ASSMANN, Aleida. Espaços da recordação: formas e transformações da memória cultural. Campinas: Unicamp, 2011.

BERND, Zilá. A persistência da memória. Porto Alegre: BesouroBox, 2018.

DEMANZE, Laurent. Encres orphelines: Pierre Bergounioux, Gérard Macé, Pierre Michon. Paris: José Corti, 2008.

ELKIN, Lauren. Flâneuse: mulheres que caminham pela cidade em Paris, Nova York, Tóquio, Veneza e Londres. Tradução Denise Bottmann. São Paulo: Fósforo, 2022.

FERREIRA, Josye Gonçalves. Entre paisagens e inventários: o projeto literário de Carola Saavedra. Tese. Doutorado. Programa de Pós-graduação em Estudos Literários. Universidade Federal de Uberlândia, 2021.

FIGUEIREDO, Eurídice. A resistência, de Julián Fuks: uma narrativa de filiação. Estudos de Literatura Brasileira Contemporânea, n. 60, pp. 1–8, 2020. Disponivel em: https://doi.org/10.1590/2316-4018605. Acesso em: 25 de maio de 2022.

FRIEDMAN, Susan S. Bodies on the move: a poetics of home and diaspora. Tulsa Studies in Women's Literature. University of Wisconsin-Madison. v. 23, pp. 189-212, 2004.

NOUSS, Alexis. Pensar o exílio e a migração hoje. Tradução: Ana Paula Coutinho. Porto: Afrontamento, 2016.

RHYS, Jean. Smile please: an unfinished autobiography. London: Penguin Classics, 2016.

RHYS. Jean. Voyage in the dark. London: Norton, 1982.

SAAVEDRA, Carola. A estética diaspórica de Carola Saavedra: entrevista. Antares: Letras e Humanidades. Caxias do Sul, v. 11, n. 22, 2019. Disponível em: http://www.ucs.br/etc/revistas/index.php/antares/article/view/7332/3817. Acesso em: 27 de julho de 2023.

SAAVEDRA, Carola. Com armas sonolentas: um romance de formação. São Paulo: Companhia das Letras, 2018.

SAAVEDRA, Carola. Casa Bondelê FLIP 2018: Bate-papo com Carola Saavedra, autora de Com armas sonolentas. Entrevista concedida a Anna Monteiro. Bondelê. Paraty, 2018b.

SAVORY, Elaine. The Cambridge Introduction to Jean Rhys. London: Cambridge Press, 2009.

VIART, Dominique; VERCIER, Bruno. La littérature française au présent: héritage, modernité, mutations. Paris: Bordas, 2008.

Downloads

Publicado

2024-07-10

Como Citar

DE OLIVEIRA DUARTE, Giovanna; ALVES DE OLIVEIRA MARCARI, Maria de Fatima. “Somos a nossa herança, uma herança gravada nas palavras de nossos ancestrais” : romance de filiação e memória geracional em Com armas sonolentas (2018) e Voyage in the dark (1934). REVELL - REVISTA DE ESTUDOS LITERÁRIOS DA UEMS, [S. l.], v. 3, n. 36, p. 464–484, 2024. Disponível em: https://periodicosonline.uems.br/index.php/REV/article/view/8962. Acesso em: 22 jul. 2024.