TRAJETÓRIA ESCOLAR DE ESTUDANTES EGRESSOS DE PROGRAMAS DE CORREÇÃO DE FLUXO

Visualizações: 533

Autores

  • Jeane Cristina S. Oliveira de Souza
  • Edelir Salomão Garcia

Resumo

RESUMO

 Diversos estudos foram realizados no Brasil na tentativa de explicar o fracasso escolar, fatores internos e externos à escola são apontados como causas do fracasso e a partir dos anos de 1990, mecanismos foram adotados para combater a evasão e a repetência dos alunos das escolas públicas. Atualmente o governo tem utilizado programas de correção de fluxo escolar na tentativa de minimizar e/ou solucionar os problemas referentes ao fracasso escolar e a distorção idade/série. Esse artigo tem por objetivo analisar os resultados escolares de estudantes egressos de programas de correção de fluxo (Se Liga e Acelera Brasil) adotados numa escola localizada em um município no interior do estado de Mato Grosso do Sul, assim, verificar se os programas têm contribuído ou não para o sucesso escolar nos anos/séries dos alunos após a passagem pelos mesmos. Como metodologia de pesquisa foi adotada a documental. Foram analisados documentos escolares referentes ao registro de aproveitamento escolar dos egressos dos programas de 2010 a 2012. Os dados evidenciaram que o fracasso escolar ainda não foi superado na vida de alguns egressos, e que a trajetória escolar dos estudantes após a passagem pelos programas de correção de fluxo permaneceu acidentada e com paradas, pois ao cursarem o ensino regular os egressos ficaram retidos e reviveram os mesmos problemas que os conduziram a distorção idade série. Espera-se contribuir para o debate nessa área, verificando se esta política pública educacional tem propiciado um avanço significativo para a educação brasileira.

 

Palavras - Chave: Fracasso Escolar. Instituto Ayrton Senna. Inclusão/exclusão escolar.

Referências

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

BAHIA, N. P. Políticas de enfrentamento do fracasso escolar: inclusão ou reclusão dos excluídos. REUNIÃO NACIONAL DOS PESQUISADORES EM EDUCAÇÃO (ANPEd), 27.Sociedade, Democracia e Educação: Qual Universidade?2004, Caxambú. Anais...

Caxambú: ANPEd, 2004.15 p. Disponível em:

<http://www.anped.org.br/reunioes/27/gt05/t0515.pdf> Acesso em: 10 abr. 2013.

BOURDIEU, P.; CHAMPAGNE, P. Os excluídos do interior. In CATANI, A.; NOGUEIRA, M. A. Escritos em Educação. 10. ed. Petrópolis: Vozes, 2008. p. 217-227.

FREITAS, L. C. Eliminação Adiada: o ocaso das Classes Populares no Interior da Escola e a Ocultação da (Má) Qualidade do Ensino. Revista Educação e Sociedade. 2007, v. 28, n.100, p. 965-987. Disponível em: . Acesso em: 22 Jan. 2013.

FIGUEIREDO, I. M.Z.Os projetos financiados pelo banco mundial para o ensino fundamental no Brasil. Educação e Sociedade. v. 30, n.109, p.1123-1138, 2009.Disponível em:.Acesso em:08 out. 2013.

GOMES, C. A. Desseriação Escolar: Alternativa para o sucesso? Ensaio. 2005, v.13, n. 46,

p.11-38. Disponível em: . Acesso em: 03 nov. 2013.

INSTITUTO AYRTON SENNA. São Paulo: IAS, 2014. Disponível em:

<http://senna.globo.com/institutoayrtonsenna/>. Acesso em: 05 mar. 2014.

LÜDKE, M.; ANDRÉ, M. E. D. A. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São

Paulo: EPU, 1986.

MAIOLINO, E. V. S. Programa de Correção de Aceleração de Aprendizagem como Política Pública Educacional. 2002. Dissertação de (Mestrado em Educação)- Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, Campo Grande, 2002.

NOGUEIRA, C.M.M.; NOGUEIRA, M. A. A sociologia da Educação de Pierre Bourdieu: Limites e Contribuições. Revista Educação e Sociedade, ano XXIII, v. 8, n. 78, Abril 2002 p. 15- 35.

OLIVEIRA, A. C.; HADDAD, S. As Organizações da Sociedade Civil e as ONGs de educação. Cadernos de Pesquisa. São Paulo, n. 112, p. 61-83, Março 2001. Disponível em: . Acesso em: 23 Out. 2013.

OLIVEIRA, J. B. A. Correção do Fluxo Escolar: Um Balanço do Programa Acelera Brasil

(1997-2000). Cadernos de Pesquisa, n. 116, p. 177- 215. Julho 2002. Disponível em:

. Acesso em: 23 Out. 2013.

PERONI, V. M.V. Conexões entre o Público e o Privado no Financiamento e Gestão da Escola Pública. EccoS - Revista Científica, vol.8, n.1, p.111-132, jan./jun. 2006.

PRADO, I. G. de A. LDB e políticas de correção de fluxo escolar. Em Aberto, Brasília, v.17, n. 71, p. 49-56, jan. 2000.

ROMANELLI, O. O. História da Educação do Brasil. 39 ed. Petrópolis, Rj: Vozes, 2013.

SETUBAL, M. A. Apresentação do tema Programas de Correção de Fluxo Escolar. Brasília:

Em aberto/INEP, 2000.

SISTEMÁTICA de acompanhamento dos Programas Se Liga e Acelera Brasil. São Paulo:

Global, 2010.

Downloads

Publicado

2018-09-19

Como Citar

de Souza, J. C. S. O., & Garcia, E. S. (2018). TRAJETÓRIA ESCOLAR DE ESTUDANTES EGRESSOS DE PROGRAMAS DE CORREÇÃO DE FLUXO. REVISTA BRASILEIRA DE EDUCAÇÃO, CULTURA E LINGUAGEM, 1(1). Recuperado de https://periodicosonline.uems.br/index.php/educacaoculturalinguagem/article/view/2161