O POTENCIAL DAS PESSOAS COM SÍNDROME DE ASPERGER NO EXERCÍCIO DA PESQUISA ACADÊMICA E DO MAGISTÉRIO

Visualizações: 745

Autores

Palavras-chave:

comunicação, interesses específicos, habilidades

Resumo

A Síndrome de Asperger foi identificada na década de 1940 e faz parte do Transtorno Global de Desenvolvimento. O conjunto de sintomas de dificuldade de convívio social, excesso de foco em atividades específicas e repetitivas, e racionalidade individualista com falta de interesses afetivos são aspectos da Síndrome de Asperger, também denominada como Autismo Leve. Neste artigo busca apresentar os potenciais das habilidades desenvolvidas pelos SA, através dos interesses específicos pelo foco em especialidades acadêmicas. A inclusão educacional, além de considerar a necessidade do diagnóstico de crianças e adolescentes, pode atuar na inserção de professores SA, com o desenvolvimento do apoio coletivo dos profissionais da educação no aprimoramento da comunicação e linguagem didática. A sala de aula pode ser considerada um desafio para o professor SA, diante da diversidade dos alunos, ser o centro das atenções e falar em público, resultados negativos de atuação indireta e diversidade de temas do conteúdo curricular com novas adaptações tecnológicas. Dentre os potenciais para o exercício do magistério pelo SA existem: rigor metodológico, atenção em detalhes nas aplicações das metodologias, soluções rápidas para problemas teóricos e práticos e linguagem escrita aprimorada.

Biografia do Autor

Alyson Bueno Francisco, Centro Estadual de Educação Tecnológica Paula Souza

Doutor em Geografia (2017), Mestre em Geografia (2011), Bacharel e Licenciado em Geografia pela Universidade Estadual Paulista Campus de Presidente Prudente. Licenciado em Filosofia pela Universidade de Franca. Defendeu o doutorado aos 30 anos de idade. Realizou estágio pós-doutoral de 12 meses com bolsa da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Foi bolsista da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP) nas modalidades de iniciação científica, mestrado e doutorado. Possui 38 publicações em 2018 e 2019. Passou por todos os níveis de ensino em escolas públicas e universidade pública. Atuou profissionalmente nas esferas federal (IBGE), estadual (professor no Centro Paula Souza e tutor em EAD pela FUNDUNESP) e municipal (técnico em agrimensura). Possui publicações com autoria individual em 8 livros, 6 capítulos, 26 artigos nacionais e artigo internacional. É pesquisador dos temas: erosão urbana, monitoramento de boçorocas, controle de erosão, cartografia em grandes escalas e extensão universitária em práticas de conservação da natureza.

Referências

ATTHOOD, T. The complete guide to Asperger’s Syndrome. Filadélfia: Kingsley Publishers, 2007.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 25.ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2002.

KLIN, A. Autismo e síndrome de Asperger: uma visão geral. Brazilian Journal of Psychiatry, v. 28, 2006.

ORRÚ, S. E. Autismo: o que os pais devem saber? Rio de Janeiro: Walk Editora, 2011.

RODRIGUES, E. B. S. Síndrome de Asperger: percursos na Educação. Dissertação (Mestrado em Educação), Universidade Cidade de São Paulo, 2015, 66f.

SAMPAIO, C. T.; SAMPAIO, S. R. Educação Inclusiva: o professor mediando para a vida. Salvador: Editora da Universidade Federal da Bahia, 2009.

Downloads

Publicado

2020-12-18

Como Citar

Francisco, A. B. (2020). O POTENCIAL DAS PESSOAS COM SÍNDROME DE ASPERGER NO EXERCÍCIO DA PESQUISA ACADÊMICA E DO MAGISTÉRIO. REVISTA BRASILEIRA DE EDUCAÇÃO, CULTURA E LINGUAGEM, 4(7), 87–99. Recuperado de https://periodicosonline.uems.br/index.php/educacaoculturalinguagem/article/view/5592