ADAPTAÇÃO CURRICULAR: um estudo de caso sobre a incorporação desse procedimento no ensino fundamental

Visualizações: 832

Autores

Palavras-chave:

Adaptação, Currículo, Formação

Resumo

Este artigo tem o objetivo de discutir a adaptação curricular como um dos direitos de aprendizagem de estudantes com deficiência. A metodologia utilizada é o estudo de caso, com foco na experiência pedagógica de professores de Matemática, História e Ciências que lecionam para estudantes com deficiência no Ensino Fundamental II. Como instrumental de coleta de dados analisamos os resultados obtidos através de um questionário estruturado, composto por questões relacionadas à formação inicial e continuada, os desafios observados por esse professores para adaptar o currículo e as estratégias construídas por eles para garantir o ensino dos conteúdos em suas respectivas disciplinas. A investigação demonstrou que a formação inicial é deficitária no que se refere ao debate da inclusão, e que esses profissionais se sentem desamparados na elaboração dos seus planejamentos de forma que atenda a todos, principalmente no que tange aos alunos com deficiência.

Biografia do Autor

Thais Regina de Freitas Salgado

Especialista em Educação Especial na Área de Transtorno Global do Desenvolvimento pela UNESP. Professora da rede municipal de ensino de São Paulo, exercendo a função de Professora de Atendimento Educacional Especializado (PAEE). Atuo na área docente com experiência na promoção de aprendizagens que favoreçam a inclusão dos alunos no mundo da cultura, ciência, novas tecnologias, colaborando na implementação de projetos pedagógicos na unidade escolar em que atua.

Referências

ANDRÉ, M. (2010). Formação de Professores: a Constituição de um Campo de Estudos. Educação, 33(3). Recuperado de https://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/faced/article/view/8075 , acesso em 01set.2020

¬¬¬BRASIL. Lei nº 12796, de 04 de abril de 2013. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial da União, Brasília, 24 dez.1996. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm, Acesso em: 30 de agosto 2020.

BRASIL. Política Nacional de Educação Especial na perspectiva da Educação Inclusiva. Diário Oficial da União, Brasília: MEC/SEESP, 2008a.

BRASIL. CNE. Resolução CNE/CP 1/2002. Brasília, 9 de abril de 2002. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/rcp01_02.pdf, Acesso em: 09 de novembro 2020.

COLLI, Fernando. et. al. Começando uma travessia pela ponte. In: estilos da clínica: revista sobre a infância. São Paulo, 1997.

MADUREIRA, Isabel Pizarro; LEITE, Teresa Santos. Necessidades Educativas Especiais. Lisboa: Universidade Aberta, 2003.

VILARONGA, C.A.R; MENDES, E. G.. Ensino colaborativo para o apoio à inclusão escolar: práticas colaborativas entre os professores. Rev. bras. Estud. pedagog. (online), Brasília, v. 95, n. 239, p. 139-151, jan./abr. 2014. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbeped/v95n239/a08v95n239.pdf. Acesso em 30.ago.2020

ZERBATO, A.P.; MENDES, E. G.. Desenho universal para a aprendizagem como estratégia de inclusão escolar. Educação Unisinos 22(2):147-155, abril-junho 2018 Unisinos. Disponível em: http://revistas.unisinos.br/index.php/educacao/article/view/edu.2018.222.04/60746207. Acesso em 30.ago.2020

Downloads

Publicado

2020-12-18

Como Citar

Salgado, T. R. de F. (2020). ADAPTAÇÃO CURRICULAR: um estudo de caso sobre a incorporação desse procedimento no ensino fundamental. REVISTA BRASILEIRA DE EDUCAÇÃO, CULTURA E LINGUAGEM, 4(7), 39–53. Recuperado de https://periodicosonline.uems.br/index.php/educacaoculturalinguagem/article/view/5646