O VIVIDO NA PRODUÇÃO ARTÍSTICO-LITERÁRIA DE JOSÉ GENÉSIO FERNANDES: da taipa do fogão para o mundo

Maria Leda Pinto, Leia Teixeira Lacerda

Resumo


Neste texto buscamos refletir sobre a autobiografia poética, de José Genésio Fernandes, Da Taipa do fogão, elaborada no final da década de 1990. Essa autobiografia revela um homem sensível, artista das palavras, leitor dedicado e artista plástico singular, que pinta em telas seus sentimentos e sua amorosidade pela vida e pela natureza, dando materialidade a seres fantásticos, colocando o seu Outro diante de janelas que se constituem em enunciados dialógicos, como nos ensina Bakthin (2016).

Palavras-chave


Taipa;Fogão

Texto completo:

PDF

Referências


ABRAMOVICH, Fanny. Asas de Papel (escrito exclusivamente para a Formato). Formato outdoor, São Paulo, (S. D).

BAKHTIN, Mikhail. Os Gêneros do Discurso. Trad. Paulo Bezerra. São Paulo: Editora 34, 2016.

FERNANDES, José Genésio. Da Taipa do Fogão. Mimeografado. Campo Grande, (S.D).

JOYCE, James. Um retrato do artista quando jovem. Trad. Caetano W. Galindo. São Paulo: Penguin Classics Companhia das Letras, 2016.

MERLEAU-PONTY, Maurice. Fenomenologia da percepção. Trad. Carlos Alberto Ribeiro de Moura. 2. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1999.

SPINOZA, Benedictus de. Tratado da Reforma da Inteligência. Trad. Lívio Teixeira. São Paulo: Martins Fontes. 2004.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

ISSN: 2526-4052

Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul

Unidade Universitária de Campo Grande

Indexadores: SUMARIOS.ORG   LATINDEX   SEER/IBICT DIADORIM   GOOGLE ACADÊMICO