O COTIDIANO E FESTEJOS NA COMUNIDADE PANTANEIRA DE SÃO PEDRO DE JOSELÂNDIA – BARÃO DE MELGAÇO/MT

Visualizações: 67

Autores

DOI:

https://doi.org/10.61389/rbecl.v7i13.7720

Palavras-chave:

Educação, Histórico-cultural, Pantanal

Resumo

Neste artigo, discute-se a construção das identidades individuais e coletivas por meio das práticas culturais, especialmente as festas populares votivas. Reflete-se sobre os conceitos de cultura, lugares de memória, identidade e aprendizagem a partir de uma análise bibliográfica. Além disso, examinam-se aspectos sobre a Festa Popular Votiva dedicada a São Pedro, realizada na comunidade de São Pedro, distrito de Joselândia, localizado no município de Barão de Melgaço, Mato Grosso. A festa, como prática cultural, contribui para a construção de identidades da comunidade, em uma inter-relação com tradição e sentimento de pertencimento ao grupo. Assim, entende-se que as festas populares votivas são ferramentas importantes para a construção das culturas dos grupos e suas identidades coletivas e individuais.

Biografia do Autor

Beleni Salete Grando, www.ufmt.br

Pós-Doutora em Antropologia Social (2011) e Doutora em Educação (2004) pela UFSC, graduou-se em Educação Física na Universidade Federal de Mato Grosso (1985) onde integra o quadro docente (2011) da Faculdade de Educação Física e do Programa de Pós-Graduação em Educação na linha de pesquisa Movimentos Sociais, Política e Educação Popular. Integra como pesquisadora o Comitê Científico do Grupo de Trabalho Temático Corpo e Cultura do CBCE (2004), a Rede Mover sob coordenação de Reinaldo Fleuri (1999), criando em 2004 o Grupo de Pesquisa Corpo, Educação e Cultura - COEDUC/CNPq. Colabora com o Núcleo de Estudos e Populações Indígenas (NEPI/UFSC) e com o Laboratório de Estudos e Pesquisa da Diversidade daAmazônia Legal (LEAL/Unemat). Atualmente coordena pelo PPGE/UFMT a Rede Procad-Amazônia/Capes (2018) com o PPGEDUC/UFPA e PPGE/UFAM, e a Rede UFMT (2016) - Ação Saberes Indígenas na Escola com a Unemat e UFR. Os temas de estudos são: educação intercultural, educação do corpo, educação indígena. educação da criança e cultura popular. 

Referências

AMARAL, Rita de Cássia de Mello Peixoto. Festa à brasileira: significados do festejar, no país que "não é serio". São Paulo: Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo, 2001.

BENEDETTI, Luís Roberto. Os santos nômades e o Deus estabelecido: um estudo sobre religião e sociedade. São Paulo: Paulinas, 1983.

BRANDÃO, Carlos R. Cavalhadas de Pirenópolis. Goiânia: Editora Oriente, 1981.

BRANDÃO, Carlos R. O que é educação. São Paulo: Brasiliense, 1981.BRANDÃO, Carlos Rodrigues. Memória do Sagrado: estudos de religião e ritual. São Paulo: Paulinas, 1985.

Cavalgada enriquece a centenária Festa de São Pedro de Joselândia. Mídia News, 2013. Disponível em: https://www.midianews.com.br/cotidiano/cavalgada-enriquece-a-centenaria-festa-de-sao-pedro-de-joselandia/165262. Acesso em: 10 maio 2023.

CAVIGNAC, Julie A. Reconstruindo o passado: Memórias migrantes da zona Norte de Natal. Travessia – Revista do migrante, São Paulo, ano XI, n. 32, p. 36-40, set.- dez. 1998. DOI: https://doi.org/10.48213/travessia.i32.627

DEL PRIORE, Mary. Festas e utopias no Brasil colonial. São Paulo: Brasiliense, 1994.

ELIADE, Mircea. O Sagrado e o Profano. A Essência das Religiões. São Paulo: Martins Fontes, 1992.

GEERTZ, Clifford. A interpretação das culturas. Rio de Janeiro: LTC, 1989.

GRANDO, Beleni Saléte. Cultura e dança em Mato Grosso: Catira, Curussé, Folia de Reis, Siriri, Cururu, São Gonçalo, Rasqueado e Dança Cabocla na Região de Cáceres. Ilustração: Claudyo Casares. Cuiabá, MT: Central de Texto; Cáceres, MT: Unemat Editora, 2005.

KAWAHARA, L. S. I.; SATO, M. T. Festa de São Pedro e Serviços Ecossistêmicos Culturais: aprendizagens de um Grupo Pesquisador em Educação Ambiental no Pantanal. Revista Brasileira de Educação Ambiental (RevBEA), [S. l.], v. 10, n. 1, p. 221–240, 2015. DOI: 10.34024/revbea.2015.v10.1913. Disponível em: https://periodicos.unifesp.br/index.php/revbea/article/view/1913. Acesso em: 27 jun. 2023. DOI: https://doi.org/10.34024/revbea.2015.v10.1913

LUIZ, Janailson Macêdo. Caiana dos Crioulos e seus encantos: problematizando a constituição de lugares de memória em uma comunidade quilombola paraibana. História Oral, [S. l.], v. 22, n. 1, p. 102-124, 2019. Disponível em: https://revista.historiaoral.org.br/index.php/rho/article/view/890. Acesso em: 20 jun. 2023.

OLIVEIRA, Pedro Ribeiro de. Adeus à sociologia da religião popular. Religião e sociedade, Rio de Janeiro, ISER, v. 18, n. 2, dez. 1997.

QUEIROZ, Maria Isaura Pereira. O campesinato brasileiro: ensaios sobre civilização e grupos rústicos no Brasil. Petrópolis: Vozes, 1973.

SANCHIS, Pierre. Arraial: festa de um povo – romarias portuguesas. Lisboa: Publicações Dom Quixote, 1992.

SANTOS, Milton de Almeida Santos. Por uma geografia cidadã: por uma epistemologia da existência. Boletim Gaúcho de Geografia, Porto Alegre, n. 21, p. 7-14, agosto 1996. Disponível em: hhttp://ser.ufrgs.br/bgg/article/view/38613/26350. Acesso em: 15 set. 2021.

ZALUAR, Alba. Os homens de Deus. Um estudo dos santos e das festas no catolicismo popular. Rio de Janeiro: Zahar, 1983.

Downloads

Publicado

2023-11-27

Como Citar

dos Anjos Oliveira, I., & Salete Grando, B. (2023). O COTIDIANO E FESTEJOS NA COMUNIDADE PANTANEIRA DE SÃO PEDRO DE JOSELÂNDIA – BARÃO DE MELGAÇO/MT. REVISTA BRASILEIRA DE EDUCAÇÃO, CULTURA E LINGUAGEM, 7(13), e713235. https://doi.org/10.61389/rbecl.v7i13.7720

Edição

Seção

Artigos