AS (RÉS) EXISTÊNCIAS EM UM PRESÍDIO FEMININO: UMA ETNOGRAFIA

Visualizações: 100

Autores

  • Weronica Derene Adamowski Universidade Estadual do Mato Grosso do Sul (UEMS).
  • Célia Maria Foster Silvestre Pós-doutoramento no Núcleo de Estudos sobre Democracia, Cidadania e Direito – CES –UC.
  • Eliana Lamberti Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS).

DOI:

https://doi.org/10.61389/dfc.v5i8.4185

Resumo

O artigo apresenta dados referentes à pesquisa etnográfica desenvolvida junto ao Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Regional e de Sistemas Produtivos da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul/ UEMS, Unidade Universitária de Ponta Porã, no período de 2016 a 2018, em estudo com mulheres encarceradas do Estabelecimento Penal Feminino, locado na mesma cidade. Buscou vislumbrar, nas histórias de vida dessas mulheres, como se estabeleciam as relações entre criminalidade, gênero e poder. O objetivo, tanto quanto ao método quanto ao campo de pesquisa foi o de introduzir novas abordagens nos estudos do desenvolvimento regional, trazendo contextos e sujeitos que, embora estejam nesse cenário, não são in-corporados aos estudos na área. Ainda a respeito do método, aventou-se a perspectiva de produzir conhecimento social a partir da valorização da experiência humana, evidenciando não apenas as vivências das pessoas as quais se almeja conhecer – nesse caso, mulheres em situação de detenção - como também as do próprio investigador, aliás, uma das particularidades do método. Considerar o investigador como parte integrante da pesquisa remete ao entendimento de que os dados são captados na relação deste com os sujeitos sociais presentes, fazendo parte da relação de pesquisa e da produção de conhecimento. Desta maneira, a experiência de percorrer o caminho do (des)conhecimento para chegar ao reconhecimento dos fenômenos sociais desde a perspectiva dos sujeitos sociais pesquisados, é o que pretendemos compartilhar neste trabalho.

Biografia do Autor

Weronica Derene Adamowski, Universidade Estadual do Mato Grosso do Sul (UEMS).

Psicóloga (CESUMAR) e Mestra em Desenvolvimento Regional e de Sistemas Produtivos - Universidade Estadual do Mato Grosso do Sul (UEMS).

Célia Maria Foster Silvestre, Pós-doutoramento no Núcleo de Estudos sobre Democracia, Cidadania e Direito – CES –UC.

Doutora em Sociologia (UNESP), Pós-doutoramento no Núcleo de Estudos sobre Democracia, Cidadania e Direito – CES –UC.

Eliana Lamberti, Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS).

Doutora em Economia do Desenvolvimento (UFRGS), Docente do Programa de Pós-graduação em Desenvolvimento Regional e Sistemas Produtivos – Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS).

Downloads

Publicado

2021-01-15

Como Citar

Adamowski, W. D., Foster Silvestre, C. M., & Lamberti, E. (2021). AS (RÉS) EXISTÊNCIAS EM UM PRESÍDIO FEMININO: UMA ETNOGRAFIA. DESENVOLVIMENTO, FRONTEIRAS E CIDADANIA, 5(8), 30–51. https://doi.org/10.61389/dfc.v5i8.4185

Edição

Seção

DOSSIÊ: BIOECONOMIA, MUDANÇAS CLIMÁTICAS E DESENVOLVIMENTO TERRITORIAL