DESAFIOS À AUTOGESTÃO E À COOPERAÇÃO EM EMPREENDIMENTOS ECONÔMICO SOLIDÁRIOS

Maria Luiza Milani, Paulo Guilherme da Silva Stahnke, Jairo Marchesan

Resumo


No contexto da economia solidária (ES) e dos empreendimentos econômicos solidários (EES), a reflexão acerca das formas de gestão é de suma importância, principalmente quando visualizamos diferenças significativas entre a gestão dos EES e das demais iniciativas das organizações produtivas, econômicas e públicas. Sendo assim, o objetivo deste artigo é o de relatar alguns desafios para a promoção da autogestão e da cooperação em EES incubados por Incubadoras Tecnológicas de Cooperativas Populares (ITCP) solidárias catarinenses. A presente pesquisa é de natureza exploratória e descritiva. O estudo ocorreu com entrevistados coordenadores e participantes dos EES de três ITCP, totalizando trinta e nove participantes. Os dados evidenciaram que todos os entrevistados reconhecem seus empreendimentos como autogestionários, embora tenham sido observadas características cogestionárias evidentes em oito dos onze EES analisados. Apesar de apontadas lideranças que ainda se mantém dominantes nos empreendimentos, as relações afetivas, de mutualidade e a crescente participação nos espaços públicos de tomada de decisão têm sido decisivas para o amadurecimento dos processos autogestionários. A autogestão ocorre quando o grupo alcança nível de cooperação que resulte em ações coletivas, nesse sentido, a cooperação e a autogestão são dois desafios a serem consolidados pelos EES no âmbito das ITCP.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.