FORMAÇÃO HISTÓRICO-ANTROPOLÓGICA BRASILEIRA E SEUS IMPACTOS SOBRE O DESENVOLVIMENTO

Autores

  • Rafaela Hort Universidade do Contestado
  • Sandro Luiz Bazzanella Programa de Pós-graduação (Mestrado e Doutorado) em Desenvolvimento Regional da Universidade do Contestado (UnC).
  • Alexandre Assis Tomporoski Programa de Pós-graduação (Mestrado e Doutorado) em Desenvolvimento Regional da Universidade do Contestado (UnC).

Resumo

Este artigo é resultado de pesquisa bibliográfica a partir de estudos da obra do antropólogo Darcy Ribeiro, “O povo brasileiro: a formação e o sentido do Brasil” e do sociólogo Raymundo Faoro: “Os donos o poder”.  O objetivo deste estudo é investigar aspectos históricos e, sociais que conformam os limites constitutivos da sociedade brasileira em compreender a si mesma. Ou seja, de se tomar como objeto de estudo revisitando suas bases socio históricas reveladoras dos limites de constituição de um espaço público que salvaguardasse o bem comum dos interesses privados. Ainda nesta direção, trata-se de compreender a constituição de suas instituições políticas que alicerçadas em bases legais não se apresentaram em suas origens plenamente legítimas na defesa dos interesses públicos. Assim, constatamos que desde seus primórdios nos conformamos com uma sociedade marcada pela diversidade étnica em que negros, índios e, afrodescendentes não foram e ainda não se encontram integrados plenamente na sociedade brasileira. Esta condição se encontra presente na ausência do direito de propriedade, nos limites do princípio de isonomia, nas dificuldades de acessos aos bens públicos, como educação e saúde. Parte desta sociedade é exposta a violência física e simbólica gerando um tecido social marcado pela desconfiança. Esta são algumas das variáveis analíticas que este artigo coloca em debate como forma de contribuir com os esforços e a premente necessidade de nos reconhecermos como sociedade brasileira em nossos limites e em nossas potencialidades.

Biografia do Autor

Rafaela Hort, Universidade do Contestado

Possui graduação em fisioterapia pela Associação Catarinense de Ensino (2005) e mestrado em Desenvolvimento Regional pela Universidade do Contestado (2019). Tem experiência na área de Fisioterapia e Terapia Ocupacional, com ênfase em Fisioterapia e Terapia Ocupacional. Experiencia em trabalho institucional por 12 na APAE de Mafra Santa Catarina. Atualmente professora no SENAC de Mafra Santa Catarin

Sandro Luiz Bazzanella, Programa de Pós-graduação (Mestrado e Doutorado) em Desenvolvimento Regional da Universidade do Contestado (UnC).

Possui graduação em Filosofia pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras Dom Bosco (1989). Mestrado em Educação e Cultura pela Universidade do Estado de Santa Catarina (2003) e, doutorado em Interdisciplinar em Ciências Humanas pela Universidade Federal de Santa Catarina (2010). Atualmente é professor titular de filosofia da Universidade do Contestado na graduação no Programa de Mestrado em Desenvolvimento Regional. Tem experiência na área de filosofia política contemporânea dialogando com autores como Nietzsche e Agamben e, atuando nas seguintes áreas temáticas: História da filosofia, filosofia da história, filosofia política e ética, técnica, Estado e biopolítica. Foi coordenador do Programa de Mestrado em Desenvolvimento Regional da Universidade do Contestado no biênio 2014/2015 e é Editor-Chefe da Revista Profanações

Alexandre Assis Tomporoski, Programa de Pós-graduação (Mestrado e Doutorado) em Desenvolvimento Regional da Universidade do Contestado (UnC).

Possui graduação em História pela Universidade do Estado de Santa Catarina (2003), Mestrado (2006) e Doutorado (2013) em História pela Universidade Federal de Santa Catarina. Sua atuação concentra-se nas áreas de História Regional, História Social, História do Trabalho, História do Contestado, Patrimônio Cultural e Desenvolvimento Regional. É professor permanente do Programa de Mestrado em Desenvolvimento Regional (PMDR/UnC) e Editor Associado da Revista Desenvolvimento Regional em debate (DRd), qualis A4. Atua na docência em diversos cursos de graduação da Universidade do Contestado (UNC), onde também coordena o Núcleo de Pesquisa em História (NUPHIS), certificado junto ao Diretório de Grupos de Pesquisa do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). É membro do Grupo de Investigação sobre o Movimento do Contestado (GIMC). Atuou como professor visitante na Universdad Castilla-La Mancha, em Ciudad Real, Espanha (2017, 2018), onde desenvolveu projeto de pesquisa de estágio pós-doutoral acerca do Patrimônio Agrário da região de La Mancha e do Território do Contestado. Foi coordenador do Programa de Mestrado em Desenvolvimento Regional da Universidade do Contestado (2019 e 2020) e atualmente é coordenador do Programa de Doutorado em Desenvolvimento Regional da mesma instituição.

Referências

BORON, A. Atilio (Org.). Filosofia política contemporânea: controvérsias sobre civilização, império e cidadania. Buenos Aires: Consejo Latinoamericano de Ciencias Sociales (CLACSO) ; São Paulo : Departamento de Ciência Política. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas. Universidade de São Paulo, 2006.

DA MATTA, Roberto. Brasileirismos: além do jornalismo, aquém da antropologia e quase ficção. Rio de Janeiro: Rocco, 2015.

FAORO, Raimundo. Os donos do poder: formação do patronato brasileiro. 2. ed. Porto Alegre: Globo, 1975.

______. Um momento decisivo na história. Estudos avançados, São Paulo, v. 12, n. 34, p. 70-72, dez. 1998. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/ ea/v12n34/v12n34a10.pdf>. Acesso em: 29 set. 2018.

GOMES, Roberto. Crítica da razão tupiniquim. 5.ed. São Paulo: Cortez, 1982.

RIBEIRO, Darcy. Aos trancos e barrancos: como o Brasil deu no que deu. Rio de Janeiro, Guanabara, 1986.

____________. O povo brasileiro: a formação e o sentido do Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.

SCHWARTZMAN, Simon. Bases do autoritarismo brasileiro. 4.ed. Rio de Janeiro: Publit Soluções Editoriais, 2007.

Ariès, Philippe. O tempo da história. Leal Ferreira, Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1989.

Downloads

Publicado

2021-01-15

Como Citar

Hort, R., Bazzanella, S. L., & Tomporoski, A. A. (2021). FORMAÇÃO HISTÓRICO-ANTROPOLÓGICA BRASILEIRA E SEUS IMPACTOS SOBRE O DESENVOLVIMENTO. DESENVOLVIMENTO, FRONTEIRAS E CIDADANIA, 5(8), 112–123. Recuperado de https://periodicosonline.uems.br/index.php/fronteiracidadania/article/view/5496

Edição

Seção

DOSSIÊ: BIOECONOMIA, MUDANÇAS CLIMÁTICAS E DESENVOLVIMENTO TERRITORIAL