A VIOLAÇÃO DOS DIREITOS HUMANOS NO SISTEMA CARCERÁRIO FEMININO

Adrielly Ramos Lopes, Amanda Silva Bifarone, Rogerio Turella

Resumo


O presente trabalho mostra acerca da violação de direitos fundamentais dentro das penitenciárias femininas. O sistema carcerário brasileiro no geral é marcado pela superlotação, péssimas condições sanitárias - o que, automaticamente, aumenta a proliferação de doenças - falta de atividades com os detentos, violência e descaso. A omissão do Estado somado com a precariedade do sistema prisional resultam em inúmeras afrontas a saúde física e mental da população encarcerada, e, quando se trata de mulheres presas, a realidade é ainda pior, no sentido de que as especificidades do
corpo feminino são negligenciadas e as detentas são tratadas, basicamente, como homens. A investigação em tela pretende, neste sentido, analisar as afrontas aos direitos humanos no que diz respeito a mulher encarcerada, enfatizando que o Brasil é signatário das “Regras das Nações Unidas para o tratamento de mulheres presas e medidas não
privativas de liberdade para mulheres infratoras - Regras de Bangkok”, documento originário da ONU que garante direitos as presas. Além disso, essa realidade fere também o princípio da dignidade da pessoa humana, um dos princípios basilares da Constituição Federal de 1988.
Palavras-chaves: Mulheres no cárcere. Detentas. Direitos humanos. Regras de Bangkok. Sistema carcerário feminino

Texto completo:

PDF

Referências


BANDEIRA, Regina. Brasil tem 622 grávidas ou lactantes em presídios. Conselho Nacional de Justiça, 2018. Disponível em: Acesso em: 11 set. 2018

POMPEU, Ana. Supremo concede HC coletivo a todas as presas grávidas e mães decrianças. Consultor Jurídico, 2018. Disponível em: Acesso em: 11 set.2018

QUEIROZ, Nana. Presos que menstruam. 1. ed. Rio de Janeiro. Editora Record, 2015.

SARLET, Ingo. Dignidade humana, ressocialização e a superlotação carcerária no Brasil. Consultor Jurídico, 2017. Disponível em: .

Acesso em: 11 set. 2018

SANTOS, Thandara. Levantamento nacional e informações penitenciárias - Infopen mulheres, 2a edição. Departamento Penitenciário Nacional, 2018. Disponível em: < http://depen.gov.br/DEPEN/depen/sisdepen/infopen-mulheres_arte_07-03-18.pdf>Acesso em: 11 set. 2018

Regras de Bangkok. Conselho Nacional de Justiça, 2016. Disponível em: . Acesso em: 11 set. 2018


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN - 2318-7034

Curso de Direito da UEMS - Unidade Universitária de Dourados

Núcleo de Estudos e Pesquisas em Direito, Estado, Constituição e Direitos Fundamentais e Humanos - UEMS