O FENÔMENO DO FIREHOSING E OS IMPACTOS DA DESINFORMAÇÃO

Autores

Resumo

A pesquisa, através da revisão bibliográfica, pretende entender o método de disseminação de notícias falsas conhecido como Firehosing, que tem por objetivo beneficiar uma crença, descredibilizar opiniões e omitir a verdade na tentativa de invocar infâmia, medo e espanto na população. O surgimento do fenômeno de manipulação virtual, a dificuldade de reverter atos digitais danosos ao seio da sociedade, os impactos da primeira notícia, e como o mesmo colaborou na polarização política do Brasil, são os motivos pelos quais, o Direito, o Estado e a sociedade, devem se preocupar em relação à desinformação causada pelo firehosing. Estratégias de combate, como a educação midiática, é o meio mais efetivo indicado por especialistas.

Biografia do Autor

CAROLINE DE FARIA CAMARGO, Universidade Estadual de Mato Grosso do SUL (UEMS)

Acadêmica do Curso de Graduação em Direito da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS).

LORECI GOTTSCHALK NOLASCO, Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS)

Doutorado em Biotecnologia e Biodiversidade pela Universidade Federal de Goiás, com a tese Regulamentação Jurídica da Nanotecnologia. Docente e Pesquisadora da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS). Coordenadora do Projeto de Pesquisa: "O DIREITO NA SOCIEDADE DIGITAL - Estudos sobre 'disrupção tecnológica' e 'interrupção regulatória'". Coordenadora Pedagógica do Projeto de Extensão: "Empresa Júnior de Consultoria Jurídica-acadêmico da UEMS de Dourados/MS".

Referências

Referências

ALVES PENA, Rodolfo. Questão da Crimeia. Mundo educação UOL. Seção: Geopolítica. Disponível em < https://mundoeducacao.uol.com.br/geografia/questao-crimeia.htm> Acesso em: 30/10/2021 às 13:02.

BRASIL. Seminário Internacional Fake News e Eleições [recurso eletrônico]: Anais. – Brasília: Tribunal Superior Eleitoral, 2019. 152 p.

BRASIL. AGÊNCIA CÂMARA DE NOTÍCIAS. Projeto de Lei 2.630/20 institui a Lei Brasileira de Liberdade, Responsabilidade e Transparência na Internet. O texto cria medidas de combate à disseminação de conteúdo falso nas redes sociais, como Facebook e Twitter, e nos serviços de mensagens privadas, como WhatsApp e Telegram, excluindo-se serviços de uso corporativo e e-mail. https://www.camara.leg.br/noticias/673694-projeto-do-senado-de-combate-a-noticias-falsas-chega-a-camara/Acesso Março de 2021.

CHRISTOPHER, Paul; MATTHEWS, Miriam. The Rússia “Firehosing of Falsehood” Propaganda Model. Why It Might Work and Options to Counter It. RAND Corporation, 2016. https://www.rand.org/pubs/perspectives/PE198.html; https://www.rand.org/content/dam/rand/pubs/perspectives/PE100/PE198/RAND_PE198.pdf Acesso Março 2021.

ILHÉU, Taís. Táticas de desinformação: o que são ‘cortina de fumaça’ e firehosing - Líderes políticos usam estratégias de desinformação conscientemente para lidar com problemas como a pandemia. Guia do Estudante, 11/11/2020. https://guiadoestudante.abril.com.br/atualidades/desinformacao-como-e-feita-a-cortina-de-fumaca-e-o-firehosing/ Acesso Março de 2021.

MARS, Amanda. Como a desinformação influenciou nas eleições presidenciais?.Brasil.elpais.com. Nova York, 28, fevereiro de 2018. Disponível em: https://brasil.elpais.com/brasil/2018/02/24/internacional/1519484655_450950.html Acesso em: 30/10/2021 às 13:02.

NOBRE, Marcos. O CAOS COMO MÉTODO. REVISTA Piauí, Folha de S. Paulo UOL. Piauí, Edição 151. 02, abril de 2019. Disponível em: https://piaui.folha.uol.com.br/materia/o-caos-como-metodo/ Acesso em: 29/10/ 2021 às 13:21.

OECD. Recommendation of the Council on Digital Government Strategies, 2014. Disponível em: https://www.oecd.org/gov/digital-government/Recommendation-digital-government-stategies.pdf. Acesso em 27.10.2021, às 20h.

VOSOUGHI, Soroush; ROY, Deb; ARAL, Sinan. A disseminação de notícias verdadeiras e falsas online. Science, Vol. 359, Edição 6380, pp. 1146-1151. 09 de março de 2018.

Downloads

Publicado

20/05/2022

Como Citar

CAMARGO, C. D. F., & NOLASCO, L. G. (2022). O FENÔMENO DO FIREHOSING E OS IMPACTOS DA DESINFORMAÇÃO. REVISTA JURÍDICA DIREITO, SOCIEDADE E JUSTIÇA, 9(13), 177–184. Recuperado de https://periodicosonline.uems.br/index.php/RJDSJ/article/view/6755