ARQUITETURA HOSTIL: A CIDADE É PARA TODOS?

Visualizações: 109

Autores

Resumo

Arquitetura hostil é um método cruel de afastar pessoas pobres em situação de rua e “higienizar” as cidades, através da colocação de pontas de aços em degraus ou pedras embaixo de viadutos, lugares utilizados como cama para essas pessoas. O seguinte trabalho tem como objetivo apurar a utilização da arquitetura hostil no Brasil e, paralelamente, analisar o Estatuto da Cidade e a função social da propriedade. Foi possível concluir que uso da arquitetura de exclusão mostra que o Estatuto da Cidade, bem como a função social da propriedade fundamentada no Código Civil, não cumpre com o seu papel de garantir a todos da sociedade moradia digna e bem-estar.

Biografia do Autor

NADINE BOLZAN AMARILHA, Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS)

Academica do Curso de Graduação de Direito da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS)

LARA VIVIAN BALDIN, Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS)

Acadêmica do Curso de Direito da Universidade Estadual de Mato Grosso do SUL (UEMS)

THAISA CAPILÉ MARQUES, Universidade Estadual de Mato Grosso do SUL (UEMS)

Acadêmica do Curso de Direito da Universidade Estadual de Mato Grosso do SUL (UEMS)

VANIA MARA BASILIO GARABINI, UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MATO GROSSO DO SUL (UEMS)

Orientadora. Mestre em Direito Processual e Cidadania pela Universidade Paranaense – UNIPAR.
Doutora em Direito Constitucional pelo Instituto Toledo de Ensino - ITE. Pesquisadora e Docente do
Curso de Direito da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul - UEMS.

Downloads

Publicado

2023-12-06

Como Citar

BOLZAN AMARILHA, N., BALDIN, L. V., CAPILÉ MARQUES, T., & GARABINI, V. M. B. (2023). ARQUITETURA HOSTIL: A CIDADE É PARA TODOS?. REVISTA JURÍDICA DIREITO, SOCIEDADE E JUSTIÇA, 10(16), 62–77. Recuperado de https://periodicosonline.uems.br/index.php/RJDSJ/article/view/7495