A vez das periferias nas periferias do Ocidente: a formação da modernidade do samba e do tango

Autores

  • Carlos Augusto Bonifácio Leite Universidade Federal do Rio Grande do Sul
  • Jackson Raymundo Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Resumo

A formação de dois gêneros cancionais que se tornaram símbolos nacionais, o samba carioca e o tango portenho, ambos fundados por vozes periféricas das respectivas capitais, tendo como corpus três canções pioneiras de cada e dando vez àquelas vozes periféricas que falam sobre a vida “marginal”, desigualdade social, relações de raça e gênero etc. é o mote deste trabalho. O trabalho também versará sobre a consolidação da modernidade literária e da noção de “vanguarda” de Brasil e Argentina, que guardam notáveis diferenças em relação às nações europeias.

Biografia do Autor

Carlos Augusto Bonifácio Leite, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Professor Adjunto de Literatura Brasileira, Instituto de Letras, Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Jackson Raymundo, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Graduado, mestre e doutorando em Letras pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Downloads

Publicado

10/07/2017

Como Citar

Leite, C. A. B., & Raymundo, J. (2017). A vez das periferias nas periferias do Ocidente: a formação da modernidade do samba e do tango. WEB REVISTA LINGUAGEM, EDUCAÇÃO E MEMÓRIA, 1(12), 65–86. Recuperado de https://periodicosonline.uems.br/index.php/WRLEM/article/view/1657