O LEGADO DE UMA VIDA OCIOSA: UM ESTUDO SOBRE A LITERATURA REGIONALISTA MINEIRA DE GODOFREDO RANGEL

Danyelle Marques Freire da Silva

Resumo


O presente estudo pretende mostrar como o regionalismo literário mineiro está presente na obra de Godofredo Rangel. Esta temática é complexa por envolver conceitos relevantes, como regionalismo, literatura regionalista e literatura mineira. Estão entrelaçados em contextos distintos e são empregados em diversos campos, tais como literatura, debates sociais e discursos cotidianos, com diferentes fins, e reconstruídos, a cada vez, em novas perspectivas. O que teremos então são alguns apontamentos sobre esses conceitos que a literatura regionalista em geral e a mineira em especial dão a conhecer a partir da sua produção literária. O trabalho tem por objetivo fazer um estudo do conto “O legado”, do escritor mineiro Godofredo Rangel, pontuando traços característicos da literatura mineira, traços esses que Waltensir Dutra e Fausto Cunha caracterizam como: tendência à universalidade, espírito clássico e ausência de uma paisagem típica. Godofredo Rangel é um nome desconhecido das novas gerações. Nascido em Três Corações (MG), em 21 de novembro de 1884, estudou direito em São Paulo no início do século XX e se integrou a um grupo de jovens intelectuais (entre eles Monteiro Lobato e o poeta Ricardo Gonçalves), o chamado Grupo do Minarete. “O Legado” é um conto que aparece no livro Os Humildes, publicado em 1944. Aparece também na antologia que reúne vinte e três contistas mineiros, organizada por Edgar Cavalheiro (1959), que esclarece estar o regionalismo das obras escolhidas na fixação de tipos, costumes e linguagem local, regionalismo que se vincula ao ruralismo e ao provincialismo.

Palavras-chave


Literatura brasileira; literatura mineira; Godofredo Rangel

Texto completo:

PDF


ISSN: 2237-8332