Representações da homofobia nos contos “Terça-feira gorda” e “Aqueles dois”, de Caio Fernando Abreu

Rubenil da Silva Oliveira (Universidade Federal do Pará), Maria do Perpétuo Socorro Galvão Simões (Universidade Federal do Pará)

Resumo


Este artigo visa analisar as representações da homofobia nos contos “Terça-feira gorda” e “Aqueles dois”, de Caio Fernando Abreu. Essa investigação decorre da necessidade de compreensão acerca dos motivos que levam as pessoas a mostrarem aversão à sexualidade do outro, ocasionando em parte dos casos a morte de homossexuais ou até mesmo interferindo na vida social e trabalhista da população homoafetiva. Para isso, foram necessárias as leituras teóricas acerca das representações da homossexualidade presentes em Jurandir Freire Costa (2002), Pedro A. Grisa (2006), Cíntia Maria Teixeira e Maria Madalena Magnabosco (2010), Luiz Paulo da Moita Lopes e Liliana Cabral Bastos (2010), Michel Foucault (2014a e 2014b), Mary Neide Damico Figueiró (2009), Claudemiro Soares (2008), Guacira Lopes Louro (2013), Richard Miskolci (2012), dentre outros. Sabe-se ainda que o “medo irracional” da homossexualidade não é fato da modernidade tardia, mas que perdura desde a organização do Cristianismo, quando homossexuais foram queimados ou esquartejados acusados do pecado de sodomia. Portanto, considera-se que estudar as representações homofóbicas na contística de Caio Fernando Abreu é contribuir para que os discursos acadêmico-literários possam ir ao encontro dos discursos sociais e jurídicos que anseiam pelo fim das práticas do cerceamento da liberdade sexual.


Palavras-chave


Identidade; Homofobia; Cultura; Literatura; Caio Fernando Abreu.

Texto completo:

PDF


ISSN: 2237-8332