Existência e o espaço urbano em “Tabacaria” de Álvaro de Campos

Gustavo Costa (Texas Tech University)

Resumo


“Tabacaria” é um poema de um dos heterônimos portugueses de Fernando Pessoa: Álvaro de Campos. Neste poema, a voz narrativa descreve sua visão do mundo através da janela de seu quarto, reportando seus pensamentos existenciais por meio do cenário urbano e do progresso da metrópole. Neste cenário, apresentam-se ruas, casas e a própria tabacaria, ao mesmo tempo que se exibe o progresso urbano mediante imagens da modernidade como a presença descritiva de um comboio e de carros. Esta investigação tem como objetivo responder as seguintes perguntas: Como se relaciona a condição do eu-lírico como sujeito urbano às suas ações e juizos existenciais neste espaço social local? Quais simbolismos apresenta a janela em relação ao interior e ao exterior do espaço narrado no poema: a casa, a rua e seu eu-interior?. Conectaremos o poema, principalmente, à teorias sobre o espaço, revelando o ambiente onde o eu-lírico pensa e age como um cenário urbano que exibe a modernidade local. As reflexões do eu-poeta se relacionam com a cidade através da janela, logo, esta sendo a ponte que conecta seus dois mundos: o interior e o exterior.

Palavras- chave: Fernando Pessoa; Álvaro de Campos; Modernidade; Cidades; Existência

Palavras-chave


Fernando Pessoa; Álvaro de Campos; Modernidade; Cidades; Existência

Texto completo:

PDF


ISSN: 2237-8332