Escrevivências negras: subalternidade e violência de gênero em Becos da Memória (2017), de Conceição Evaristo

Autores

  • Marcelo de Jesus de Oliveira Universidade Federal do Tocantins - UFT http://orcid.org/0000-0003-0981-2737
  • Maria Alice de Jesus Pereira dos Santos Universidade Estadual da Região Tocantina do Maranhão - UEMASUL

Palavras-chave:

Literatura afro-brasileira, Escrevivência, Negritude, Consciência de classe.

Resumo

Esta pesquisa apresenta uma discussão da obra Becos da Memória (2017), da escritora afro-brasileira Conceição Evaristo, sob o viés de raça e gênero, a priorizar, sobretudo, a apresentação das personagens Maria-Nova, Dora e Cidinha-Cidoca. Para o que se propõe, define-se como elementos alicerçantes da análise o espaço social e cultural, bem como as histórias e memórias individuais e coletivas em que são submersas tais personagens. A fundamentação teórica é enveredada pela crítica feminista e estudos culturais, portanto, norteada por Scott (1995); Santos (2008); Quijano (2000); Pacheco (2013); Said (1995); Mignolo (2003), dentre outros. Diante disso, observa-se que em Becos da Memória (2017), por meio de uma linguagem literária desconfortante e acessível, Conceição Evaristo revisa criticamente a lógica do patriarcalismo capitalista por meio de temas e personagens historicamente perseguidas por esse sistema. Além disso, no processo de composição das personagens, a autora atribui ofícios e características específicas a cada uma delas, logo, Maria-Nova, Dora e Cidinha-Cidoca representam, respectivamente: a construção e aceitação da identidade do negro a partir da experiência do outro; a desconstrução dos estigmas sexuais do corpo feminino negro como aquele provido tão-somente de desejos sexuais; a emancipação e empoderamento da mulher negra numa sociedade que a marginaliza.

 

Biografia do Autor

Marcelo de Jesus de Oliveira, Universidade Federal do Tocantins - UFT

Mestrando em Literatura, História e Imaginário, pela Universidade Federal do Tocantins - UFT. Especialista em Literatura Contemporânea, pelo Instituto Coimbra e Metodologia do Ensino de Língua Portuguesa, Literatura e Arte, pela Faculdade Venda Nova do Imigrante - FAVENI. Graduado em Licenciatura em Letras Habilitação em Língua Portuguesa e Literaturas da Língua Portuguesa, pela Universidade Estadual da Região Tocantina do Maranhão - UEMASUL. 

Maria Alice de Jesus Pereira dos Santos, Universidade Estadual da Região Tocantina do Maranhão - UEMASUL

Professora Especialista em Psicopedagogia Institucional-UEMA, Psicologia da Educação com ênfase em Psicopedagogia Preventiva-PUC/Minas BH. Graduação em Letras - Língua Portuguesa e Literatura pela Universidade Estadual do Maranhão (2013) e em Pedagogia pela Universidade Estadual Vale do Acaraú (2003). Foi professora substituta na Universidade Estadual da Região Tocantina do Maranhão-UEMASUL/Campus Açailândia, onde atualmente atua como diretora do curso de Letras Português e Literatura.

Downloads

Publicado

28/10/2020

Como Citar

de Oliveira, M. de J., & Pereira dos Santos, M. A. de J. (2020). Escrevivências negras: subalternidade e violência de gênero em Becos da Memória (2017), de Conceição Evaristo. WEB REVISTA LINGUAGEM, EDUCAÇÃO E MEMÓRIA, 18(18), 39–57. Recuperado de https://periodicosonline.uems.br/index.php/WRLEM/article/view/4258

Edição

Seção

Artigos