Ações de extensão do programa de apoio aos cuidadores da terapia ocupacional – PACTO

Autores

Resumo

O Programa de Apoio aos Cuidadores da Terapia Ocupacional (PACTO) é um projeto de extensão universitária, vinculado ao Departamento de Terapia Ocupacional da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). O PACTO teve início em 2013 com a finalidade de fornecer suporte aos cuidadores formais e informais de sujeitos adultos ou idosos com doenças crônicas que apresentam algum grau de dependência. O presente artigo consiste em um relato de experiência cujo objetivo é descrever as ações de extensão do programa PACTO no período de 2019/2020, as quais atingiram, aproximadamente, 113 pessoas, sendo desde ações psicoeducativas até apoio e orientações de manejo individuais. Dentre elas, se destacam: capacitação para cuidadores formais e informais de idosos; PACTO on-line; apoio à Associação Brasileira de Alzheimer (ABRAz) Sub-Regional Santa Maria; grupo de apoio aos cuidadores; fôlder de apoio informativo. As intervenções do PACTO foram elaboradas e estruturadas a partir das necessidades trazidas pelos próprios cuidadores, de forma que, ao final das intervenções, foi cumprindo o objetivo geral do Programa ao oferecer suporte aos cuidadores formais e informais, proporcionando-lhes melhor qualidade de vida.

Biografia do Autor

Rafaela da Costa Machado, Universidade Federal de Santa Maria - UFSM

Graduanda do Curso de Terapia Ocupacional da Universidade Federal de Santa Maria, RS.

Mariana Mozzaquatro, Universidade Federal de Santa Maria - UFSM

Graduanda do Curso de Terapia Ocupacional da Universidade Federal de Santa Maria, RS.

Kayla Araújo Ximenes Aguiar Palma, Universidade Federal de Santa Maria - UFSM

Doutora em Gerontologia Biomédica. Professora associada do departamento de terapia ocupacional da Universidade Federal de Santa Maria.

Thais Cristina Santos Melo, Universidade Federal de Santa Maria - UFSM

Graduanda do Curso de Terapia Ocupacional da Universidade Federal de Santa Maria, RS.

Karine Hardt Dambrosio, Universidade Federal de Santa Maria - UFSM

Graduanda do Curso de Terapia Ocupacional da Universidade Federal de Santa Maria, RS.

Marcielli Scremin, Universidade Federal de Santa Maria - UFSM

Graduada em Terapia Ocupacional pela Universidade Federal de Santa Maria, RS.

Referências

ASSOCIAÇÃO AMERICANA DE TERAPIA OCUPACIONAL. Estrutura da prática da Terapia Ocupacional: domínio & processo. 3. ed. Revista de Terapia Ocupacional da Universidade de São Paulo, v. 26 (ed. especial), p. 1-49, jan.-abr. 2015. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/rto/article/view/97496/96423. Acesso em: 10 ago. 2020.

AQUINO, E. M. L. et al. Medidas de distanciamento social no controle da pandemia de COVID-19: potenciais impactos e desafios no Brasil. Ciência & Saúde Coletiva, v. 25 (supl. 1), p. 2423-2446, 2020. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/csc/v25s1/1413-8123-csc-25-s1-2423.pdf. Acesso em: 11 ago. 2020.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil: promulgada em 05 de outubro de 1988. Brasília, DF: Senado Federal, 1988. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm. Acesso em: 03 ago. 2020.

BRASIL. Lei nº 8.842, de 4 de janeiro de 1994. Dispõe sobre a Política Nacional do Idoso, cria o Conselho Nacional do Idoso e dá outras providências. Brasília, DF: Casa Civil, 1994. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L8842.htm. Acesso em: 03 de ago. 2020.

BRASIL. Lei nº 10.741, de 1º de outubro de 2003. Dispõe sobre o Estatuto do Idoso e dá outras providências. Brasília, DF: Casa Civil, 2003. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/2003/l10.741.htm. Acesso em: 03 ago. 2020.

BRASIL. Ministério da Saúde. Portaria nº 2.528, de 19 de outubro de 2006. Aprova a Política Nacional de Saúde da Pessoa Idosa. Brasília, DF: Ministério da Saúde, 2006. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2006/prt2528_19_10_2006.html. Acesso em: 03 ago. 2020.

BRASIL. Política Nacional de Humanização. 1. ed. Brasília, DF: 2013. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/politica_nacional_humanizacao_pnh_folheto.pdf. Acesso em: 03 ago. 2020.

BRASIL. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Agência IBGE Notícias. Notícias. Número de idosos cresce 18% em 5 anos e ultrapassa 30 milhões em 2017. Brasília, DF: IBGE, 2018. Disponível em: https://agenciadenoticias.ibge.gov.br/agencia-noticias/2012-agencia-de-noticias/noticias/20980-numero-de-idosos-cresce-18-em-5-anos-e-ultrapassa-30-milhoes-em-2017. Acesso em: 10 jun. 2020.

COSTA, B. A. L. C. et al. Motivações dos cuidadores informais de pessoas com demência e o paradoxo do cuidado. Revista Eletrônica Acervo Saúde, v. 11, n. 18, p. e2620, 2019. Disponível em: https://acervomais.com.br/index.php/saude/article/view/2620. Acesso em: 10 ago. 2020.

DINIZ, M. A. A. et al. Estudo comparativo entre cuidadores formais e informais de idosos. Ciência & Saúde Coletiva. v. 23, n. 11, p. 3789-3798, 2018. Disponível em: https://doi.org/10.1590/1413-812320182311.16932016. Acesso em: 03 ago. 2020.

IRIGARAY, Q. T. (Org.). Promovendo qualidade de vida em tempos de pandemia: um manual para idosos e seus cuidadores. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2020. 78 p. Disponível em: https://www.pucrs.br/coronavirus-provz/wp-content/uploads/sites/270/2020/06/2020_06_26-coronavirus-estudos_e_pesquisas-cartilhas-promovendo_qualidade_de_vida_em_tempos_de_pandemia-um_manual_para_idosos_e_seus_cuidadores.pdf. Acesso em: 26 set. 2020.

MOURA, K. F. et al. Sobrecarga de cuidadores informais de idosos fragilizados. Revista de Enfermagem UFPE On-line, Recife, v. 13, n. 5, p. 1183-91, maio 2019. Disponível em: https://pesquisa.bvsalud.org/portal/resource/pt/biblio-1024036. Acesso em: 03 ago. 2020.

MUNIZ, E. A. et al. Grau de sobrecarga dos cuidadores de idosos atendidos em domicílio pela Estratégia de Saúde da Família. Saúde Debate, Rio de Janeiro, v. 40, n. 110, p. 172-182, jul.-set. 2016. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/sdeb/v40n110/0103-1104-sdeb-40-110-0172.pdf. Acesso em: 03 ago. 2020.

NUNES, D. P. et al. Cuidadores de idosos e tensão excessiva associada ao cuidado: evidências do Estudo SABE. Revista Brasileira de Epidemiologia. v. 21 (suppl. 2), p. 1-14, 2018. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/rbepid/v21s2/1980-5497-rbepid-21-s2-e180020.pdf. Acesso em: 03 ago. 2020.

WEISS, P.; HADAS-LIDOR, N.; SACHS, D. Participação de cuidadores familiares na recuperação | Comunicação da cognição com base na intervenção cognitiva dinâmica. In: KATZ, N. Neurociência, reabilitação cognitiva e modelos de intervenção em Terapia Ocupacional. 3. ed. São Paulo: Santos, 2014. cap. 5, p. 81-102.

Downloads

Publicado

10/05/2021

Como Citar

Machado, R. da C., Mozzaquatro, M., Palma, K. A. X. A., Melo, T. C. S., Dambrosio, K. H., & Scremin, M. (2021). Ações de extensão do programa de apoio aos cuidadores da terapia ocupacional – PACTO. BARBAQUÁ, 3(5), 52–68. Recuperado de https://periodicosonline.uems.br/index.php/barbaqua/article/view/5145

Edição

Seção

Relato de experiência