As políticas públicas de avaliações externas e sua relação com a prática docente: os impactos e a violência simbólica

Visualizações: 614

Autores

  • Kesia Caroline Ramires Neves Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

DOI:

https://doi.org/10.26514/inter.v8i22.1463

Palavras-chave:

Avaliações externas. Prática docente. Violência simbólica.

Resumo

Este trabalho apresenta os resultados de uma pesquisa qualitativa realizada em 6 cidades de Mato Grosso do Sul. Teve como objetivo investigar os impactos das avaliações externas ocorridos na prática docente de professores de escolas estaduais, mais especificamente, os impactos associados à violência simbólica advinda de situações relacionadas às avaliações do SAEMS, Prova Brasil, ANA e Provinha Brasil. Para coleta de dados foi usado um questionário com 86 questões, aplicado a mais de 300 professores e respondido por 182 deles, de 24 escolas diferentes. Com esse instrumento, buscamos produzir um panorama de respostas acerca do trabalho que os professores executam em função das avaliações externas, quem são os agentes que induzem tal trabalho e como os professores se observam nesse contexto. Os dados coletados foram confrontados com resultados já divulgados pela área de sociologia da educação e avaliação educacional. Verificamos que uma boa parcela de professores é exposta à ação de violência simbólica motivada pelos seus gestores escolares em situações relacionadas às avaliações externas e que, em decorrência disso, modificam sua prática docente. Portanto, o trabalho pretende colaborar com o tema aqui exposto, sobretudo ao sinalizar indícios de violência simbólica que potencializam as ações voltadas às avaliações externas.

Biografia do Autor

Kesia Caroline Ramires Neves, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

Dra. em Educação para a Ciência e a Matemática.

Profa. da Univesidade Federal de Mato Grosso do Sul.

Downloads

Publicado

16-05-2017

Como Citar

Ramires Neves, K. C. (2017). As políticas públicas de avaliações externas e sua relação com a prática docente: os impactos e a violência simbólica. INTERFACES DA EDUCAÇÃO, 8(22), 186–221. https://doi.org/10.26514/inter.v8i22.1463

Edição

Seção

Educação, inclusão e políticas públicas