Educação Infantil No Brasil: avanços e desafios para o desenvolvimento na primeira infância

Visualizações: 1251

Autores

  • Livia Crespi Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS
  • Deisi Noro Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS
  • Márcia Nóbile Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS

DOI:

https://doi.org/10.26514/inter.v9i26.2618

Palavras-chave:

Desafios, Educação Infantil, Desenvolvimento, Primeira Infância.

Resumo

Esse estudo caracteriza-se como uma pesquisa empírica, exploratória, qualitativa, de cunho bibliográfico e documental. Foram analisados documentos legais relacionados com a Educação Infantil (EI) publicados entre 2009 e 2017. Objetiva-se apresentar saberes sobre o desenvolvimento infantil na faixa etária de zero e seis anos de idade, período da vida denominado de Primeira Infância, bem como analisar a importância da EI e a oferta da mesma Brasil. A revisão bibliográfica constituiu-se pela análise de fundamentos teóricos sobre o desenvolvimento infantil na Primeira Infância, coletados entre autores como Piaget (1999), Papalia, Olds e Feldman (2006), Cosenza e Guerra (2011) e Bee (2011). O estudo indica que a EI é de extrema importância para o desenvolvimento adequado de crianças na Primeira Infância. Infere também sobre a necessidade de disseminar, através de formações docentes continuadas, conhecimentos transdisciplinares sobre o desenvolvimento na Primeira Infância para os profissionais que lecionam na referida etapa. Devido ao potencial de apropriação das aprendizagens propostas durante a Primeira Infância, conclui-se que, o mero cuidado assistencialista não é suficiente na EI, sendo necessário um fazer pedagógico intencional e consciente, capaz de oferecer estímulos e experiências que auxiliem no desenvolvimento integral das crianças atendidas no ambiente escolar.

Biografia do Autor

Livia Crespi, Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS

Doutoranda e Mestra em Educação em Ciências (2017) pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS, onde desenvolveu pesquisas sobre a relação entre as Neurociências, a formação e a prática pedagógica do docente da Educação Infantil e Ensino Fundamental I. Possui graduação em Pedagogia pela Universidade Castelo Branco (2012) e especialização em Gestão Escolar (2015) pela Universidade Positivo. Atualmente cursa especialização em Neuroeducação e Primeira Infância junto a Universidade de Pernambuco - UPE e Instituto Cerebrum. Leciona para séries iniciais do Ensino Fundamental no Colégio Santa Rosa de Carlos Barbosa/RS, tendo experiência nas áreas de Educação, Alfabetização, Ensino de Língua Inglesa, processos de Ensino e Aprendizagem e Formação Docente.

Deisi Noro, Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS

Doutoranda (2017) e Mestra em Educação em Ciências pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS (2016), Especialista em Administração e Supervisão Escolar (2003), Bacharela e Licenciada em Ciências - Habilitação em Biologia pela Universidade de Caxias do Sul (1993). Professora da Rede Pública Municipal de Farroupilha desde 1987, Presidente do Conselho Municipal de Educação (2013-2019) e Coordenadora-geral do Fórum Municipal de Educação de Farroupilha (2014-2020).

Márcia Nóbile, Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS

Doutora em Educação em Ciências (Universidade Federal do Rio Grande do Sul, UFRGS, 2012). Mestre em Ensino de Ciências e Matemática (Universidade Luterana do Brasil, ULBRA, 2008). Licenciatura Plena em Ciências: Habilitação Matemática e Ciências (Universidade Luterana do Brasil, ULBRA, 2005). Bacharel em Administração de Empresas (Centro de Ensino Superior de Farroupilha, CESF, 2001). Sistemas de Informação (Centro de Ensino Superior de Farroupilha, CESF, interrompido em 2002). Professora de Ensino Fundamental da rede municipal de Farroupilha/RS (desde 2006). Supervisora Educacional da Secretaria Municipal de Educação de Farroupilha/RS (desde 2013). Coordenadora Local do Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa (PNAIC) de Farroupilha/RS (2013 a 2016). Membro do Conselho Municipal de Educação de Farroupilha/RS e do Meio Ambiente (desde 2016). Tutora do Programa Formação pela Escola. Professora e orientadora colaboradora do Programa de Pós-graduação Educação em Ciências: Química da Vida e Saúde da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).

Referências

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular: Educação é a base. Disponível em:http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_ publicacao.pdf. Acesso em: 05 fev. 2018.

________. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Resolução nº 5 de 2009. Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil. Brasília: MEC, SEB, 2010. Disponível em: http://www.seduc.ro.gov.br/portal/legislacao/ RESCNE005_2009.pdf. Acesso em: 02 fev. 2017.

_________. Lei n° 13.005, de 25 de junho de 2014. Aprova o Plano Nacional de Educação -PNE e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 26 jun. 2014. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2011-2014/2014/Lei/L13005.htm. Acesso em: 05 jun. 2016.

_________. Marco Legal pela Primeira Infância, Lei n° 13.257 de 2016. Conteúdo disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2016/ lei/ l13257. htm. Acesso em: 02 fev. 2017.

BEE, H. 2011. A criança em desenvolvimento. 12ª ed. Porto Alegre: Artmed, 2011.

BUJES, M. Escola Infantil: pra que te quero? In. CRAIDY, C. M. Educação Infantil. Porto Alegre: Artmed, 2001, p.13-22.

COLE, M; COLE, S. R. O desenvolvimento da criança e do adolescente. 4ª ed. Porto Alegre: Artmed, 2004.

COSENZA, R; GUERRA, L. Neurociência e Educação: como o cérebro aprende. Porto Alegre: Artmed, 2011.

INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA, INEP. Relatório do 1º ciclo de monitoramento das metas do PNE: biênio 2014-2016. Brasília: Inep, 2016.

_____________. Sinopse Estatística da Educação Básica. Brasília: Inep, 2018. Disponível em: http://portal.inep.gov.br/sinopses-estatisticas-da-educacao-basica. Acesso em: 10 fev. 2018.

ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS PARA A EDUCAÇÃO, A CIÊNCIA E A CULTURA. Políticas para a primeira infância: notas sobre experiências internacionais. Brasília: UNESCO, 2005.

PAPALIA, D; OLDS, S; FELDMAN, R. Desenvolvimento Humano. 8ª ed. Porto Alegre: Artmed, 2006.

PIAGET, J. Seis estudos de psicologia. 24ª ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1999.

SHORE, R. Repensando o cérebro: Novas visões sobre o desenvolvimento inicial do cérebro. Porto Alegre: Mercado Aberto, 2000.

Downloads

Publicado

27-11-2018

Como Citar

Crespi, L., Noro, D., & Nóbile, M. (2018). Educação Infantil No Brasil: avanços e desafios para o desenvolvimento na primeira infância. INTERFACES DA EDUCAÇÃO, 9(26), 26–48. https://doi.org/10.26514/inter.v9i26.2618

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)