A INTERMITÊNCIA (E GOLPES) DA (NA) DISCIPLINA DE SOCIOLOGIA NA EDUCAÇÃO ESCOLAR BÁSICA COMO SINTOMA DE PROPOSTA DA NOVA POLÍTICA EDUCACIONAL BRASILEIRA

Autores

  • Alexandre de Castro Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul - UEMS.

DOI:

https://doi.org/10.26514/inter.v10i28.2906

Palavras-chave:

Política Educacional. Sociologia. Ensino. Neoliberalismo.

Resumo

Ao abordarmos historicamente a presença da Sociologia como disciplina regular no ensino brasileiro percebe-se que a partir da publicação da Lei nº 13.415, de 16 de fevereiro de 2017, representou novo ataque e cerceamento de sua presença nos currículos, até mesmo a possibilidade da Sociologia deixar de ser ministrada no Ensino Médio brasileiro. Mas, a partir da análise de sua intermitência como disciplina no currículo escolar percebemos que o que está em jogo é uma proposta maior. Numa revisão bibliográfica no sentido de aprofundarmos nossa argumentação ficou claro que a reforma do Ensino Médio em marcha hoje no Brasil faz parte de um projeto educacional que não limita seus objetivos a um currículo destinado a promover competências e conhecimentos essenciais. Seus verdadeiros objetivos estão direcionados ao ensino como um todo, no sentido de atender políticas educacionais voltadas ao interesse econômico em detrimento de uma educação pública de qualidade e emancipadora, projeto este colocado em marcha no contexto do programa neoliberal mundial que tem seu início nos anos 1980. Confirma nossa argumentação a aquisição de vários institutos educacionais pela empresa conhecida como Kroton, realizando negócios de bilhões de reais na transação no âmbito da educação superior e básica.

Biografia do Autor

Alexandre de Castro, Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul - UEMS.

Alexandre de Castro é doutorando em Ciências Sociais na Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - UNESP Câmpus de Marília/SP onde graduou-se em Ciências Sociais Bacharelado (1995), período em que exerceu a função de Monitor junto ao Departamento de Ciência Política (1993), é Bacharel em Direito pelo Centro Universitário Eurípedes de Marília - UNIVEM (2002), Mestre em Teoria do Direito e do Estado pelo Centro Universitário Eurípedes de Marília - UNIVEM (2005). 

Referências

ADORNO, Theodor W. Educação e emancipação. Trad. Wolfgang Leo Maar. São Paulo: Paz e Terra, 2003.

BETTO, Frei. O sonho traduzido em realidade. Prefácio. In: MAURO, Gilmar; PERICÁS, Luiz Bernardo. Capitalismo e luta política no Brasil na virada do milênio. São Paulo: Xamã, 2001.

BRASIL, Lei nº 13.415, de 16 de fevereiro de 2017. Altera as leis nºs 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, e 11.494, de 20 de junho 2007, que regulamenta o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação, a Consolidação das Leis do Trabalho - CLT, aprovada pelo Decreto-Lei nº 5.452, de 1º de maio de 1943, e o Decreto-Lei nº 236, de 28 de fevereiro de 1967; revoga a Lei nº 11.161, de 5 de agosto de 2005; e institui a Política de Fomento à Implementação de Escolas de Ensino Médio em Tempo Integral. Câmara dos Deputados, Brasília, DF. Disponível em:

http://www2.camara.leg.br/legin/fed/lei/2017/lei-13415-16-fevereiro-2017-784336-publicacaooriginal-152003-pl.html Acesso em: 27 jun. 2017.

FERNANDES, Florestan. O ensino de sociologia na escola secundária. A sociologia no Brasil. Petrópolis, RJ: Vozes, 1977. Disponível em http://www.sbsociologia.com.br/portal/index.php?option=com_docman&task=cat_view&gid=164&Itemid=171

KUENZER, Acácia Zeneida. Trabalho e escola: a flexibilização do ensino médio no contexto do regime de acumulação flexível. Revista Educ. Soc. Campinas, v. 38, nº 139, p. 331-354, abr. jun., 2017.

Disponível em http://www.scielo.br/pdf/es/v38n139/1678-4626-es-38-139-00331.pdf

MARX, Karl. O 18 Brumário de Luís Bonaparte. In: Manuscritos econômicos e outros textos escolhidos. Tradução José Carlos Bruni (et al.). 2 ed. São Paulo: Abril Cultural, 1978. p. 323 – 404. (Coleção os pensadores)

MORAES, Amaury César. GUIMARÃES, Elisabeth Fonseca da. Metodologia de ensino de Ciências Sociais: relendo as OCEN-Sociologia. In: MORAES, Amaury César (Cood.). Sociologia: ensino médio. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica, 2010. (Coleção Explorando o Ensino, v. 15).

MOTTA, Vânia Cardoso da; FRIGOTTO, Gaudêncio. Por que a urgência da reforma do ensino médio? Medida Provisória nº 746/2016 (Lei nº 13.415/2017). Revista Educ. Soc. Campinas, v. 38, nº 139, p. 355-372, abr. jun., 2017.

Disponível em http://www.scielo.br/pdf/es/v38n139/1678-4626-es-38-139-00355.pdf

OLIVEIRA, Filipe. Kroton e startup do Vale do Silício lançam MBA em marketing digital. Folha de S. Paulo, São Paulo, 28 jul. 2018, Mercado, p. A21.

SILVA, Ileizi Luciana Fiorelli; SANTOS, Mário Bispo. O ensino das Ciências Sociais/Sociologia no Brasil: histórico e perspectivas. In: MORAES, Amaury César. (Cood.). Sociologia: ensino médio. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica, 2010. (Coleção Explorando o Ensino, v. 15).

Downloads

Publicado

2019-06-26

Como Citar

de Castro, A. (2019). A INTERMITÊNCIA (E GOLPES) DA (NA) DISCIPLINA DE SOCIOLOGIA NA EDUCAÇÃO ESCOLAR BÁSICA COMO SINTOMA DE PROPOSTA DA NOVA POLÍTICA EDUCACIONAL BRASILEIRA. INTERFACES DA EDUCAÇÃO, 10(28), 29–46. https://doi.org/10.26514/inter.v10i28.2906