Um estudo com futuras pedagogas: análise de duas situações envolvendo os significados da divisão

Verônica Morais Cartoce, Angelica da Fontoura Garcia Silva, Edvonete Souza de Alencar

Resumo


O propósito desta investigação é analisar o conhecimento profissional docente de futuras professoras na fase inicial dos estudos em grupo. Para tanto, se constituiu um grupo na própria universidade na qual as participantes estudavam que buscou discutir e refletir questões relacionadas aos significados da divisão e seu ensino. A coleta de dados se deu por meio da análise das respostas apresentadas a um caso de ensino que solicitava a análise de resultados apresentados por alunos quando resolviam situações de partilha e quota. Esta investigação está apoiada em Ball, Thames e Phelps que categorizam os conhecimentos necessários para o ensino da Matemática. As respostas dadas pelas participantes nessa primeira sessão de estudos revelaram que apesar de evidenciarem possuir o Conhecimento Comum da divisão quando se utilizaram corretamente dessa operação para resolver as situações propostas e quando representaram corretamente o agrupamento e a partilha, notou-se que elas não conseguiam argumentar sobre as diferentes ideias envolvidas nos dois significados da divisão – Conhecimento Especializado da divisão. Nesse contexto, ficou notória a necessidade de se propor outros casos de ensino durante os estudos desse grupo que permitissem a aos participantes discutir e refletir sobre o ensino da divisão partir da articulação da teoria e prática.


Palavras-chave


Formação Inicial. Grupos de Estudo. Conhecimento Profissional Docente. Significados da Divisão.

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, Rafael Neves. Professor de matemática em início de carreira: contribuições do Pibid. 2015. 197f. Tese (Doutorado em Educação Matemática). Universidade Anhanguera, São Paulo.2015.

BALL, Deborah Loewenberg; THAMES, Mark Hoover; PHELPS, Geoffrey. Content knowledge for teaching: what makes it special? Journal of Teacher Education. V. 59, n. 5, p. 389-407, nov. 2008.

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais: Matemática/ Secretaria de Educação Fundamental. Brasília: MEC/SEF, 1997

BRASIL. Ministério da Educação. Base nacional comum curricular - Educação é a base: Ensino Fundamental. Brasília: MEC, 2018.

CORREIA, D. da S. Estruturas multiplicativas: um olhar sobre conhecimentos do conteúdo e do ensino e do conhecimento curricular de professoras participantes de um grupo de estudo. In: Encontro Brasileiro de Estudantes de Pós-Graduação em Educação Matemática – EBRAPEM, 20., 2016, Curitiba-PR.

CORREIA, D. da S. O desenvolvimento profissional de professores que ensinam as estruturas multiplicativas. Tese (Doutorado) – Programa de Pós-graduação em Educação Matemática, Universidade Anhanguera-SP, São Paulo, 2018.

FREIRE, P. A educação na cidade. 2. ed. São Paulo: Cortez, 1995.

MELLO, Guiomar Namo de. Formação inicial de professores para a educação básica: uma (re)visão radical. São Paulo Perspec. [online]. 2000, vol.14, n.1, pp. 98- 110. ISSN 0102-8839.

MERLINI, V. L.; MAGINA, S.; SANTOS, A. Estrutura multiplicativa: um estudo comparativo entre o que a professora elabora e o desempenho dos estudantes. In: Congresso Ibero-Americano de Educação Matemática, 7., 2013. Atas... Montevidéu – UY, 2013.

SHULMAN, L. Those who understand: knowledge growth in teaching. Educational Researcher, 15, 4-14, 1986.

VERGNAUD, G. La teoría de los campos conceptuales. Recherches en didáctique des mathématiques, p. 133-170, 1990.

––––––. A criança, a matemática e a realidade: problemas do ensino da matemática na escola elementar. Curitiba: Editora da UFPR, 2009.




DOI: https://doi.org/10.26514/inter.v10i30.3891

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


INDEXADORES: SUMARIOS.ORG   LATINDEX   SEER/IBICT   REDIB   DIADORIM   GOOGLE ACADÊMICO  DOAJ  IRESIE   ELECTRONIC JOURNALS LIBRARY  LIVRE ACESSO ERIH PLUS 

Licença Creative Commons
Os trabalhos na Revista Interfaces da Educação está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.