Do lazer canônico ao desviante: tipologia e níveis de tolerância

Visualizações: 964

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26514/inter.v11i31.4266

Palavras-chave:

Lazer Desviante. Lazer Canônico. Níveis de tolerância.

Resumo

O objetivo desse estudo é identificar o grau de tolerância em relação a determinadas práticas potencialmente desviantes na cidade fronteiriça de Foz do Iguaçu, Paraná, Brasil. A região de fronteira despertou questionamentos em relação aos níveis de tolerância, que serviram como referenciais para a reflexão sobre o lazer canônico e o lazer desviante. O procedimento metodológico consistiu na aplicação de um questionário virtual composto por perguntas fechadas e abertas, respondidas por estudantes do ensino superior. Os resultados trazem à superfície parte de uma realidade que apresentam elementos para a análise da existência de diferentes fluxos de tolerância, que oscila entre o lazer canônico e o lazer desviante. Os significados do lazer vislumbram uma base preliminar para colocar o tema sob tensão na sociedade atual.

Biografia do Autor

Alexandre Paulo Loro, Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS), Campus de Chapecó.

Pós-doutor pelo Programa de Pós-graduação Stricto Sensu em Ensino: Formação Docente Interdisciplinar (PPIFOR), da Universidade Estadual do Paraná (UNESPAR), com estágio Sanduíche no Departamento de Educação Física e Esportes da Universidade de Valência - Espanha. Doutor em Educação Física pela Universidade Estadual de Maringá (UEM), com Estágio Sanduíche no Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra (CES/UC) - Portugal. Mestre em Educação pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). Licenciatura Plena em Educação Física (UFSM). Profissionalmente desempenhou atividades docentes na Educação Básica em escolas privadas e públicas (municipais e estaduais) nos estados do RS e SC (2000-2009). No Ensino Superior atuou como professor e coordenador de Curso - Licenciatura em Educação Física - Universidade Federal de Mato Grosso do Sul - Câmpus do Pantanal (2009-2012). Posteriormente, como professor e coordenador de Curso - Licenciatura em Educação Física - Faculdade de Educação - Universidade Federal da Grande Dourados (2012-2013). Atualmente é Professor Adjunto da Universidade Federal da Fronteira Sul (Campus Chapecó-SC), Curso de Pedagogia; Professor Credenciado como Membro Permanente do Programa de Pós-Graduação Interdisciplinar em Ciências Humanas (PPGICH), Curso de Mestrado (Campus Erechim-RS). Membro do Banco de Avaliadores do Sistema Nacional de Avaliação do Ensino Superior - BASis/INEP/MEC e Avaliador do Programa Nacional do Livro Didático (PNLD 2019) para a área da Educação Física. Membro de La Red de Antropología de y desde los cuerpos (México). Tem experiência na área da Educação, com ênfase em Educação Física Escolar. 

Giuliano Gomes Assis de Pimentel, Universidade Estadual de Maringá

Professor Associado da Universidade Estadual de Maringá na Graduação (Licenciatura e Bacharelado) e no Programa Associado UEM/UEL de Pós-Graduação em Educação Física (Mestrado e Doutorado). Coordena o GEL - Grupo de Estudos do Lazer (2000). Bacharel e Licenciado em Educação Física pela Universidade Federal de Viçosa (1996), Mestre (1999) e Doutor (2006) em Educação Física pela Universidade Estadual de Campinas. Possui PósPhD pela Universidade de Coimbra e Pós-Doutorado pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, além de estágio sênior (2015) na Universidade de Munster, Alemanha.

Rui Machado Gomes, Universidade de Coimbra

Professor catedrático e investigador do CES da Universidade de Coimbra. Tem investigado temas das áreas da educação e das políticas educativas, incluindo a análise dos processos de mobilidade acadêmica e de emigração qualificada. Além de outros trabalhos nos domínios da Educação e dos Estudos Culturais, publicou O governo da educação em Portugal (2005), Olhares sobre o lazer (2007) e O corpo e a política da vida (2009).

Referências

BECKER, H. S. Outsiders: estudos de sociologia do desvio. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor Ltda, 2008.

CATTA, Luiz Eduardo. O cotidiano de uma fronteira: a perversidade da modernidade. Cascavel, EDUNIOESTE, 2002.

COSTA, E. T.; UVINHA, R. R. Lazer e trabalho: novos significados na sociedade contemporânea. In: MARCELLINO, N. C.; ISAYAMA, H. F. (orgs.). Enarel: 21 anos de história. Belo Horizonte: UFMG, 2010. p. 142-159.

ELIZALDE, R.; GOMES, C. L. Tempo livre: entendimentos enunciados por participantes de mestrados latino-americanos em lazer e recreación. Movimento, Porto Alegre, v. 20, n. 2, p. 569-591, abr./jun. 2014.

ESTANQUE, E. O lazer e a cultura popular entre a regulação e a transgressão: um estudo de caso, Coimbra, n. 43, p. 123-145, out. 1995.

ESTANQUE, E. Lazer, Desigualdades e Transformação Social. In: GOMES, R. M. (Org.). Os Lugares do Lazer. Lisboa: Instituto do Desporto de Portugal, 2005. p. 87-104.

ESTANQUE, E. Jovens, estudantes e ‘repúblicos’: culturas estudantis e crise do associativismo em Coimbra. Revista Crítica de Ciências Sociais, Coimbra, n. 81, p. 09-41, jun. 2008.

LAKATOS, E. M.; MARCONI, M. A. Sociologia Geral. 6. ed. São Paulo: Atlas, 1990.

MACHADO, A. A.; MARCHESE, D.; VILELA JUNIOR, G. B. O lazer como possível espaço/tempo para o consumo de drogas. Licere, Belo Horizonte, v.14, n. 4, p. 01-22, dez. 2011. Disponível em: ˂https://periodicos.ufmg.br/index.php/licere/article/view/749˃. Acesso em: 15 jan. 2020.

PAIS, J. M.; BLASS, L. M. S. (orgs.). Tribos urbanas: produção artística e identidades. Lisboa: Imprensa de Ciências Sociais, 2004.

PARKER, S. R. A sociologia do lazer. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1978. 188 p.

PIMENTEL, G. G. A. Sobre os desvios no lazer: questões para se pensar a corrupção no lúdico. In: LARA, L. M. (org.). As abordagens socioculturais em Educação Física. Maringá: EDUEM, 2010a. p. 81-112.

PIMENTEL, G. G. A. Leituras pós-modernistas nos estudos do lazer. In: PIMENTEL, G. G. A. (org.). Teorias do lazer. Maringá: EDUEM, 2010b. p. 117-139.

ROJEK, C. Decentring Leisure: Rethinking Leisure Theory. London: Sage, 1995.

ROJEK, C. Deviant Leisure: The dark side of free-time activity. In: Jackson, E. L.; BURTON, T. L. (Ed.) Leisure Studies: prospects for the twenty-first century. Pennsylvania: Venture Publishing, 1999. p. 81-96.

ROJEK, C. Leisure theory: principles and practices. Great Britain: MACMILLAN, 2005.

ROJEK, C. O lado obscuro do lazer: formas anormais. In: FORTINI, J. L. M.; GOMES, C. L.; ELIZALDE, R. Desafios e perspectivas da educação para o lazer – Desafíos y perspectivas de la educación para el ócio – Challenges and Propects of Education for leisure. Belo Horizonte: Editorial SESC/Otium, 2011. p. 137-148.

Downloads

Publicado

17-08-2020

Como Citar

Loro, A. P., Pimentel, G. G. A. de, & Gomes, R. M. (2020). Do lazer canônico ao desviante: tipologia e níveis de tolerância. INTERFACES DA EDUCAÇÃO, 11(31), 307–328. https://doi.org/10.26514/inter.v11i31.4266