Dos conhecimentos tradicionais às práticas epistêmicas: situando conceitos químicos nos contextos dos estudantes

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26514/inter.v13i38.4536

Palavras-chave:

Educação em Ciências, Ensino de Ciências por Investigação, Práticas científicas

Resumo

Pesquisadores da área de Educação em Ciências tem ressaltado a importância de aproximar os estudantes de práticas científicas. No entanto, mais do que envolvê-los nessa aproximação, cabe aos professores situarem essas práticas em seus contextos. Dessa forma, buscou-se identificar as práticas epistêmicas desenvolvidas por estudantes do Ensino Médio de uma escola pública na disciplina de Química. A discussão dos conceitos químicos se deu a partir de um problema envolvendo o uso de chás. Devido à natureza dos conceitos discutidos foram utilizados registros escritos produzidos pelos estudantes, que foram analisados por meio da Análise Textual Discursiva com categorias definidas previamente. As práticas epistêmicas identificadas – problematizar, elaborar hipóteses, fazer previsões e citar – podem estar diretamente ligadas aos conhecimentos prévios dos estudantes, ressaltando a importância de se considerar o contexto desses estudantes. Não espera-se construir uma lista de práticas identificadas a partir de uma sequência de aulas, mas entender as maneiras pelas quais o conhecimento químico está sendo construído por esses estudantes e a influência de seus conhecimentos prévios. A identificação das práticas epistêmicas também fornece implicações importantes para o ensino, porque o desenvolvimento delas pelos estudantes podem ser indícios de engajamento e da aprendizagem epistêmica. 

Referências

ARAÚJO, A. O uso do tempo e das práticas epistêmicas em aulas práticas de Química. Dissertação (Mestrado em Educação). UFMG, Belo Horizonte, 2008. 144p.

ARAÚJO, A. O.; MORTIMER, E. F. As práticas epistêmicas e suas relações com os tipos de texto que circulam em aulas práticas de química. In: ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS, 7, 2009, SC. Anais... Florianópolis, SC: UFSC, 2009.

BRITO, L. C. C.; MARCIANO, E. P. M.; CARNEIRO, G. M. B.; SOUSA, R. M.; NUNES, S. M. T. A Química Forense como unidade temática para o desenvolvimento de uma abordagem de Ensino CTS em Química Orgânica. In: XV ENCONTRO NACIONAL DE ENSINO DE QUÍMICA (XV ENEQ), 2010, DF. Anais... Brasília, DF: UnB, 2010.

BROWN, B. A.; REVELES, J. M.; KELLY, G. J. Scientific literacy and discursive identity: A theoretical framework for understanding science learning. Science Education, v. 89, p. 779-802, 2005.

CARVALHO, A. M. P. O ensino de ciências e a proposição de sequências de ensino investigativas. In: CARVALHO, A. M. P. (org.). Ensino de ciências por investigação: condições para implementação em sala de aula. São Paulo: Cengage Learning, 2013. p. 1-20.

CARVALHO, A. M. P. Fundamentos Teóricos e Metodológicos do Ensino por Investigação. Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências, v. 18, n. 3, p. 765-794, 2018.

FERREIRA, M. G. R. Aspectos sociais da fitoterapia. Disponível em: https://www.infoteca.cnptia.embrapa.br/bitstream/doc/709083/1/doc102fitoterapia.pdf Acesso em 20 mar. 2020.

FRANCO, L. L. As sensacionais 50 plantas medicinais campeãs de poder curativo. Curitiba: Editora Santa Mônica, 1996. 241 p.

GERHARDT, D. Avaliação do efeito do alcaloide boldina sobre modelos experimentais de malignidades do sistema nervoso central e bexiga. Tese (Doutorado em Bioquímica). UFRGS, Porto Alegre, 2012, 170 p.

GONDIM, M. S. C.; MÓL, G. S. Saberes Populares e Ensino de Ciências: Possibilidades para um trabalho interdisciplinar. Química Nova na Escola, v. 30, p. 3-9, Nov. 2008.

GOODWIN, W. M. Structural formulas and explanation in organic chemistry. Foundations of Chemistry, v. 10, p. 117-127, 2008.

HOFSTEIN, A. et al. Research on and Development of Inquiry-type Chemistry Laboratories in Israel. Israel Journal of Chemistry, v. 58, p. 1-11, 2018.

KELLY, G. J. Developing Epistemic Aims and Supports for Engaging Students in Scientific Practices. Science & Education, v. 27, p. 245-246, 2018.

KELLY, G. J.; BROWN, C. M. Communicative demands of learning science through technological design: Third grade students’ construction of solar energy devices. Linguistics & Education, v. 13, p. 483-532, 2002.

KELLY, G. J.; CHEN, C. The sound of music: Constructing science as sociocultural practices through oral and written discourse. Journal of Research in Science Teaching, v. 36, p. 883-915, 1999.

KELLY, G. J.; CRAWFORD, T.; GREEN, J. Common task and uncommon knowledge: Dissenting voices in the discursive construction of physics across small laboratory groups. Linguistics & Education, v. 12, n. 2, p. 135-174, 2001.

KELLY, G. J.; CUNNINGHAM, C. M. Epistemic Practices of Engineering for Education. Science Education, v. 101, p. 486-505, 2017.

KELLY G. J.; LICONA P. Epistemic Practices and Science Education. In: MATTHEWS M. (Ed.), History, philosophy and science teaching: new research perspectives, Springer: Dordrecht, 2018. p. 139-165.

LOYOLA, C. O. D., SILVA, F.C. Plantas Medicinais: uma oficina temática para o ensino de grupos funcionais. Química Nova na Escola, v. 39, p. 59-67, Fev. 2017.

MEYER, X. S.; CRAWFORD, B. A. Multicultural Inquiry Toward Demystifying Scientific Culture and Learning Science. Science Education, v. 99, n. 4, p. 617-637, 2015.

MORAES, R.; GALIAZZI, M. C. Análise Textual Discursiva. Ijuí: Editora Unijuí, 2007. 224p.

MUNIZ, A. S., GONÇALVES, M. Chá De Boldo: o saber popular fazendo-se saber científico no Ensino de Química. In: SANTOS C. C. (Org.), Estudos Interdisciplinares nas Ciências Exatas e da Terra e Engenharias. Editora Atena: Ponta Grossa/PR, 2019. p. 1-12.

NASCIMENTO, E. D. O. Práticas epistêmicas em atividades investigativas de Ciências. Dissertação (Mestrado em Ensino de Ciências e Matemática). UFS, São Cristovão, 2015, 88p.

PEDASTE, M.; MÄEOTS, M.; SIIMAN, L. A.; JONG, T.; RIESEN, S. A. N.; KAMP, E. T.; TSOURLIDAKI, E. Phases of inquiry-based learning: Definitions and the inquiry cycle. Educational Research Review, v. 14, p. 47-61, 2015.

RODRIGUES, M. B. P.; NASCIMENTO, E. M. M.; ALMEIDA, S. S. M. S. A Utilização de Fórmulas Estruturais da Composição Química de Plantas Medicinais no Ensino de Química Orgânica. In: 51o Congresso Brasileiro de Química, 2011, MA. Anais... São Luís, MA: ABQ, 2011.

SANDOVAL, W. A. Understanding students’ practical epistemologies and their influence on learning through inquiry. Science Education, v. 89, p. 634-656, 2005.

SARTORI, L. R.; FERREIRA, M. S.; PERAZZO, F. F.; MANDALHO LIMA, L., CARVALHO, J. C. T. Atividade antiinflamatória do granulado de Calendula officinalis L. e Matricaria recutita L. Revista Brasileira de Farmacognosia, v. 13, p. 17-19, 2003.

SASSERON, L. H. Alfabetização científica, ensino por investigação e argumentação: relações entre ciências da natureza e escola. Ensaio: Pesquisa em Educação em Ciências, v. 17, p. 49-67, 2015.

SASSERON, L. H.; DUSCHL, R. A. Ensino de ciências e as Práticas epistêmicas: o papel do professor e o engajamento dos estudantes. Investigações em Ensino de Ciências, v. 21, n. 2, p. 52-67, 2016.

SASSERON, L. H.; SOUZA, T. N. O engajamento dos estudantes em aula de Física: apresentação e discussão de uma ferramenta de análise. Investigações em Ensino de Ciências, v. 24, n. 1, p. 139-153, 2019.

SILVA, D. The Chemistry of teas: a theme for the theaching of organic chemistry. Dissertação (Mestrado em Ciências Biológicas). UFSM, Santa Maria, 2011. 99p.

SILVA, M. B. A construção de inscrições e seu uso no processo argumentativo em uma atividade investigativa de biologia. Tese (Doutorado em Educação). USP, São Paulo, 2015.

SOLINO, A. P.; FERRAZ, A. T; SASSERON, L. H. Ensino por investigação como abordagem didática: desenvolvimento de práticas científicas escolares. In: SIMPÓSIO NACIONAL DE ENSINO DE FÍSICA, 21, 2015, SP. Anais... São Paulo: USP, 2015. p.

TALANQUER, V. Chemical rationales: another triplet for chemical thinking. International Journal of Science Education, v. 40, n. 15, p. 1874-1890, 2018.

TOBIN, K. The Sociocultural Turn in Science Education and Its Transformative Potential. In: C. Milne; K. Tobin; D. DeGennaro (Eds.), Sociocultural Studies and Implications for Science Education. Dordrecht: Springer. 2015. p. 3-31.

Downloads

Publicado

30/08/2022

Como Citar

Fonseca, F. A. da, & Silva, F. C. (2022). Dos conhecimentos tradicionais às práticas epistêmicas: situando conceitos químicos nos contextos dos estudantes. INTERFACES DA EDUCAÇÃO, 13(38). https://doi.org/10.26514/inter.v13i38.4536