Pedagogia Waldorf: educar para liberdade é desenvolver o pensar, o sentir e o querer

Autores

  • Jonas Bach Junior
  • Tania Stoltz UFPR
  • Marcelo da Veiga Alanus Hoschschule

Palavras-chave:

Pedagogia Waldorf. Rudolf Steiner. educação. liberdade

Resumo

Este artigo apresenta o resultado da pesquisa empírica da tese de doutorado sobre a Pedagogia Waldorf, onde professores revelam o que significa para eles educar para a liberdade. Este estudo empregou as técnicas da entrevista semiestruturada com professores Waldorf brasileiros. Os dados obtidos dos participantes foram gravados, transcritos e interpretados pelo pesquisador utilizando categorias de análise. Os resultados mostraram uma discussão da educação para liberdade como desenvolvimento integral do pensar, do sentir e do querer. O dogmatismo foi apontado como o principal desafio a ser superado para uma verdadeira compreensão da Pedagogia Waldorf. Os participantes discutiram a questão da importação de elementos culturais inadequados ao contexto brasileiro. O desafio da Pedagogia Waldorf é aliar suas metas teóricas ao contexto onde professores e escolas estão inseridos. Para isto, a questão curricular deve ser abordada de modo flexível e vinculado aos ideais desta filosofia de educação.

 

 

Biografia do Autor

Jonas Bach Junior

Pesquisador do Pós-Doutorado no Departamento de Filosofia da Educação da Unicamp. Doutor em Educação pela UFPR.

Tania Stoltz, UFPR

Pós-Doutorado em Educação (Alanus Hochschule). Doutorado em Educação (PUC-SP). Professora Associada I da UFPR.

Marcelo da Veiga, Alanus Hoschschule

Doutorado em Filosofia (Universidade de Dortmund). Professor na Alanus Hochschule.

Downloads

Publicado

27/01/2015

Como Citar

Junior, J. B., Stoltz, T., & da Veiga, M. (2015). Pedagogia Waldorf: educar para liberdade é desenvolver o pensar, o sentir e o querer. INTERFACES DA EDUCAÇÃO, 5(15), 222–243. Recuperado de https://periodicosonline.uems.br/index.php/interfaces/article/view/457