Tendências de pesquisas brasileiras em Ensino de Biologia (2013 - 2018): um estudo de periódicos, dissertações e teses

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26514/inter.v12i35.4648

Palavras-chave:

Pesquisa em Ensino de Biologia, Produção Científica, Ensino de Ciências.

Resumo

Tendo em vista a importância ao manifestar o conjunto de valores, princípios e interesses de uma época, o Ensino de Ciências tem sido evidenciado nos últimos anos como objeto de pesquisa. Assim, este artigo tem como objetivo de analisar a produção acadêmica expressa em periódicos brasileiros, dissertações e teses na área de ensino de Ciências e Biologia. Para tanto, selecionamos cinco periódicos com Qualis-CAPES A1 e A2 (quadriênio 2013-2016), dissertações e teses, todos referentes ao período de 2013 a 2018, e os analisamos mediante à análise de conteúdo. Identificamos como resultados aspectos como ápices temporais de publicação que ocorreu em 2015; principais focos temáticos abordados, no caso, destacou-se a formação de conceitos; subáreas da biologia privilegiada foi “outros”, voltados para o ensino de Ciências, e não especificamente ao conteúdo da Biologia, seguida pela educação ambiental; níveis escolares mais estudados foi no ensino superior, origem institucional dos pesquisadores envolvidos e a concentração de publicações na área ocorreu na região sudeste, que sinalizaram, à guisa de conclusão, para a carência de pesquisas voltadas para o ensino de Biologia para regiões norte, nordeste e centro-oeste brasileiras e para a Educação Infantil, Educação à Distância e Educação de Jovens e Adultos.

Biografia do Autor

Valéria Cristina Ferrari Petik, Universidade Estadual do Paraná - UNESPAR / Campus de Paranavaí

Graduada em Ciências Biológicas (UNIPAR, 2007), Especialista em Gestão Ambiental (UNESPAR, 2009), Especialista em Educação Especial (UNESPAR, 2009), Especialista em Educação à Distância (UNESPAR, 2013) e Mestre em Ensino (UNESPAR, 2019).

Caroline Oenning de Oliveira, Universidade Estadual de Maringá - UEM

Graduada em Ciências Biológicas (UNESPAR, 2016), Especialista em Auditoria, Perícia e Educação Ambiental (FATECIE, 2016), Mestre em Ensino (UNESPAR, 2018) e Doutoranda em Educação para a Ciência e Matemática (UEM, 2019 - 2023).

Marcia Regina Royer, Universidade Estadual do Paraná - UNESPAR / Campus de Paranavaí

Graduada em Ciências Biológicas (UEM, 1996), Mestre em Agronomia (UEM, 1999), Doutora em Agronomia (UEM, 2004), Professora Adjunto da Universidade Estadual do Paraná - Campus Paranavaí (UNESPAR), Colegiado de Ciências Biológicas e Professora, Orientadora e Coordenadora do curso de Mestrado em Ensino: Formação Docente Interdisciplinar (PPIFOR - UNESPAR / Campus Paranavaí).

Referências

BASSOLI. F. Atividades práticas e o ensino- aprendizagem de ciência(s): mitos, tendências e distorções. Revista Ciência e Educação. Bauru, v. 20, n. 3, p. 579-593, 2014.

BRASIL. Lei n. 9.394 de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Diário Oficial da União, Brasília, v. 134, n. 248, p. 27.883-27.841, 23 de dezembro de 1996.

CACHAPUZ, A.; GIL-PEREZ, D.; de CARVALHO, A. M. P.; PRAIA, J.; VILCHES, A. A necessária renovação do ensino das ciências. São Paulo: Cortez, 2005.

CAPES. Pós-graduação brasileira teve avanço qualitativo na última década. 2017. Disponível em: https://www.capes.gov.br/pt/36-noticias/8559-pos-graduacao-brasileira-teve-avanco-qualitativo-na-ultima-decada. Acesso em: 16 jun. 2019.

CAPES. Cursos avaliados e recomendados. 2019. Disponível em: https://sucupira.capes.gov.br/sucupira/public/consultas/coleta/programa/quantitativos/quantitativoRegiao.jsf;jsessionid=+AvPKSbem7v+krDj00qcI38W.sucupira-208. Acesso em 14 de setembro de 2019.

COSTA, E. S. Tendências atuais da pesquisa em escrita de sinais no Brasil. Revista Diálogos, v. 6, n. 1, jan.-abr. 2018.

CRESWELL, J. W. Projeto de pesquisa: métodos qualitativos, quantitativos e mistos. 2. ed. Porto Alegre: Artmed, 2007.

GUIMARÃES, M. Educação Ambiental Crítica. In: LAYRARGUES, P. P. (Coord.). Identidades da educação ambiental brasileira. Brasília: Ministério do Meio Ambiente (MEC). Diretoria de Educação Ambiental, p. 25-34, 2004.

GOLDSCHMIDT, A. I.; GOLDSCHMIDT-JÚNIOR, J. L. G.; LORETO, É. L. Concepções referentes à ciência e aos cientistas entre alunos de anos iniciais e alunos em formação docente. Contexto e Educação. v. 29, n. 92, p. 132-164, 2014.

JANERINE, A. S.; LEAL, M. C. Visões sobre Ciência, Cientista e Método Científico entre os Licenciados em Química da Universidade Federal de Lavras. In: ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS - ENPEC VIII, Rio, Campinas. Anais eletrônicos [...]. 2011. Disponível em: http://www.nutes.ufrj.br/abrapec/viiienpec/resumos/R0364-1.pdf. Acesso em: fevereiro de 2020.

MAYR, E. Biologia, ciência única: reflexões sobre a autonomia de uma disciplina científica. São Paulo: Companhia das Letras. Prefácio de Drauzio Varella; tradução de Marcelo Leite, 2005.

MEGID NETO, J. (Coord.). O ensino de Ciências no Brasil: catálogo analítico de teses e dissertações, 1972-1995. Campinas: UNICAMP/FE/CEDOC, 1998.

MORAES, R. Análise de conteúdo. Revista Educação, Porto Alegre, v. 22, n. 37, p. 7-32, 1999.

NARDI, R. (Org.) A pesquisa em ensino de ciências no Brasil: alguns recortes. São Paulo: Escrituras, 2007.

OCDE. PISA 2015 Assessment and Analytical Framework: Science, Reading, Mathematic and Financial Literacy. Paris: OECD Publishing. 2016.

SALES, A. B.; OLIVEIRA, M. R. de; LANDIM, M. F. Pesquisa em ensino em biologia: uma análise preliminar de periódicos nacionais. COLÓQUIO INTERNACIONAL "EDUCAÇÃO E CONTEMPORANEIDADE", V, 2011, São Cristóvão, SE. Anais eletrônicos [...]. São Cristóvão, SE: EDUCON, 2009. Disponível em: http://ri.ufs.br/jspui/handle/riufs/8731. Acesso em: fevereiro 2020.

SANTINELO, P. C. C.; ROYER, M. R.; ZANATTA, S. C. A Educação Ambiental no Contexto Preliminar da Base Nacional Comum Curricular. Pedagogia em Foco. Iturama (MG), v. 11, n. 6, p. 104-115, jul./dez. 2016.

SILVA, M. G.; AMARAL, E. M. R. Pesquisa em ensino de biologia: características da produção acadêmica do Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências da Universidade Federal Rural de Pernambuco, Brasil. Ciênc. Educ. Bauru, v. 21, n. 2, p. 285-305, 2015.

SLONGO, I. I. P; DELIZOICOV, D. Teses e dissertações em ensino de biologia: uma análise histórico epistemológica. Revista Investigações em Ensino de Ciências, v. 15, n. 2, p. 275-296 2010.

SOUZA, A. L. S.; CHAPANI, D. T. Necessidades formativas dos professores que ensinam ciências nos anos iniciais. Práxis Educacional. Vitória da Conquista, v. 11, n. 19, p. 119-136, maio/agosto 2015.

TEIXEIRA, A. Ensino Superior no Brasil: Análise e interpretação de sua evolução até 1969. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas, 1989.

TOBALDINI, B. G.; CASTRO, L. P. V. de; JUSTINA, L. A. D.; MEGLHIORATTI, F. A. Aspectos sobre a natureza da ciência apresentados por alunos e professores de licenciatura em ciências biológicas. Revista Eletrónica de Enseñanza de las Ciencias. v. 10, n. 3, p. 457-480, 2011.

TRINDADE, H. Saber e poder: os dilemas da universidade brasileira. Revista Estudos avançados. São Paulo, v. 14, n. 40, p. 122-133, set./dez. 2000.

Downloads

Publicado

02/11/2021

Como Citar

Petik, V. C. F., de Oliveira, C. O., & Royer, M. R. (2021). Tendências de pesquisas brasileiras em Ensino de Biologia (2013 - 2018): um estudo de periódicos, dissertações e teses. INTERFACES DA EDUCAÇÃO, 12(35), 184–205. https://doi.org/10.26514/inter.v12i35.4648