EDUCAÇÃO PROFISSIONAL TÉCNICA: CONCEPÇÃO DOCENTE NA PERSPECTIVA DE UMA EDUCAÇÃO HUMANIZADORA

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26514/inter.v13i38.4700

Palavras-chave:

Concepção docente. Ensino técnico. Educação humanizadora.

Resumo

No contexto da educação profissional este artigo aponta a relação do ensino técnico e o aspecto humanizador na formação para o trabalho. O presente estudo tem como objetivo compreender como docentes do Instituto Federal da Paraíba relacionam sua prática no ensino profissional técnico numa perspectiva de uma educação humanizadora. Os docentes da pesquisa lecionam no curso técnico subsequente ao ensino médio, tendo uma duração de dois anos, direcionado à qualificação para o mercado de trabalho, aliado a uma formação cidadã. Trata-se de um recorte de pesquisa de mestrado de abordagem qualitativa, de caráter exploratório e descritivo, pelo qual analisamos a fala dos docentes através das categorias analíticas: trabalho, humanização e prática docente. Utilizamos como referencial teórico, Freire (1996), Libâneo (2003), Tardif (2002), dentre outros. A partir da análise das informações obtidas evidenciou uma compreensão pelos docentes da importância da inseparabilidade entre teoria e prática, onde a sua prática seja pautada numa relação dialógica, ética, com compromisso e responsabilidade.

Referências

BARDIN. Laurence. Análise de Conteúdo. Tradução de Luís Antero Reto e Augusto Pinheiro. Lisboa: Edições 70, 1977.

BRASIL. Comitê Nacional de Educação em Direitos Humanos. Plano Nacional de Educação em Direitos Humanos / Comitê Nacional de Educação em Direitos Humanos. – Brasília: Secretaria Especial dos Direitos Humanos, Ministério da Educação, Ministério da Justiça, UNESCO, 2007.

_______. Educação profissional técnica de nível médio integrada ao ensino médio. Documento Base. Brasília: MEC. SETEC. 2007. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/setec/arquivos/pdf/documento_base.pdf>. Acesso em: 20 set. 2016.

_______. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Média e Tecnológica. Parâmetros Curriculares Nacionais (Ensino Médio). Brasília: MEC, 2000.

_______. Parecer 16/99, de 05 de outubro de 1999. Documento, Brasília, n. 457, p. 3-73, out. 1999. Fixa as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Profissional de Nível Técnico. 1999a. Disponível em: . Acesso em: 10 nov. 2016.

_______. Resolução CNE/CEB n° 04/99, de 5 de outubro de 1999. Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Profissional do Nível Técnico. 1999b.

_______. Senado Federal. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional: nº 9394/96. Brasília, 1996.

CNE/CEB. Parecer nº 11/2012 de 09 de maio de 2012. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Profissional Técnica de Nível Médio.

CNE/CEB. Resolução nº 6/2012 de 20 de Setembro de 2012. Define Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Profissional Técnica de Nível Médio.

CNE/CEB. Resolução nº 1, de 05 de dezembro de 2014.

CONTRERAS, José. A autonomia de professores. Tradução de Sandra Trabucco Valenzuela. São Paulo: Cortez, 2002.

DEMO. Pesquisa: Princípio científico e educativo. 14 ed. São Paulo: Cortez, 2011.

FÁVERO, Altair Alberto; TONIETO, Carina. Educar o educador: reflexões sobre a formação docente. Campinas, SP: Mercado de Letras, 2010.

FREIRE, Paulo. Educação como Prática da Liberdade. 29ª ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2006.

______. Educação e Mudança. 31ª ed. São Paulo: Paz e Terra, 2008.

______. Pedagogia da Autonomia: Saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

_______. Pedagogia da Esperança: Um reencontro com a Pedagogia do oprimido. 3ª ed.Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1992.

______. Pedagogia do Oprimido. 38.ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2004.

FRIGOTTO, Gaudêncio. A produtividade da escola improdutiva: um (re) exame das elações entre educação e estrutura econômico-social e capitalista./ Gaudêncio Frigotto – 8.ed. – São Paulo: Cortez, 2006.

_________, Gaudêncio; CIAVATTA, Maria; RAMOS, Marise. (Org.). Ensino Médio Integrado: concepção e contradições. São Paulo: Cortez, 2005.

GADOTTI, Moacir. Comunicação docente. 3ª edição. São Paulo: Loyola, 1985.

GAMBOA, S. S. Quantidade-qualidade: para além de um dualismo técnico e de uma dicotomia espistemológica. In: SANTOS FILHO, J. C. dos; GAMBOA, S. S. Pesquisa educacional: quantidade-qualidade. 6. ed. São Paulo: Cortez, 2007.

IFPB. Plano de Desenvolvimento Institucional PDI (2015 – 2019).

JORDÃO, Teresa Cristina. Formação de educadores. A formação do professor para a educação em um mundo digital. In: Salto para o futuro. Tecnologias digitais na educação. Ano XIX, boletim 19. Nov-dez. 2009.

LIBÂNEO, José Carlos. Adeus professor, adeus professora? : novas exigências educacionais e profissão docente. 7ª edição. São Paulo: Cortez, 2003.

LOMBARDI, José Claudinei et al. (orgs.). Capitalismo, Trabalho e Educação. Campinas, SP: Autores Associados/HISTEDBR, 2002.

MARTINS, Marcos Francisco. Ensino técnico e globalização: cidadania ou submissão? – Campinas, SP: Autores Associados, 2000.

MINAYO, Maria Cecília de Souza. O desafio da pesquisa social. In: _________ (Org.) Pesquisa Social: Teoria, Método e Criatividade. 14.ed. Ed. Vozes; Petropólis, 1999.

______. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 5ª edição. São Paulo – Rio de Janeiro: Hucitec-Abrasco, 1998.

MORIN, Edgar. Os setes saberes necessários à educação do futuro. Tradução de Catarina Eleonora F. Silva e Jeanne Sawaya. São Paulo: Cortez, 2000.

NÓVOA, Antônio. Formação de professores e formação docente. In: Os professores e a sua formação, do mesmo autor. Publicações Dom Quixote, Lisboa, 1992.

PERRENOUD, Philippe. A prática reflexiva no ofício de professor: profissionalização e razão pedagógica. Porto Alegre: Artmed, 2002.

PIMENTA, Selma Garrido. Saberes pedagógicos e atividade docente. São Paulo: Cortez, 2005.

SCHETTINI FILHO, Luiz. Pedagogia da ternura. Petrópolis: Vozes, 2010.

TARDIF, Maurice. Saberes Docentes e Formação Docente. Petrópolis: Vozes, 2002.

Downloads

Publicado

30/08/2022

Como Citar

Mota, C. P., & Palhano, T. (2022). EDUCAÇÃO PROFISSIONAL TÉCNICA: CONCEPÇÃO DOCENTE NA PERSPECTIVA DE UMA EDUCAÇÃO HUMANIZADORA. INTERFACES DA EDUCAÇÃO, 13(38). https://doi.org/10.26514/inter.v13i38.4700