NEUROCIÊNCIA NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES: UMA ANÁLISE DAS MATRIZES CURRÍCULARES DOS CURSOS DE LICENCIATURA DE UMA UNIVERSIDADE PÚBLICA DO NORDESTE NEUROSCIENCE IN TEACHER TRAINING: AN ANALYSIS OF THE CURRICULUM MATRICES OF THE GRADUATION COURSES OF A PUBLIC UNIVERSITY OF THE NORTHEAST

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26514/inter.v13i38.4866

Palavras-chave:

Neurociência, Formação de Professores, Licenciatura, Ensino.

Resumo

RESUMO

O trabalho aborda as contribuições da Neurociência para a formação de professores, precisamente no que concerne ao processo de ensino e aos impactos na aprendizagem dos educandos. Com base nas contribuições da Neurociência para a educação, o texto tem como objetivo analisar a incorporação ou não pela universidade dos conhecimentos científicos oriundos desse campo no âmbito da formação docente, exame realizado tendo como referência matrizes curriculares de cursos de licenciatura. As análises decorrem de uma investigação teórica, apoiada em fontes bibliográficas e documentais. As matrizes curriculares de 12 cursos de licenciatura de uma universidade pública, multicampi, situado no Nordeste brasileiro, apresentam-se como material básico do estudo. Entre os resultados destaca-se a imperiosa necessidade de atualização dos currículos acadêmicos, de modo particular os currículos das licenciaturas, com vistas a disseminar no âmbito da formação docente os conhecimentos sobre o funcionamento do sistema nervoso e seus impactos enquanto inibidor ou potencializador da aprendizagem humana, entendidos como substrato fulcral para a renovação dos processos de ensinar e aprender. É imperioso pontuar que a apropriação dos saberes produzidos no âmbito da neuroeducação e neuroaprendizagem configuram-se como contributo à melhoria da profissionalidade docente.

Palavras-chave:  Neurociência; Formação de Professores; Ensino; Licenciatura.

 

ABSTRACT

The work addresses the contributions of Neuroscience to the training of teachers, precisely with regard to the teaching process and the impacts on students' learning. Based on the contributions of Neuroscience to education, the text aims to analyze the incorporation or not by the university of scientific knowledge from this field in the context of teacher education, an examination carried out with reference to curricular matrices of undergraduate courses. The analyzes result from a theoretical investigation, supported by bibliographical and documentary sources. The curricular matrices of 12 undergraduate courses at a public university, multicampi, located in the Northeast of Brazil, are presented as basic material of the study. Among the results, there is a great need to update academic curriculum, in particular the curriculum of undergraduate courses, with a view to disseminating, within the scope of teacher training, knowledge about the functioning of the nervous system and its impacts as an inhibitor or enhancer of human learning , understood as a key substrate for the renewal of teaching and learning processes. It is imperative to point out that the appropriation of knowledge produced within the scope of neuroeducation and neuro-learning is configured as a contribution to the improvement of teaching professionalism.

Keywords: Neuroscience; Teacher training; Teaching; Graduation.

Biografia do Autor

Maria Gerlaine Belchior Amaral, Universidade Federal de Campina Grande

Doutora em Educação Brasileira (UFC). Estágio Pós-Doutoral em Formação e Desenvolvimento Profissional Docente (UECE). Professora do Centro de Formação de Professores da Universidade Federal de Campina Grande (UFCG). Membro do grupo de pesquisa Educação, Cultura Escolar e Sociedade (EDUCAS/CNPq). Psicanalista Clínica.

Willana Nogueira Medeiros Galvão, Instituto Federal do Ceará (IFCE)

Doutoranda em Educação (UECE). Mestre em Educação (UFPE) e graduada em Pedagogia (UECE). Professora do Instituto Federal do Ceará (IFCE) e membro dos grupos de pesquisa Política Educacional, gestão e aprendizagem (UECE) e Políticas públicas de educação e enfrentamento da desigualdade social (UFPE).

Isabel Maria Sabino Farias, Universidade Estadual do Ceará (UECE)

Doutora em Educação Brasileira (UFC), com Estágio Pós-Doutoral pela Universidade de Brasília (UnB). Professora do Centro de Educação e do Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE) da Universidade Estadual do Ceará (UECE). Líder do grupo de pesquisa Educação, Cultura Escolar e Sociedade (EDUCAS/CNPq). Coordenadora do Observatório Desenvolvimento Profissional Docente e Inovação Pedagógica.

Referências

Referências

BRASIL. Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Lei 9394/96. MEC. Brasília, 1996.

BRAVO. R. S. Técnicas de investigación social: teoria e ejercicios. 7ª edicion revisada. Madrid: 1991, sección 4.

CARVALHO, D.; VILLAS BOAS, C. A. Neurociências e formação de professores: reflexos na educação e economia.Ensaio: aval.pol.públ.Educ. [online]. 2018, vol.26, n.98, p.231-247. Disponível em:http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-40362018000100231 . Acesso em: 15 set. de 2019.

CARVALHO, F. A.H.. Neurociências e educação: uma articulação necessária na formação docente. Trab. educ. saúde [online]. v.8, n.3, p.537-550, 2010. Disponível em:http://www.scielo.br/pdf/tes/v8n3/12.pdf . Acesso em: 11 set. de 2019.

COCH, D.; ANSARI, D. Thinkingaboutmechanismsis crucial toconnectingneuroscienceandeducation. Cortex, v. 45, n. 4, p. 546–547, 2009. Disponível em:http://www.scielo.br/pdf/ensaio/v26n98/1809-4465-ensaio-26-98-0231.pdf. Acesso em: 15 set. de 2019.

FARIAS, I. M. S. de; SILVA, S. P. Os procedimentos de coleta de dados. In: _________. Pesquisa e Prática Pedagógica II. Fortaleza: RDS, 2009, p.35-53.

FRANCO, M. L. P. B. Análise de conteúdo. Brasília: Plano Editora, 2003.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 43. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2011.

GROSSI, M. G. R.; LOPES, A. M.; COUTO, P. A. A neurociência na formação de professores: um estudo da realidade brasileira. Educação e Contemporaneidade.v. 23, n. 41, p. 27-40,2014. Disponível em: https://revistas.uneb.br/index.php/faeeba/article/view/821 . Acesso em: 30 agost. de 2019.

GUERRA, L. B. Como as neurociências contribuem para e educação escolar? FGR em revista, Belo Horizonte, v. 4, n. 5, p. 6-9, 2010. Disponível em: <http://www.fgr.org.br/site/revistas/revista_5edicao.pdf>. Acesso em: 02 dez. 2012.

MENÁRGUEZ, A. T. O cérebro precisa se emocionar para aprender. 2018. Disponível em: https://www.revistapazes.com/cerebro-precisa-se-emocionar-para-aprender/>. Acesso em: 17 de abr. 2020.

MENDES, E. T. B.; FARIAS, I. M. S.; NÓBREGA-THERRIEN, S. M. Trabalhando com materiais diversos e exercitando o domínio da leitura: a pesquisa bibliográfica e a pesquisa documental. In: NÓBREGA-THERRIEN, S. M.; FARIAS, I. M. S.; NUNES, J. C. (Orgs.) Pesquisa científica para iniciantes: caminhos no labirinto. Fortaleza: EdUECE, 2011, p.25-42 (vol. III).

METRING, R. Neuropsicologia e aprendizagem: fundamentos necessários para planejamento do ensino. Rio de Janeiro: Wak, 2011.

MORA, F. Como funciona o cérebro. Porto Alegre: Artmed, 2004.

RELVAS, Marta Pires. Neurociência e educação: potencialidades dos gêneros humanos na sala de aula. 2. ed. Rio de Janeiro: Wak Editora, 2010.

Downloads

Publicado

30/08/2022

Como Citar

Amaral, M. G. B., Galvão, W. N. M., & Farias, I. M. S. (2022). NEUROCIÊNCIA NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES: UMA ANÁLISE DAS MATRIZES CURRÍCULARES DOS CURSOS DE LICENCIATURA DE UMA UNIVERSIDADE PÚBLICA DO NORDESTE NEUROSCIENCE IN TEACHER TRAINING: AN ANALYSIS OF THE CURRICULUM MATRICES OF THE GRADUATION COURSES OF A PUBLIC UNIVERSITY OF THE NORTHEAST. INTERFACES DA EDUCAÇÃO, 13(38). https://doi.org/10.26514/inter.v13i38.4866