Neoliberalismo e Formação de Professores: subjetividades conflitantes

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26514/inter.v13i37.5410

Palavras-chave:

Formação inicial, Análise do Discurso, Subjetividade

Resumo

O campo da formação de professores pode  trazer importantes contribuições para a melhoria da qualidade da educação, incluindo a formação inicial, que possibilita o contato com saberes e discursos sobre a educação e a prática pedagógica, envolvendo discussões sobre o exercício da profissão docente, a intencionalidade e as dimensões que permeiam os processos de ensino e aprendizagem. Nesse sentido, esta pesquisa objetivou coletar as significações de licenciandos concluintes quanto ao papel que atribuem à escola, na perspectiva qualitativa. Para tanto, foram utilizados questionário e entrevistas para captar discursos, que passaram por posterior análise discursiva a partir do referencial foucaultiano. Buscou-se identificar elementos que evidenciem a construção da subjetividade destes futuros professores, desvelando técnicas do eu e de poder responsáveis por modificar a experiência que estes indivíduos fazem de si e do mundo ao se redor. Os resultados apontam para a significativa contribuição da formação inicial nas concepções dos licenciandos, sobre como concebem o processo educativo, o papel da escola e do professor, além de revelar formas de resistência e oposição ao discurso dominante juntamente com um olhar crítico sobre os desafios e a realidade que o cenário educacional brasileiro impõe.

Biografia do Autor

Lucas Cardoso Toniol, Universidade Federal de São Carlos

Mestrando em educação pelo PPGE/UFSCar.

Elaine Gomes Matheus Furlan, Universidade Federal de São Carlos (UFSCar)

Professora adjunta na Universidade Federal de São Carlos e docente do Programa de Pós- Graduação em Educação em Ciências e Matemática/UFSCar Araras

Referências

ALVES, R. S. P. Neoliberalismo e Educação: uma década de intervenções do Banco Mundial nas Políticas Públicas do Brasil (2000–2010). In: SIMPÓSIO NACIONAL DE HISTÓRIA (SNH), 26, São Paulo, SP. Anais… São Paulo: USP, 2011,.p. 1-16.

ANDERSON, Perry. Balanço do Neoliberalismo. In: SADER, E..(org) Pós Neoliberalismo - As políticas Sociais e o Estado Democrático, São Paulo, Editora Paz e Terra, 1995.

BOGDAN, R. C.; BIKLEN, S. K. Investigação qualitativa em educação. Porto: Porto Editora, 1994.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Resolução CNE/CP nº 2 de 1 de julho de 2015. Define as Diretrizes Curriculares Nacionais para a formação inicial em nível superior (cursos de licenciatura, cursos de formação pedagógica para graduados e cursos de segunda licenciatura) e para a formação continuada. Portal MEC. Brasília: MEC/CNE/CP 2015.

CANDAU, V. M. (Org.). Rumo a uma nova didática. 21. ed. Petrópolis: Vozes, 2011.

FELDENS, M. G. F. Desafios na educação de professores: analisando e buscando compreensões e parcerias institucionais. In: SERBINO, R. V. et. al. Formação de professores. São Paulo: Fundação Editora da UNESP, p. 125-137, 1998.

FISCHER, R. M. B. Foucault revoluciona a pesquisa em educação?. Perspectiva, v. 1, n. 2, p. 371-389, 2003.

FOUCAULT, M. Tecnologias de si, 1982. Verve. revista semestral autogestionária do Nu-Sol, n. 6, p. 321-360, 2004.

FOUCAULT, M. A verdade e as formas jurídicas. Rio de Janeiro: Nau Editora, 2002.

FOUCAULT, M. A Arqueologia do Saber. 8. ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2012.

FOUCAULT, M. A ordem do Discurso: aula inaugural no Collége de France, pronunciada em 2 de dezembro de 1970. 24. ed. São Paulo: Loyola, 2014.

GARCIA, C. M. Formação de professores: para uma mudança educativa. Porto: Porto Editora, 1999.

GIROUX, H. A., Os professores como intelectuais: rumo a uma pedagogia crítica da aprendizagem. Porto Alegre: Artes Médicas, 1997.

LOPES, E. C. P. M.; CAPRIO, M., As influências do modelo neoliberal na educação. Revista on line de Política e Gestão Educacional, n. 5, 2008.

LUDKE, M.; ANDRÉ, M., Pesquisa em Educação: abordagens qualitativas. São Paulo: EPU, 2012.

MARRACH, S. A. et al. Neoliberalismo e educação. In: CELESTINO, A. S. et al. Infância, educação e neoliberalismo. São Paulo: Cortez, p. 42-56, 1996.

POPKEWITZ, T. S. Formação de professores e profissão docente. In: NÓVOA, A. Os professores e sua formação. Lisboa, Portugal: Dom Quixote, 1992.

RAGO, M. O efeito-Foucault na historiografia brasileira. ​Tempo Social​; Rev. Sociol. USP, S. Paulo, 7(1-2): 67-82, outubro de 1995.

VEIGA-NETO, A., Foucault & a educação. 3. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2016.

VEYNE, P. Foucault: His Thought, His Character. Cambridge: Polity Press, 2010.

Downloads

Publicado

21/05/2022

Como Citar

Cardoso Toniol, L., & Gomes Matheus Furlan, E. (2022). Neoliberalismo e Formação de Professores: subjetividades conflitantes. INTERFACES DA EDUCAÇÃO, 13(37). https://doi.org/10.26514/inter.v13i37.5410

Edição

Seção

Artigos