Fotografando multiplicidades: imaginando os significados da escola

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26514/inter.v13i37.5553

Palavras-chave:

Educação, Escola, Fotografia, Docência.

Resumo

O presente trabalho tem como objetivo refletir, com o auxílio da fotografia, da teoria educacional, da antropologia e da filosofia, sobre as multiplicidades que podem compor uma escola pública, em uma tentativa de romper com essencialismos e binarismos a respeito desse espaço. Para tanto, apresenta-se uma atividade realizada com diferentes estudantes de duas turmas de ensino médio regular, de uma escola estadual, no município de Porto Alegre. Nessa atividade em questão os sujeitos foram convidados a fotografar sua escola tendo em mente a seguinte questão: “qual o significado que a escola tem para você?”. As fotografias registradas por esses sujeitos são, então, analisadas no presente trabalho como forma de possibilitar pensar, a partir dos possíveis significados presentes em cada fotografia, como cada sujeito imagina sua escola e relaciona-se com ela. Esse trabalho possibilita, também, pensar metodologicamente em formas de incluir os sujeitos de modo ativo na produção do conhecimento científico. Ao fim desse trabalho concluímos, a partir da atividade desenvolvida, tecendo algumas considerações sobre a docência como um contínuo processo de criação.

Biografia do Autor

Thiago Vinícius Silva da Luz, Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social (PPGAS), Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)

Mestrando do Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social (PPGAS), da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Licenciado em Ciências Sociais (UFRGS). Integrante do Grupo de Estudos em Educação e Transgressão (GEETRANS/UFRGS).

Rosângela de Fátima Rodrigues Soares, Faculdade de Educação (FACED), Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)

Mestre e Doutora em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Professora Associada da Faculdade de Educação da UFRGS. Membro e pesquisadora do Grupo de estudos em educação e relações de gênero (GEERGE), atuando principalmente nos seguintes temas: formação de professores, gênero e culturas juvenis.

Referências

CAIUBY NOVAES, Sylvia. Imagem e Ciências Sociais: trajetória de uma relação difícil. In: BARBOSA, Andrea; CUNHA, Edgar Teodoro da; HIKIJI, Rose Satiko Gitirana. (Orgs.). Imagem-conhecimento: Antropologia, cinema e outros diálogos. Campinas: Papirus, 2009. p. 35-59.

CORAZZA, Sandra Mara. O que se transcria em educação? 1. ed. Porto Alegre: Doisa, 2013.

CORAZZA, Sandra Mara. Currículo e Didática da Tradução: vontade, criação e crítica. Educação & Realidade, Porto Alegre, vol. 41, n. 4. p. 1313-1335, out/dez. 2016. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/edreal/v41n4/2175-6236-edreal-58199.pdf> Acesso em: 17 mar. 2020

COSTA, Cristiano Bedin da. Para dar uma aula e fracassar. In: CORAZZA, Sandra Mara (Org.). Didaticário de criação: aula cheia. Porto Alegre: Coleção Escrileituras, 2012. p. 34-35.

DELEUZE, Gilles. Conversações (1972 – 1992). São Paulo: Editora 34, 1992.

DELEUZE, Gilles. GUATTARI, Félix. Mil Platôs: capitalismo e esquizofrenia. Vol. 1. Rio de Janeiro: Editora 34, 1995.

DELEUZE, Gilles; PARNET, Claire. Diálogos. São Paulo: Escuta, 1998.

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix. Kafka: por uma literatura menor. Belo Horizonte: Autêntica, 2014.

DREXLER, Jorge. Movimiento. Intérprete: Jorge Drexler. In: DREXLER, Jorge. Salvavidas de hielo. Espanha: Universal Music Spain S.L. 1 CD. Faixa 1.

FOUCAULT, Michel. Introdução à vida não-fascista. In: DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Felix. Anti-Oedipus: Capitalism and Schizophrenia. New York: Viking Press, 1977. p. XI-XIV. Tradução de Wanderson Flor do Nascimento. Disponível em: <http://portalgens.com.br/portal/images/stories/pdf/vidanaofascista.pdf>. Acesso em: 19 abr. 2020

GALLO, Sílvio. Em Torno de uma Educação Menor. Educação & Realidade, Porto Alegre, v. 27, n. 2, p. 168-179, jul/dez. 2002. Disponível em: <https://seer.ufrgs.br/educacaoerealidade/article/view/25926/15194>. Acesso em: 15 mar. 2020.

GAUTHIER, Clermont. Esquizoanálise do Currículo. Educação & Realidade, Porto Alegre, v. 27, n. 2, p. 143-155, jul/dez. 2002. Disponível em: <https://seer.ufrgs.br/educacaoerealidade/article/view/25924/15192>. Acesso em: 15 mar. 2020.

HARAWAY, Donna. Saberes localizados: a questão da ciência para o feminismo e o privilégio da perspectiva parcial, Cadernos Pagu, Campinas, n. 5, p. 7-41, jan. 1995. Disponível em: <https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/cadpagu/article/view/1773/1828>. Acesso em: 05 abr. 2020.

HARAWAY, Donna. Manifesto Ciborgue. In: HARAWAY, Donna; KUNZRU, Hari; TADEU, Tomaz (Orgs). Antropologia do Ciborgue: As vertigens do pós-humano. 2. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2009. p. 33-118.

HEIDEGGER, Martin. De camino del habla. Barcelona: Odós. 1987.

INGOLD, Tim. Trazendo as coisas de volta à vida: emaranhados criativos num mundo de materiais. Horizontes Antropológicos, Porto Alegre, v. 18, n. 37, p. 25-44, jan/jun. 2012. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/ha/v18n37/a02v18n37.pdf>. Acesso em: 19 mar. 2020.

INGOLD, Tim. O dédalo e o labirinto: caminhar, imaginar e educar a atenção. Horizontes Antropológicos, Porto Alegre, v. 21, n. 44, p. 21-36, jul/dez. 2015. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/ha/v21n44/0104-7183-ha-21-44-0021.pdf>. Acesso em: 18 mar. 2020.

INGOLD, Tim. Antropologia versus Etnografia. Cadernos de Campo, São Paulo, n. 26, v.1, p. 222-228, jan/dez. 2017. Disponível em: <https://www.revistas.usp.br/cadernosdecampo/article/view/140192/140850> Acesso em: 20 mar. 2020

KOSSOY, Boris. Fotografia e História. São Paulo: Ática, 1995.

MICHALS, Duane. Things Are Queer. 1973. 9 fotografias, P&B. Disponível em: <http://www.dcmooregallery.com/artists/duane-michals/series/sequences>. Acesso em: 21 mar. 2020.

NIETZSCHE, Friedrich. Assim falou Zaratustra. São Paulo: Martin Claret, 2012.

OLIVEIRA, Roberto Cardoso de. O trabalho do Antropólogo: olhar, ouvir, escrever. Revista de Antropologia, São Paulo, v. 39, n. 1, p. 13-37, jun. 1996. Disponível em: < http://www.revistas.usp.br/ra/article/view/111579/109656>. Acesso em: 07 abr. 2020.

PARAÍSO, Marlucy. Currículo, desejo e experiência. Educação & Realidade, Porto Alegre, v. 34, n. 2. p. 277-293, maio/ago. 2009. Disponível em: <https://seer.ufrgs.br/educacaoerealidade/article/view/9355/5545> Acesso em: 13 abr. 2020

PARAÍSO, Marlucy. Diferença no currículo. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, v. 40, n. 140, p. 587-604, Maio/ago. 2010. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/cp/v40n140/a1440140.pdf>. Acesso em: 11 abr. 2020.

PARAÍSO, Marlucy. Um currículo entre formas e forças. Educação, Porto Alegre, v. 38, n. 1, p. 49-58, jan/abr. 2015. Disponível em: <http://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/faced/article/view/18443/12752>. Acesso em: 14 mar. 2020.

ROHDEN, Fabíola. Considerações teórico-metodológicas sobre objetos instáveis e ausências presentes: analisando processos de materizalização do desejo feminino. In: SEGATA, Jean; RIFIOTIS, Theophilos (Org.). Políticas etnográficas no campo da ciência e das tecnologias da vida. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2018, p. 135-158.

SILVA, Tomaz Tadeu da. Documentos de Identidade: Uma Introdução às Teorias de Currículo. 3. ed. Belo Horizonte: Editora Autêntica, 2010.

STENGERS, Isabelle. No tempo das Catástrofes: resistir à barbárie que se aproxima. São Paulo: Cosac Naify, 2015.

YELICH-O’CONNOR, Ella Marija Lani; ANTONOFF, Jack. Perfect Places Intérprete: Lorde. In: LORDE. Melodrama. Los Angeles: Universal Music, 2017. 1 CD. Faixa 11.

Downloads

Publicado

21/05/2022

Como Citar

Silva da Luz, T. V., & Rodrigues Soares, R. de F. (2022). Fotografando multiplicidades: imaginando os significados da escola. INTERFACES DA EDUCAÇÃO, 13(37). https://doi.org/10.26514/inter.v13i37.5553

Edição

Seção

Artigos