Afetamentos de uma Formação Continuada em Grupo Colaborativo com Professores da Infância

Visualizações: 73

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26514/inter.v13i39.5838

Palavras-chave:

Educação Infantil, Ensino de Matemática, Formação continuada em grupos colaborativos

Resumo

Este artigo traz análises referentes ao trabalho colaborativo desenvolvido em um grupo de investigação constituído de professores, sobre questões relacionadas ao ensino de matemática. O recorte apresentado enfoca as reuniões e discussões que ocorreram sobre aspectos relacionados à Educação Infantil e suas principais conexões com a Base Nacional Comum Curricular. Estudamos temas que emergiram das demandas das professoras, sobre os quais elaboramos atividades desenvolvidas com as crianças em diferentes contextos educacionais. Tomamos por metodologia o estudo documental de narrativas colaborativas que fazem a memória de encontros. As narrativas apresentam o diálogo ocorrido nos encontros, as leituras realizadas para sua preparação, as estratégias de ação didática construídas pelas professoras, as observações feitas nas salas onde atuam, as contribuições individuais para a potencial formação de todas. Analisamos as narrativas, buscando atender ao seguinte questionamento: que práticas de ensino e aprendizagem de matemática na/para/da educação infantil são desenvolvidas por professores que participam de um grupo de estudos com características colaborativas? Como resultados, indicamos que a formação em grupos colaborativos oportuniza a apropriação de conceitos matemáticos, a ampliação do repertório de práticas pedagógicas e a afirmação de identidade docente num ambiente onde os êxitos, as dificuldades e as ansiedades são tratadas respeitosamente.

Biografia do Autor

Maria Auxiliadora Bueno Andrade Megid, PUC-CAMPINAS

Mestra e Doutora em Educação: Educação Matemática. Professora da Faculdade de Educação e do Programa de Pós-graduação em Educação da PUC-Campinas, atuando como coordenadora do referido programa. 

Alessandra Rodrigues Almeida, PUC-CAMPINAS e UNICAMP

Mestra em Psicologia da Educação e Doutora em Ensino de Ciências e Matemática. Graduada em Pedagogia e Matemática.

Jussara Cristina Barboza Tortella, PUC-CAMPINAS

Mestra e Doutora em Educação pela Unicamp. Professora da Faculdade de Educação e do Programa de Pós-Graduação em Educação. Graduada em Pedagogia.

Referências

ALMEIDA, Alessandra Rodrigues; MEGID, Maria Auxiliadora Bueno Andrade. A escrita colaborativa na formação continuada de professores que ensinam Matemática. Revista Inter Ação, v. 42, n. 1, p. 176-193, 2017.

AXT, M. et al. Era uma vez... co-autoria em narrativas coletivas intersecionadas por tecnologias digitais. In: SIMPÓSIO BRASILEIRO DE EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA, 12, 2001, Vitória. Sociedade Brasileira de Computação (SBC), 2001. p. 136-144. Disponível em: <http://www.ufrgs.br/lelic/provia/pdfs/era_uma_vez.pdf>. Acesso em: 07 jan. 2021.

BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais: introdução aos parâmetros curriculares nacionais. Brasília: MEC/SEF, 1997.

BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Referencial curricular nacional para a educação infantil. 3 v. Brasília: MEC/SEF, 1998.

BRASIL. Lei nº. 11.274, de 6 de fevereiro de 2006. Altera a redação dos arts. 29, 30, 32 e 87 da Lei n. 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Brasília: Casa Civil, 2006. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2004-2006/2006/lei/l11274.htm>. Acesso em: 10 jan. 2021.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Câmara de Educação Básica. Resolução n. 5, de 17 de dezembro de 2009. Fixa as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil. Brasília: MEC, 2009.

BRASIL. Lei Federal 13.005, de 25 de junho de 2014. Aprova o Plano Nacional de Educação - PNE e dá outras providências. Brasília: Casa Civil, 2014a. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2014/lei/l13005.htm>. Acesso em: 10 jan. 2021.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Pacto nacional pela alfabetização na idade certa: Grandezas e Medidas. Diretoria de Apoio à Gestão Educacional. Brasília: MEC/SEB, 2014b.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Base Nacional Comum Curricular. Brasília: MEC/SEB, 2017.

BRASIL. Ministério da Educação. Campos de experiências: efetivando direitos e aprendizagens na educação infantil [texto final Zilma de Moraes Ramos de Oliveira]. – São Paulo: Fundação Santillana, 2018.

CARAÇA, B. de J. Conceitos Fundamentais da Matemática. Lisboa: Tipografia Matemática, 1951.

CLANDININ, D. J.; CONNELLY, F. M. Pesquisa narrativa: experiência e história em pesquisa qualitativa. Tradução Grupo de Pesquisa Narrativa e Educação de Professores ILLE/UFU. Uberlândia: EDUFU, 2011.

CLEMENTS, D.; SARAMA, J. Math in the early years: A strong predictor for later school success. The Progress of Education Reform, [s.l.], v. 14, n. 5, p. 1-7, 2013. Disponível em:<https://www.du.edu/marsicoinstitute/media/documents/Math_in_the_Early_Years_ECS_Brief_Oct2013.pdf>. Acesso em: 10 jan. 2021.

COCHRAN-SMITH, M. A tale of two teachers: Learning to teach over time. Kappa Delta Pi Record, Philadelphia, v. 48, n. 3, p. 108-122, 2012.

COCHRAN-SMITH, M.; LLYTLE, S. L. . Relationships of knowledge and practice: Teacher learning in communities. Review of Research in Education, Indianapolis , v. 24, p. 249 - 305, 1999. Disponível em <https://journals.sagepub.com/doi/pdf/10.3102/0091732X024001249>. Acesso em: 10/01/2021.

FERREIRA, P. R. (Res)significação dos saberes docentes para educação infantil, a partir do diálogo com a etnomatemática. 2015. 121 fl. Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade Federal de São Carlos, Sorocaba, 2015.

GODOY, L. C. O.; FIGUEIROA, S. F. M. Dois Pesos e Duas Medidas: Uma Proposta Para Discutir a Natureza do Sistema de Unidades de Medida na Sala de aula. Caderno Brasileiro Ensino de Física, Florianópolis, v. 25, n. 3, p. 523-545, dez. 2008.

HARGREAVES, A. Os professores em tempo de mudança: O trabalho e a cultura dos professores na idade Pós-Moderna. Lisboa: MacGraw-Hill, 1998.

KRAMER, S.; NUNES, M. F. R.; CORSINO, P. Infância e crianças de 6 anos: desafios das transições na educação infantil e no Ensino Fundamental. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 37, n. 1, p. 69-85, 2011.

LIMA, E. A.; MELLO, S. A. Infância e lúdico: reflexões para a educação infantil. Educação em Revista, Belo Horizonte, v.7, n.1/2, p. 17-30, 2006.

LOPES, C. E. A educação estocástica na infância. Revista Eletrônica de Educação, São Carlos, v. 6, n. 1, p. 160-174, 2012.

MCCRAY, J.; CHEN, J.. Pedagogical Content Knowledge for Preschool Mathematics: Construct Validity of a New Teacher Interview. Journal of Research in Childhood Education, Filadelfia, v. 26, inserir n., p. 291-307, 2012.

MELLO, S. A. Infância e humanização: algumas considerações na perspectiva histórico-cultural. Perspectiva, Florianópolis, v. 25, n. 1, p. 57-82, jan/jun. 2007.

MENDES, F; DELGADO, C. Geometria: textos de apoio para educadores de infância. Lisboa: Ministério da Educação, 2008.

MESQUITA, A. S.; GRANDO, R. C. Letramento matemático nos anos iniciais do ensino fundamental em uma prática docente insubordinada criativamente. Revista VIDYA, Santa Maria, v. 40, n. 2, p. 513-531, jul./dez., 2020.

MOURA, A. R. L. A medida e a criança pré-escolar. 1995, 221 fl. Tese (Doutorado em Educação) - Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 1995.

OLIVEIRA, L. A construção do espaço, segundo Jean Piaget. Sociedade & Natureza, Uberlândia - MG, v. 17, n. 33, p. 105-117, 2005.

PASSOS, C. L. B. et al. Desenvolvimento profissional do professor que ensina Matemática: Uma metaanálise de estudos brasileiros. Quadrante: Revista Teórica e de Investigação, Lisboa, v. 15, n. 1 e 2, p. 193-219, 2006.

PARKS, A. N.; WAGER, A. A. What knowledge is shaping teacher preparation in early childhood mathematics? Journal of Early Childhood Teacher Education, Filadelfia, v. 36, n. 2, p. 124-141, 2015.

PIMENTEL, A. O método da análise documental: seu uso numa pesquisa historiográfica. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, [s.v.], n. 114, p. 179-195, nov. 2001.

RIBEIRO, M; POLICASTRO, M. As medidas e as especificidades do conhecimento do professor para que os alunos aprendam matemática com significado. Curitiba: CRV, 2021.

SANTOS, J. C.; SOUZA, A. D. D. Aprendizagem infantil entre jogos e brincadeiras nos centros de educação infantil (CMEIS) Interfaces da Educ., Paranaíba, v.9, n.25, p. 129-157, 2018.

Downloads

Publicado

14-06-2023

Como Citar

Megid, M. A. B. A., Almeida, A. R., & Tortella, J. C. B. (2023). Afetamentos de uma Formação Continuada em Grupo Colaborativo com Professores da Infância. INTERFACES DA EDUCAÇÃO, 13(39). https://doi.org/10.26514/inter.v13i39.5838