A Escola Industrial de Natal (RN)

uma análise do civismo a partir de fotografias (1945- 1948)

Visualizações: 122

Autores

DOI:

https://doi.org/10.61389/inter.v14i40.5982

Palavras-chave:

Escola Industrial de Natal, História da Educação, Civismo, Cultura Visual

Resumo

O presente estudo tem por objetivo analisar como diferentes atividades cívicas e militares permeavam o cotidiano da Escola Industrial de Natal, no Rio Grande do Norte, no período situado entre 1945-1948. Os documentos analisados referem-se a um conjunto de fotografias salvaguardado no Arquivo Geral do Instituto Federal do Rio Grande do Norte do Campus Natal/RN. Metodologicamente, recorremos à análise fotográfica a partir daos Estudos Visuais, fundamentados em Maria Eliza Linhares Borges (2003) e Ana Maria Guash (2005). O estudo fundamenta-se na História Cultural, tomando conceitos de Roger Chartier (2002), Peter Burke (2005) e Sandra Pesavento (2008), inserindo-se na História da Educação, recorrendo a Escolano Benito (2017) e Maria Stephanou e Maria helena Camara Bastos (2005). Os resultados apontam para a presença das atividades cívicas em diferentes momentos, como em desfiles, datas cívicas e nas formaturas dos cursos, utilizando-se de diferentes símbolos que remetem ao patriotismo, impondo padrões e comportamentos nos alunos.

Biografia do Autor

Eduardo Cristiano Hass da Silva, Universidade Federal do Rio Grande do Norte - Curso de Turismo/FELCS

Professor do Curso de Turismo da Faculdade de Engenharia, Letras e Ciências Sociais do Seridó (FELCS) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). Doutor em Educação pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS). Mestre, graduado (licenciatura e bacharelado) em História pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS).

Rafael de Souza Pinheiro, Universidade de Caxias do Sul-UCS/ Mestrando

Mestrando em Educação, pelo Programa de Pós Graduação da Universidade de Caxias do Sul-UCS. Membro do Grupo de Pesquisa História da Educação, Imigração e Memória (GRUPHEIM).

Referências

ARQUIVO Geral do Campus Natal. Instituto Federal do Rio Grande do Norte (IFRN). Disponível em: https://www.flickr.com/people/arquivocampusnatalcentral/. Acesso em: 07/02/2021.

BORGES, Maria Eliza Linhares. Tradição e modernidade na mira dos fotógrafos. In: ______. História & fotografia. Belo Horizonte: Autêntica, 2003.

BRASIL, Decreto nº 7.566, de 23 de setembro de 1909. Crêa nas capitaes dos Estados da Republica Escolas de Aprendizes Artifices, para o ensino profissional primario e gratuito. Disponível em: https://www2.camara.leg.br/legin/fed/decret/1900-1909/decreto-7566-23-setembro-1909-525411-publicacaooriginal-1-pe.html. Acesso em: 07/02/2021.

BURKE, Peter. O que é história cultural?. Rio de Janeiro: Zahar, 2005.

CARVALHO, José Murilo de. A formação das almas: o imaginário da República do Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 1990.

CARVALHO, Marta Maria Chagas de. A escola e a República e outros ensaios. Bragança Paulista: EDUSF, 2003.

CHARTIER, Roger. A História cultural: entre práticas e representações. Algés, Portugal: Difusão Editorial. 2. ed. 2002.

GUASH, Ana Maria. Doce Reglas para Una Nueva Academia: La “Nueva Historia del Arte” y los Estudios Audiovisuales. In: Congreso Altos Estudios. Escuela Internacional de Cine y TV, San Antonio de los Baños (Cuba), 2005.

HORTA, José Silvério Baia. O hino, o sermão e a orden do dia: regime autoritário e a educação no Brasil (1930-1945). Campinas, SP: Autores Associados, 2012.

JURT, Joseph. O BRASIL: um Estado-Nação a ser construído. O Papel dos Símbolos Nacionais, Do Império À República. Mana, v. 18, n. 3, 2012, p. 471-509. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/mana/v18n3/a03v18n3.pdf. Acesso em: 05/03/2021.

LUSTOSA, Wigna Eriony Aparecida de Morais; SILVA, Nina Maria da Guia de Sousa; MEDEIROS NETA, Olivia Morais de. Corpo, disciplina e poder na Escola Industrial de Natal (1942-1968). Bagoas, n. 19, p. 190-206, 2018.

MAGALHÃES, Justino. Tecendo nexos: história das instituições educativas. Bragança Paulista: EDUSF, 2004.

OLIVEIRA, Lúcia Lippi. As Festas que a República Manda guardar. Estudos Históricos, Rio de Janeiro, v. 2, n 4, 1989, p. 172-189. Disponível em: http://bibliotecadigital.fgv.br/ojs/index.php/reh/article/view/2283/1422. Acesso em: 17/03/2021.

PESAVENTO, Sandra Jatahy. História & história cultural. 2. ed. Belo Horizonte, MG: Autêntica, 2008.

PORTAL da Memória. Centenário do IFRN 1909 – 2009. Disponível em: https://centenario.ifrn.edu.br/cronologia. Acesso em: 29/11/2020.

RIBEIRO, Ivanir; SILVA, Vera Lucia Gaspar da. Das materialidades da escola: o uniforme escolar. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 38, n. 03, p. 575-588, jul./set. 2012.

SILVA, Maria da Guia de. Escola para os filhos dos outros: trajetória histórica da Escola Industrial de Natal (1942-1968). Tese (doutorado em Educação). Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2012.

SOUZA, Rosa Fatima de. Templos de civilização: a implantação da escola primária graduada no Estado de São Paulo: (1890-1910). São Paulo: Fundamentação Editora da Unesp, 1998.

STEPHANOU, Maria. BASTOS, Maria Helena Camara. História, memória e História da Educação. In: STEPHANOU, M; BASTOS, M. H. C. (Org.). Histórias e Memórias da Educação no Brasil. VIII – Século XX: Vozes, 2005. p. 416-429.

VIEIRA, Cleber Santos. Civismo, República e manuais escolares. Revista Brasileira de História. São Paulo, v. 32, nº 63, p. 325-340 – 2012. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/rbh/v32n63/15.pdf. Acesso em: 17/03/2021.

Downloads

Publicado

06-11-2023

Como Citar

Hass da Silva, E. C., & Pinheiro, R. de S. (2023). A Escola Industrial de Natal (RN): uma análise do civismo a partir de fotografias (1945- 1948). INTERFACES DA EDUCAÇÃO, 14(40), 228–245. https://doi.org/10.61389/inter.v14i40.5982