O PROEX/CAPES como política pública brasileira de pós-graduação

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26514/inter.v12i35.6049

Palavras-chave:

Educação. PROEX. Avaliação da Pós-graduação. Política Pública

Resumo

O artigo focaliza discussões sobre políticas públicas no âmbito da pós-graduação no Brasil. Para isso, privilegia análises sobre o Programa de Excelência Acadêmica – PROEX, desenvolvido pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior – CAPES. Nesse contexto, descreve-se a política pública PROEX, evidenciando o movimento de produção dos textos regulatórios e suas transformações ao longo de sua existência, analisa-se os dados de investimentos globais e os voltados para as áreas de Educação e Ensino. Por meio de pesquisa documental e dos postulados da abordagem do ciclo de políticas, buscou-se analisar as contribuições do PROEX para o fortalecimento dos Programas de Pós-Graduação – PPGs considerados pela avaliação da CAPES na categoria de excelência. Conclui-se que o PROEX oferece contribuições importantes para a pós-graduação brasileira em termos de financiamento, especialmente, por possibilitar um espaço de certa flexibilidade para a atuação criativa dos atores sociais envolvidos na gestão. A descrição dos dados sinaliza a relevância de políticas públicas de longo prazo e a necessidade de acompanhamento e compreensão das repercussões geradas no processo e movimento de implementação das políticas

Biografia do Autor

Daniela Côco, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Graduação em Bioquímica pela Universidade Federal de Viçosa(2010) e mestrado em Bioquimica Agricola pela Universidade Federal de Viçosa(2012). Doutoranda no Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências Química da Vida e Saúde da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2018 - Atual). Analista em Ciência e Tecnologia do Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (2015 - Atual). 

Livio Amaral, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Bacharel em Física (1974), Mestre (1977) e Doutor em Física (1982) pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, com pós-doutorados em Paris (1983-1985) e Amsterdam (1992). Desde 1998 é Professor Titular do Departamento de Física da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Tem área de atuação na física experimental: implantação iônica, modificação de materiais por feixes iônicos; técnicas de análises físicas associadas a feixe de íons em estudos de diferentes tipos de materiais metálicos, semicondutores, biológicos, vegetais, e tecidos orgânicos. É membro titular da Academia Brasileira de Ciências. Exerceu diversos cargos de representação e administração na UFRGS, em agências do Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT), do Ministério da Educação (MEC) e das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa e na Diretoria da Sociedade Brasileira de Física (SBF). Em 2007 recebeu o Prêmio FAPERGS/Copesul - Pesquisador Destaque na área de Física e Astronomia. Recebeu da Presidência da República do Brasil a Comenda (2006) e a Grã-Cruz (2009) da Ordem Nacional do Mérito Científico. Exerceu o cargo de Diretor de Diretor de Avaliação da Coordenação de Aperfeiçoamento do Ensino Superior (CAPES) de 2009 a 2015. Foi Diretor (2019-2020) da Casa do Brasil (CIUP) em Paris, França.

Referências

BALL, S. J. Intelectuais ou técnicos? O papel indispensável da teoria nos estudos educacionais. In: Ball, S. J.; MAINARDES, J. (Org.). Políticas educacionais: questões e dilemas. São Paulo: Cortez, 2011, p. 78-99.

BRASIL. Ministério da Educação. CAPES. Portaria nº 34, de 30 de maio de 2006. Aprova o Regulamento do Programa de Excelência Acadêmica (PROEX). Diário Oficial da União. 1º jun. 2006. Disponível em: <https://www.capes.gov.br/images/stories/download/legislacao/Portaria_034_2006.pdf>. Acesso em: 12 jul. 2020.

BRASIL. Ministério da Educação. CAPES. Portaria CAPES nº 102, de 12 de agosto de 2015. Atualiza o Regulamento do Programa de Excelência Acadêmica (PROEX). Diário Oficial da União. 13 ago. 2015. Disponível em:<http://www.capes.gov.br/images/stories/download/legislacao/130815-PORTARIA-N-102-de-12-08-2015.pdf>. Acesso em: 12 jul. 2020.

BRASIL. Ministério da Educação. CAPES. Portaria CAPES nº 227, de 27 de novembro de 2017. Altera o Anexo da Portaria Capes nº 34/2006. Inclui o Anexo II da Portaria Capes nº 34/2006. Diário Oficial da União. 30 nov. 2015. Disponível em: <https://www.capes.gov.br/images/stories/download/legislacao/30112017-PORTARIA-N-227-DE-27-DE-NOVEMBRO-DE-2017-III.pdf>. Acesso em: 12 jul. 2020.

CAPES - Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. GEOCAPES - Sistema de Informações Georreferenciadas | CAPES. Brasília, 27 de maio de 2020a. Disponível em: < https://geocapes.capes.gov.br/geocapes/>. Acesso em: 04 ago. 2020.

CAPES - Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Programa de Excelência Acadêmica (Proex). Brasília, 03 de setembro de 2008. Disponível em: < http://capes.gov.br/bolsas/bolsas-no-pais/proex>. Acesso em: 12 jul. 2020.

CAPES - Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Sobre as áreas de avaliação. Brasília, 30 de setembro de 2020b. Disponível em: < https://www.gov.br/capes/pt-br/acesso-a-informacao/acoes-e-programas/avaliacao/sobre-a-avaliacao/areas-avaliacao/sobre-as-areas-de-avaliacao/sobre-as-areas-de-avaliacao>. Acesso em: 08 mar. 2021.

CAPES - Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Sobre a Avaliação. Brasília, 14 de janeiro de 2021. Disponível em: < https://www.gov.br/capes/pt-br/acesso-a-informacao/acoes-e-programas/avaliacao/sobre-a-avaliacao/avaliacao-o-que-e/sobre-a-avaliacao-conceitos-processos-e-normas/conceito-avaliacao>. Acesso em: 17 mar. 2021.

CORRÊA, N. V. Avaliação das Estratégias da Gestão da Pós-Graduação a partir dos programas de Excelência Acadêmica (PROEX). Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências: Química da Vida e Saúde. Universidade Federal do Rio Grande – FURG. Rio Grande. Dissertação, 2014. Disponível em <http://repositorio.furg.br/handle/1/4835>. Acesso em: 27 mar. 2021.

FRANÇA, I. A. A gestão da pós-graduação no Brasil através de seus planos nacionais: os desafios dos gestores de cursos. Revista Gestão Universitária na América Latina, v. 5, n.4, p. 43-67, Edição especial, 2012.

FALQUETTO, A. M. Avaliação da Eficiência dos Programas de Pós-Graduação em Economia Brasileiros Contemplados com o PROEX e PROAP. Programa de Pós-Graduação em Educação em Economia. Fundação Universidade de Brasília – UNB. Brasília-DF. Dissertação, 2017. Disponível em < https://sucupira.capes.gov.br/sucupira/public/consultas/coleta/trabalhoConclusao/viewTrabalhoConclusao.jsf?popup=true&id_trabalho=5698792>. Acesso em: 27 mar. 2021.

LANDIM, F. L. P; LOURINHO, L. A; LIRA, R. C. M; SANTOS, Z. M. S. A. Uma reflexão sobre as abordagens em pesquisa com ênfase na integração qualitativo-quantitativa. Revista Brasileira em Promoção da Saúde, v.19, n.1, p 53-58, 2006.

SÁ-SILVA, J. R.; ALMEIDA, C. D.; GUIDANI, J. F. Pesquisa documental: pistas teóricas e metodológicas. Revista Brasileira de História & Ciências Sociais, ano 1, v. 1, p. 1-15, 2009.

SILVA, S. C. R.; SOUZA, G. F. Desafios e perspectivas para o ensino: entrevista com o coordenador da Área de Ensino da CAPES, Prof. Dr. Marcelo de Carvalho Borba. Revista Brasileira de Ensino de Ciência e Tecnologia, v.13, n.3, p. 1-24, ago./dez. 2020.

Downloads

Publicado

02/11/2021

Como Citar

Côco, D., & Amaral, L. (2021). O PROEX/CAPES como política pública brasileira de pós-graduação. INTERFACES DA EDUCAÇÃO, 12(35), 792–815. https://doi.org/10.26514/inter.v12i35.6049