Devir-comida: corpo, afetos e educações em encontros gustativos

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26514/inter.v13i38.6107

Palavras-chave:

Cartografia. Comida. Corpo e Educação. Encontros e Afetos.

Resumo

Pela comida, encontramo-nos de diversas formas, permeando o corpo com afetos. A partir da escuta da vida que acontece pelos encontros e nos processos por estes agenciados, este artigo traça uma cartografia dos encontros entre nossos corpos e a comida, adentrando os devires em nós engendrados. Inicialmente, pensamos em educações afetivas pelo corpo nos encontros com a comida. Já na segunda seção, nos utilizamos de escritas livres para dar vazão aos afetos que pedem passagem, em diálogo com imagens que participam de nossas narrativas cartográficas. Por fim, refletimos nas escritas livres, nas imagens e nos afetos que atravessaram nossos corpos pelos encontros com a comida e os processos a ela associados, agenciando educações e aprenderes gustativos. Em diálogo principal com a filosofia da diferença de Gilles Deleuze e Félix Guattari, pensamos em educações (im)possíveis a partir dos afetos e potências que emergem pelos encontros gustativos que permeiam nossas trajetórias, compreendendo que a comida agencia encontros que atravessam todo nosso corpo e possibilitam devires.

Biografia do Autor

Tiago Amaral Sales, Universidade Federal de Uberlândia

Licenciado e Bacharel em Ciências Biológicas, Mestre em Educação e Doutorando em Educação no Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal de Uberlândia (UFU). Integrante do UIVO – Criação, arte e vida (UFU); e do GPECS – Gênero, corpo, sexualidade e educação (UFU). Bolsista CAPES. E-mail: tiagoamaralsales@gmail.com.

Daniela Franco Carvalho, Universidade Federal de Uberlândia

Professora doutora no Instituto de Biologia (INBIO) e Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGED) da Universidade Federal de Uberlândia (UFU).

Referências

AMORIM, A. C. R. Fotografia, som e cinema como afectos e perceptos no conhecimento da escola. Revista Teias, Rio de Janeiro, ano 8, n.15-16, jan/dez/2007, p.1-12. Disponível em: https://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/revistateias/article/view/23998. Acessado em: 19 abr. 2021.

BORIAN, C. No meu laboratório o Amor nasce verde, pulsa do coração das árvores. 2019. Instagram @clariceborian. Disponível em: https://www.instagram.com/p/Bx-SyVpnglc/. Acessado em 12 mar. 2021

CARVALHO, D. F.; GUIDO, L. F. E. CORAÇÕES PARA ALÉM DO BIOLÓGICO EM PROCESSOS DE QUESTIONAMENTO DO MUNDO. Revista Observatório, Palmas, v. 4, n. 1, p. 115-130, 1 jan. 2018. Universidade Federal do Tocantins. http://dx.doi.org/10.20873/uft.2447-4266.2018v4n1p115.

CHAVES, S. N. Um chão sem fronteiras: ciência e arte na sala de aula. In: FERREIRA, M. S. et al. VIDAS QUE ENSINAM O ENSINO DA VIDA. São Paulo: Editora Livraria da Física, 2020. p. 99-105.

DELEUZE, G.; GUATTARI, F. Mil platôs: Capitalismo e esquizofrenia. Vol. I. São Paulo, Ed. 34. 2011.

DELEUZE, G.; PARNET, C. Abecedário de Gilles Deleuze. Paris: Éditions Montparnasse, 1995. (Filmado em 1988 - 1989).

DELEUZE, G.; PARNET, C. Diálogos. São Paulo: Escuta, 1998. 184 p.

DOLOREZ, K. sem título, 2019. 2019. Instagram @karendolorez. Disponível em: https://www.instagram.com/p/BxI_YqTAwLx/. Acessado em 10 mar. 2021.

DUPIN, L. Série "pequenas navegações" 2008 #lucasdupin #artebh #artecontemporanea #art #contemporaryart. 2016. Instagram @lucas.dupin. Disponível em: https://www.instagram.com/p/BGE6Z5ZPha8/. Acessado em 10 mar. 2021.

GIANUCA, L. T.; BALESTRERI, S. Ensino como ensaio para abrir os corpos: movimentos para uma didática do acesso. Revista Teias, Rio de Janeiro, v. 21, n. 63, p. 162-177, 14 dez. 2020. Universidade de Estado do Rio de Janeiro. http://dx.doi.org/10.12957/teias.2020.53988.

HARAWAY, D. Manifesto ciborgue: ciência, tecnologia e feminismo-socialista no final do século xx. In: HARAWAY, Donna; KUNZRU, Hari; TADEU, Tomaz. Antropologia do ciborgue: as vertigens do pós-humano. 2. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2000. p. 33-118.

LARROSA, J. EXPERIÊNCIA E ALTERIDADE EM EDUCAÇÃO EDUCAÇÃO. Revista Reflexão e Ação, Santa Cruz do Sul, v. 19, n. 2, p. 04-27, jul./dez. 2011. http://dx.doi.org/10.17058/rea.v19i2.2444

NANCY, J-L. 58 INDÍCIOS SOBRE O CORPO. Revista Ufmg, Belo Horizonte, v. 19, n. 1, p. 42-57, jan./dez. 2012. Disponível em: https://www.ufmg.br/revistaufmg/pdf/REVISTA_19_web_42-57.pdf. Acessado em 19 abr. 2021.

PELBART, P. P. O AVESSO DO NIILISMO: cartografias do esgotamento. 2. ed. São Paulo: n-1 edições, 2016.

ROLNIK, S. Cartografia Sentimental: transformações contemporâneas do desejo. Porto Alegre: Sulina, Editora da UFRGS, 2011. 247 p.

SALES, T. A.; CARVALHO, D. F. Comidas e encontros: conexões entre políticas, histórias, culturas e afetos. Contraponto, Porto Alegre, v. 7, n. 3, p. 143-161, dez. 2020. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/contraponto/article/view/108975. Acessado em 19 abr. 2021.

VAZ, T. Aprendizagens em Devir na cidade: visualidades, excessos e narrativas cotidianas. 2017. 207 f. Tese (Doutorado em Arte e Cultura Visual) - Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2017. Disponível em: https://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/6828. Acessado em 19 abr. 2021.

Downloads

Publicado

30/08/2022

Como Citar

Sales, T. A., & Carvalho, D. F. (2022). Devir-comida: corpo, afetos e educações em encontros gustativos. INTERFACES DA EDUCAÇÃO, 13(38). https://doi.org/10.26514/inter.v13i38.6107