MOOC como uma opção de Arquitetura Pedagógica para capacitação ao professor de aluno com TEA

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26514/inter.v13i37.6116

Palavras-chave:

Cursos Massivos Online, Formação Continuada, Autismo

Resumo

Este estudo analisou as contribuições de um MOOC quando utilizado na perspectiva de formação continuada docente, visando embasar a prática pedagógica e favorecer um processo de inclusão didático-pedagógico do aluno com autismo. O objetivo traçado na presente pesquisa consistiu em desenvolver um Massive Open Online Course, servindo como um caminho de formação e aperfeiçoamento. Assim, nos pautamos em Freire (1996) e elaboramos uma capacitação centrada na autonomia e no desenvolvimento do pensamento crítico, visando a educação como prática da liberdade e o diálogo-problematizador entre os pares. A metodologia consistiu na pesquisa quali-quantitativa, onde o desenvolvimento do estudo se deu através da autoaprendizagem em um ambiente virtual. Os resultados apontaram que o MOOC elaborado representou uma alternativa rápida e viável para promover o acesso dos professores a conteúdos relacionados à temática do autismo e possibilitou contribuições para ampliação de horizontes relacionados à inclusão. Concluímos que a capacitação através do MOCC permitiu à pesquisa inúmeras contribuições, inclusive, o compartilhamento de adequações didático-curriculares, não como “objetos” a serem reproduzidos, mas como indicadores para inspirar criativas práticas através das tecnologias.

Biografia do Autor

Vanessa da Silva Balbino, Universidade Federal Fluminense

Doutoranda em Ciências, Tecnologias e Inclusão (PGCTIn/UFF); Mestra em Diversidade e Inclusão pela Universidade Federal Fluminense (2020), na linha de pesquisa Produção de Materiais e Novas Tecnologias.

Integrante do grupo de pesquisa CNPq: Tecnologias Computacionais no ensino e aprendizagem sob a ótica da Diversidade, Inclusão e Inovação.

Graduada em Pedagogia pela Universidade Estácio de Sá (2010) e Especialista em Pedagogia Empresarial pela Universidade Cândido Mendes (2012). 

Atualmente é servidora pública da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

Sergio Crespo Coelho da Silva Pinto, Universidade Federal Fluminense / PGCTIn (Programa de Doutorado em Ciências, Tecnologias e Inclusão)

Doutor em Informática pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (2000); Coordenador do Programa de Doutorado em Ciências, Tecnologias e Inclusão (PGCTIn/UFF); Líder do grupo de pesquisa CNPq: Tecnologias Computacionais no ensino e aprendizagem sob a ótica da Diversidade, Inclusão e Inovação; Professor Adjunto na Universidade Federal Fluminense (UFF). É professor convidado no Programa de Mestrado em TICs na Universidade Tecnológica do Panamá. Possui graduação em Tecnólogo Em Processamento de Dados pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (1987), Mestrado em Engenharia de Sistemas e Computação pela Universidade Federal do Rio de Janeiro - COPPE-Sistemas (1995). Atuou como professor Titular da Universidade do Vale do Rio dos Sinos de 1990 a 2013, - Fez parte do comitê editorial da Revista Brasileira de Informática na Educação (1414-5685) . Passou de Abril de 2013 a Novembro de 2013 como Professor Visitante no DCC-UFMG. Tem experiência na área de Ciência da Computação, com ênfase em Engenharia de Software, atuando principalmente nos seguintes temas: Diversidade e Inclusão, Educação a Distância, Informática na Educação e engenharia de software aplicada a educação.

Ruth Maria Mariani Braz, Universidade Federal Fluminense

Doutora em Ciências e Biotecnologia, do Instituto de Biologia da Universidade Federal Fluminense; Reconhecido o nível pela Universidade do Minho do doutoramento em ciências da Educação, doutorado sanduiche na Universidade do Porto. Especialização em Educação Física Especial (Universidade Castelo Branco). Graduação em Licenciatura Plena em Educação Física pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ) . Professor docente I - Secretaria de Educação do Estado do Rio de Janeiro e professor do Curso de mestrado profissional em Diversidade e Inclusão da UFF. Atuou como coordenadora executiva do projeto Internacional Spread The Sign no Brasil e coordena o núcleo de Inclusão Galileu Galilei. Orientadora de alunos do curso de Mestrado Profissional em Diversidade e Inclusão do Instituto de Biologia da UFF. Desenvolve pesquisas ligada aos temas: Educação Inclusiva, Educação de Surdos, Tecnologia Assistiva, gêneros; confecção de materiais didáticos adaptados, didática com o intuito de auxiliar os alunos com deficiências nas classes regulares de ensino. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Educação Inclusiva, tecnologia e didática, atuando principalmente nos seguintes temas: formação de docentes, políticas publicas, diversidade, Interdisciplinaridade, sensibilização, adaptação e confecção de materiais didáticos e brincar.

Referências

AMADO, C. B. O. P. Segurança na internet para encarregados de educação: desenvolvimento de um MOOC. Dissertação (Mestrado). Curso de Mestrado em Educação e Formação. Instituto de Educação, Universidade de Lisboa, Lisboa, 2016. Disponível em: http://hdl.handle.net/10451/24161. Acesso em: 02 dez. 2020.

ARTIGAS, J. R. O uso do MOOC para o aprimoramento da escrita do trabalho de conclusão de curso - TCC. Dissertação (Mestrado). Curso de Mestrado em Educação, Pontifícia Universidade Católica do Paraná, Curitiba, 2016. Disponível em: http://docplayer.com.br/62110363-Pontificia-universidade-catolica-do-parana-escola-de-educacao-e-humanidades-programa-de-pos-graduacao-em-educacao-joanita-do-rocio-artigas.html. Acesso em: 12 jan. 2021.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2011.

BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, LDB nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Brasília, DF, Presidência da República, 1996.

BRASIL. Lei nº 12.764, de 27 de dezembro de 2012. Institui a Política Nacional de Proteção dos Direitos da Pessoa com Transtorno do Espectro Autista; e altera o § 3º do art. 98 da Lei nº 8.112, de 11 de dezembro de 1990. Brasília, DF, 2012.

BRASIL. Decreto nº 9.057, de 25 de maio de 2017. Regulamenta o artigo 80 da Lei 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Brasília, DF, Presidência da República, 2017.

CARVALHO, M. J. S.; NEVADO, R. A. de, MENEZES, C. S. Arquiteturas pedagógicas para Educação a Distância: concepções e suporte telemático. In: XVI Simpósio Brasileiro de Informática na Educação, Juiz de Fora – MG, 2005. Disponível em: http://dx.doi.org/10.5753/cbie.sbie.2005.351-360. Acesso em: 14 mar. 2021.

CARVALHO, M. J. S.; NEVADO, R. A. de; MENEZES, C. S. Arquiteturas pedagógicas para a educação a distância. In: CARVALHO, M. J. S.; NEVADO, R. A. de; MENEZES, C. S. Aprendizagem em rede na educação a distância: estudos e recursos para a formação de professores, v. 1, cap. 2, p. 35-52. Porto Alegre: Ricardo Lenz, 2007.

CRESWELL, J. W.; CLARK, V. L. Pesquisa de métodos mistos. Porto Alegre: Penso, 2007.

FREIRE, P. Educação como prática da liberdade. 22 ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1996.

FREIRE, P. Pedagogia e educação: ensaios. 6 ed. São Paulo: Cortez, 2001a.

GONÇALVES, B. M. F. Massive Open Online Courses (MOOC) no desenvolvimento profissional de professores. Tese de Doutorado em Ciências da Educação, especialidade em Tecnologia Educativa, Universidade do Minho, Braga, 2018. Disponível em: http://repositorium.sdum.uminho.pt/handle/1822/54363. Acesso em: 14 jan. 2021.

GONÇALVES, V. M. B; GONÇALVES, B. M. F MOOC: um aliado para a formação contínua de professores. In: Recursos Educativos Innovadores en el contexto Iberoamericano. Carlos Monge López Patricia Gómez Hernández Alba García Barrera (Eds.), Universidad de Alcalá, v. 19, p. 533-549, 2015. Disponível em: http://hdl.handle.net/10198/12131. Acesso em: 22 jan. 2021.

JOHNSON, L.; BECKER, S. A.; ESTRADA, V.; FREEMAN, A. NMC Horizon Report: 2015 Higher Education Edition. Austin, Texas: The New Media Consortium, 2015. Disponível em: http://www.cdn.nmc.org/media/2015-nmc-horizon-report-HE-EN.pdf. Acesso em: 07 de fev. 2021.

MALHOTRA, N. K. Pesquisa de marketing: uma orientação aplicada. Porto Alegre: Bookman, 2001.

MCAULEY, A. J.; STEWART, B.; SIEMENS, G.; CORMIER, D. The MOOC Model for Digital Practice. University of Prince Edward: Island through the Social Sciences and Humanities Research Council's, 2010. Disponível em: https://www.oerknowledgecloud.org/archive/MOOC_Final.pdf. Acesso em: 20 dez. 2020.

MOTA, R; INAMORATO, A. MOOC, uma revolução em curso. Órgão da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência. São Paulo: Jornal da Ciência, nov. 2012. Disponível em: http://www.jornaldaciencia.org,br/Detalhe.jsp?id=8511. Acesso em: 14 dez. 2020.

OLIVEIRA, L. H. Exemplo de cálculo de Ranking Médio para Likert. Notas de Aula. Metodologia Científica e Técnicas de Pesquisa em Administração. Mestrado em Adm. e Desenvolvimento Organizacional. PPGA CNEC/FACECA: Varginha, 2005.

PISUTOVA, K. Open Education. In: 10th International Conference on Emerging eLearning Technologies and Applications - ICETA 2012, Stara Lesna, Slovakia 8 – 9 November, p. 297-300, 2012. Disponível em: https://ieeexplore.ieee.org/document/6418317. Acesso em: 15 jan. 2021.

RIEDO, C.; PEREIRA, E.; Wassem, J.; GARCIA, M. O desenvolvimento de um MOOC (Massive Open Online Course) de educação geral voltado para a formação continuada de professores: uma breve análise de aspectos tecnológicos, económicos, sociais e pedagógicos. Proceedings of SIED and EnPED, Qualidade na Educação: convergências de sujeitos, conhecimentos, práticas e tecnologias, São Paulo: UFSCar, 2014. Disponível em: http://www.sied-enped2014.ead.ufscar.br/ojs/index.php/2014/article/view/782. Acesso em: 20 dez. 2020.

SANGRÀ, A.; GONZÁLEZ SANMAMED, M.; ANDERSON, T. Meta-análise de pesquisa sobre MOOC no período 2013-2014. Educação XX1, v. 18, n. 2, p. 21-49, 2015. Disponível em: http://revistas.uned.es/index.php/educacionXX1/article/view/13463. Acesso em: 13 jan. 2021.

SIEMENS, G. Conectivismo: Uma Teoria de Aprendizagem para a Idade Digital. In: Portal UPF – Universidade de Passo Fundo [homepage na internet], p. 1-8, 2004. Disponível em: http://usuarios.upf.br/~teixeira/livros/conectivismo[siemens].pdf. Acesso em: 25 jan. 2021.

SOUZA, R. de; CYPRIANO, E. F. MOOC: uma alternativa contemporânea para o ensino de astronomia. Bauru: Ciência Educação, v. 22, n. 1, p. 65-80, mar. 2016. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S151673132016000100065&lng=pt&nrm=iso. Acesso em: 23 fev. 2021.

WAGNER, R.; FRANCISCATTO, R.; PASSERINO, L. M.; LIMA, J. V. de; SILVEIRA, S. R. SolAssist Learning: formação em tecnologias assistivas através de um MOOC e uma biblioteca virtual de soluções assistivas. Revista Brasileira de Informática na Educação, v. 24, n. 3, p. 62-74, set./dez. 2016. Disponível em: http://dx.doi.org/10.5753/rbie.2016.24.3.62. Acesso em: 12 jan. 2021.

WASSEM, J. Estudos dos Clássicos e o Conhecimento Interdisciplinar na Formação Inicial de Professores. In: PEREIRA, E. M. A. (org.). Inovações Curriculares: Experiências no Ensino Superior com foco na Interdisciplinaridade. IV ed. Campinas - SP: FE/UNICAMP, p. 92-112, 2014.

YUAN, L.; POWELL, S. MOOCs and Open Education: implications for Higher Education. London: CETIS, 2013. Disponível em: https://www.researchgate.net/deref/http%3A%2F%2Fdx.doi.org%2F10.13140%2F2.1.5072.8320. Acesso em: 25 fev. 2021.

ZANCANARO A.; NUNES, C. S.; DOMINGUES, M. J. de S. Free platforms for providing MOOCs: mapping and assessment requirements. In: 13th CONTECSI - International Conference on Information Systems & Technology Management, p. 3660-3673, jun. 2016. Disponível em: https://doi.org/10.5748/9788599693124-13CONTECSI/PS-4154. Acesso em: 03 dez. 2020.

ZHOU, Q. G; GUO, S. C.; ZHOU, R. Investigation about Participatory Teachers’ Training based on MOOC. International Journal of Distance Education Technologies, v. 13, n. 3, p. 44-52, 2015. Disponível em: http://dx.doi.org/10.4018/IJDET.2015070103. Acesso em: 18 fev. 2021.

Downloads

Publicado

21/05/2022

Como Citar

Balbino, V. da S., da Silva Pinto, S. C. C., & Braz, R. M. M. (2022). MOOC como uma opção de Arquitetura Pedagógica para capacitação ao professor de aluno com TEA. INTERFACES DA EDUCAÇÃO, 13(37). https://doi.org/10.26514/inter.v13i37.6116

Edição

Seção

Artigos