Representações discursivas sobre crianças e adolescentes vítimas de atos libidinosos

Visualizações: 558

Autores

  • Maria da Silva Rocini UFMS/CPTL/PROPP/CAPES
  • Celina Aparecida Garcia de Souza Nascimento CPTL/UFMS

DOI:

https://doi.org/10.26514/inter.v1i2.639

Resumo

Este trabalho tem por objetivo analisar as representações discursivas presentes nos termos de informação em que constam denúncias de abuso sexual de crianças e adolescentes nos autos de uma delegacia da mulher na cidade de Três Lagoas-MS. Para isso, discutimos alguns conceitos como formação discursiva e relações de poder presentes nas obras de Foucault (1990 e 2005), representações imaginárias de Pêcheux (1988) e silenciamento definido por Orlandi (2001). Enquanto procedimentos metodológicos, recortamos e analisamos três trechos enunciativos dos autos de informação, em que constam relatos de abusos sexuais contra crianças e adolescentes, denunciados por pais ou familiares das vítimas. Assim, os resultados indicam a presença de relações de poder, que se instituíram sob a forma do silenciamento e da dominação do corpo, porque o sujeito-agressor obteve o domínio sobre o corpo da criança/adolescente, e o poder no discurso por meio da desqualificação do outro (da mãe da vítima), desvalorizando seu discurso e buscando torná-lo falso.

Palavras-chave: Atos libidinosos. Silenciamento. Relações de poder. Representações.

Downloads

Publicado

05-10-2010

Como Citar

Rocini, M. da S., & de Souza Nascimento, C. A. G. (2010). Representações discursivas sobre crianças e adolescentes vítimas de atos libidinosos. INTERFACES DA EDUCAÇÃO, 1(2), 05–15. https://doi.org/10.26514/inter.v1i2.639